Desconversas:Cair sentado no pepino

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Papo cabeça

Este artigo faz parte do Desconversas, o maior acervo de papo furado da Internet.

A possível arma do crime
  • Médico: Mostre para mim a situação.
  • Paciente: Tirar as calças?
  • Médico: Sim, preciso ver.
  • Paciente: OK.
  • Médico: Meu Deus!!!
  • Paciente: O que podemos fazer?
  • Médico: Caramba, como aconteceu isso?
  • Paciente: Caí sentado neste pepino.
  • Médico: Ah é, é? Você pode falar a real, eu sei que você quis masturbar seu ânus com esse fruto.
  • Paciente: Não, eu juro, eu caí sentado nele.
  • Médico: Conta outra!
  • Paciente: É sério!
  • Médico: Isso é impossível? Você estava colhendo pepinos, nu, tropeçou e caiu em um?
  • Paciente: Não.
  • Médico: Você poderia ao menos dizer que foi estuprado, tipo o caso de Đorđe Martinović, famoso.
  • Paciente: Não sei do que você está falando, mas no meu caso, eu digo, e afirmo - eu caí mesmo sentado.
  • Médico: Então, num belo dia, você estava caminhando despretensiosamente, aí resolveu tirar as calças e cair de cu no pepino?
  • Paciente: Não, não foi bem assim.
  • Médico: Como foi então?
Cquote1.svg Filho da puta, enfia o pepino no cu e eu tenho que tirar Cquote2.svg
  • Paciente: Eu realmente estava andando, ia tomar um café ali na padaria, estava andando tranquilo, com a roupa do serviço.
  • Médico: Tinha saído do trabalho?
  • Paciente: Eu estava indo ao trabalho, mas sempre tomo um café antes. A padaria fica na metade entre minha casa e o local de trabalho.
  • Médico: Prossiga.
  • Paciente: Eu estava perto da padaria, e tropecei numa pequena pedrinha redonda, parecida com um rolamento, e isso me desestabilizou.
  • Médico: Ah, claro, a pedrinha te deu uma rasteira, aí pra aliviar sua dor resolveu tirar a calça e cair no pepino...
  • Paciente: Deixa eu continuar, porra! Eu dizia que tropecei na pedrinha de cimento e meio que ela movimentou minha perna para frente, e eu acabei pisando na barra da calça.
  • Médico: Estava usando calça jeans?
  • Paciente: Sim. Exatamente isso, eu pisei na barra da calça ali da perna que desequilibrou, e isso enquanto o corpo caía para trás. Ao fim, com a pisada na barra da calça e o movimento contrário de meu corpo, foi calça e cueca pro chão, até saiu meu sapato do pé ali naquela hora, fiquei com o pinto de fora.
  • Médico: Bom, nisso eu até acredito que possa acontecer, é possível, mas não justifica o pepino ali dentro de seu intestino.
  • Paciente: Aí que vem a parte dark. Enquanto eu estava desequilibrado, com as partes à mostra, e caindo sentado, lá na construção, ali ao lado de onde eu tropecei, um construtor deixou cair parte de sua marmita no chão, incluindo um pepino grande.
  • Médico: Ah tá, quer dizer que o peão deixou cair um pepino gigante da marmita?
  • Paciente: Sim...
  • Médico: Ah, claro, certamente ele iria comer o pepino desse tamanho como se fosse um enroladinho de salsicha, decerto...
  • Paciente: Não sei, não estou brincando, tanto que depois ele foi ali me ajudar quando viu que havia uma comoção geral em me resgatar daquela situação. Certamente ele tinha uma faca, iria fazer, ou melhor, iria cortar o pepino em rodelas depois, pra comer com a boia.
  • Médico: Bom, digamos que até aí a história seja real. E o fato de você cair sentado nessa droga de pepino? O pepino agora é um gato, que cai em pé? Se enfiar um pepino no cu do gato, vira uma turbina, é isso?
  • Paciente: Não, por favor, não é que o pepino tenha caído em pé. Quando o construtor deixou parte da marmita cair, derrubando o pepino, o vegetal ali caiu em linha vertical. Foi uma queda livre, e o pepino caiu em linha reta, realmente, não caiu girando. O formato do pepino o transformou num projétil disparado ao solo.
Deve ter sido isso que o pobre pepino viu antes de falecer asfixiado
  • Médico: Ah sim, o foguete Pepinov III...
  • Paciente: Sério, eu sou engenheiro, eu sei do que estou falando.
  • Médico: Aí ele caiu no solo e cravou ali, tipo o martelo do Thor?
  • Paciente: Não, aí que está o pulo do pepino, digo, o pulo do gato. Ao atingir o solo, houve um efeito de colisão de corpos, vide a terceira lei de Isaac Newton.
  • Médico: Não sei qual é.
  • Paciente: Ação e reação.
  • Médico: Ah, sim, a reação do pepino foi a de entrar no seu cu então?
  • Paciente: Quase isso. Enquanto o pepino era quedado e estava em direção ao solo, eu estava caindo ao chão. Ao tropeçar meu corpo foi arremessado para trás devido à força de atrito e o desequilíbrio.
  • Médico: Vai direto ao ponto, esse papo tá extremamente chato.
  • Paciente: Pois bem, ao atingir o solo de forma reta, como eu disse, o pepino quica ali no solo levemente, devido à geometria do vegetal, mas devido à energia potencial do elemento, ele tem tempo de dar uma quicada, suficiente para se manter em pé por alguns segundos, caindo diagonalmente, em direção ao meu pobre cu virgem.
  • Médico: Digamos que, depois dessa situação, você já não é mais isso he-he.
  • Paciente: Então, o pepino se preparava para cair totalmente ao chão, indo diagonalmente, ficando ali num ângulo tangente, digo, uns quarenta e cinco graus, acho que um pouco menos, diria uns trinca e cinco graus, meio que levemente inclinado, e mantendo o atrito de sua ponta no solo.
  • Médico: Zzzzz... Dá uma agilizada aí.
  • Paciente: Ficou tipo uma lança apontada para cima, mas levemente recuada, tipo aquele símbolo do masculino, sabe?
  • Médico: Ah, sei.
  • Paciente: Pois bem, nessa posição o pepino estava, e eu estava caindo sentado, lançado para trás. Você sabe, sendo médico, que o cuzinho é meio diagonal também, aí mermão, junta pepino com cu, e cá estou aqui.
  • Médico: Porra, na verdade eu até começo a acreditar na história, parece crível. E ainda entrou sem nem um cuspezinho pra ajudar.
  • Paciente: Sim, por isso me arregaçou tudo por dentro. E foi o que ocorreu. E agora, o que fazemos, doutor?
  • Médico: Abrirei seu ânus pelo períneo, uma leve incisão, e retiro esse fruto de dentro de você. Já vou encaminhá-lo à emergência anal.
  • Paciente: Obrigado! Eu menti, eu quis mesmo enfiar o pepino no cu, MWAHAHAHAHAHA!