Desmanuais:Autoajuda para você elaborar um autoajuda e ganhar muito dinheiro com isso

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Este artigo é parte dos desmanuais, seu acervo de instruções livres de conteúdo. Nuclear-explosion.jpg

Típico autoajuda. É possível perceber, olhando de longe, como o conteúdo deve ser rico em conhecimento.

Cquote1.svg Não é fácil ser complicado. Cquote2.svg
Oscar Wilde sobre Autoajuda
Cquote1.svg Me ajudou muito. Depois de ler os 10 passos das pessoas felizes, minha vida deu um giro de 360 graus. Cquote2.svg
Carla Perez sobre Autoajuda
Cquote1.svg Já limpei muitas vezes a minha bunda com este tipo de leitura. Cquote2.svg
Chuck Norris sobre Autoajuda


Autoajuda[editar]

Autoajuda do Parreira, lançado enquanto era técnico da seleção Brasileira, que foi eliminada nas quartas-de-final na Copa de 2006, com o seu famoso e imbatível Quadrado Mágico. Também demitido em julho de 2009 do Fluminense por não conseguir qualquer resultado para o time. Presente ideal para sua sogra, ou para calçar a geladeira...

Autoajuda consiste em uma panaceia de livros inúteis relacionados a Psicologia, Administração, Economia (é o que dizem os livros de autoajuda, pois essas profissões não reconhecem a sua utilidade), entre outros ramos, com o objetivo de que o leitor possa ajudar a si mesmo após ler seu conteúdo. Mas na verdade nada mais é do que uma linhagem de literatura fútil, pedante e lucrativa para as editoras, tendo como público alvo a população de classe média ignorante e frustrada com sua atual condição de vida e principalmente financeira, em que busca nesses livros a solução de problemas insolúveis por meio desses livrinhos rasos e seus conselhos inúteis. O único público realmente beneficiado com esses livros são os editores e os autores dessas bobagens, entre eles estão situados algumas personalidades desse ramo, como; Paulo Coelho, Lair Ribeiro, Augusto Cury, Içami Tiba, Zibia Gasparetto, Roberto Shinyashiki entre outros autores que faturam milhões com suas verborragias periodicamente lançadas para os fiéis leitores da revista Veja e demais jornalecos. E este superguia, que também se trata de um autoajuda, você aprenderá em poucos passos bem simples a fazer o seu próprio autoajuda para ganhar dinheiro com uma penca de trouxas...

Nos livros de autoajuda você encontra qualquer coisa, menos solução para seus problemas, na qual estes livros possui grande utilidade para sua amiguinha chata que monta um monte de slides gays fofinhos com fotos de cachorro, gato, coelho e o diabo a quatro, com as frases e conselhos que impraticáveis desses livros, que também tem a sua inutilidade em Dinâmicas de Grupo que são aplicadas por psicólogos retardados nas empresas, seja na seleção do candidato onde uma centena de pessoas disputam uma vaga, na qual devem se abraçar ao som da Enya, ou durante as fases de integração de pessoal no setor, onde colegas que se matam por uma promoção devem se fazer de amigos e refletir sobre essas frases inúteis nas dinâmicas, além da sua utilidade nata como presente para pessoas detestáveis, como sogra, chefe, cunhado entre outras malas que atormentam a sua vida e fazem da sua existência um inferno cotidiano...

Constituição de um livro de autoajuda[editar]

Qualquer idiota pode escrever um livro de autoajuda, e quando digo que qualquer idiota pode fazer isso, é a mais pura verdade, até você tem potencial para isso, desde que seja letrado ou que possa pagar para alguém escrever por você. Exemplo disso é o ex-técnico da seleção brasileira Parreira, que tem uma vasta experiência de fracassos com vários times, entre eles a seleção da África do Sul (que já foi comandada até pelo Joel Santana, contratado para consertar suas besteiras), a seleção brasileira na copa de 2006 que vergonhosamente perdeu nas quartas-de-finais para a França com seu Quadrado Mágico, na qual o Roberto Carlos ajeitava o meião enquanto o França cobrava o pênalti, além da sua trajetória fiasquenta no Fluminense. Bom, mas já citei exemplo demais, se ainda tem curiosidade sobre o Parreira, veja o seu artigo.

Outro escritor ilustre de bobagens é o Psiquiatra Içami Tiba, que ganha milhões todos os anos por escrever bobagens que vende milhões de exemplares, como o seu livro "quem ama educa", que tira toda a funcionalidade de ser mãe, ao colocar o seu papel como uma ação previamente estabelecida e planejada, ou seja, não precisa ser mãe já que existe "manual de instruções para isso", basta seguir os procedimentos indicados pelo Psiquiatra que passou a vida inteira em um manicômio e sequer pegou um bebê no colo em toda a sua existência, mas afinal, ele é médico, então sabe o que diz (é o que as pessoas pensam pelo menos). Seguindo seus procedimentos, até seu cão está apto para cuidar do seu filho, desde que seja bem treinado com os procedimentos do livro.

  • Como montar um livro de autoajuda?
Exemplo de liderança e sucesso, após colocar Roberto Carlos para ajeitar o meião enquanto a França batia o pênalti na Copa de 2006...

Bom, o procedimento é simples. Se você é famoso, não precisa ser uma mala nacionalmente reconhecida como a Hebe ou o Faustão, pode ser um ex-BBB, ou um representante de comunidade do seu bairro, basta você preencher no mínimo umas 70 páginas com uma idiotice qualquer de sucesso que você tenha promovido, pode ser uma festa de aniversário, uns catos na sua vizinha gostosa, ou uma gambiarra bem elaborada no decorrer dessa sua vidinha medíocre, o seu nome já basta para vender. Se não tiver uma história de sucesso, invente, já que o seu livro será tão importante quanto a influência da lua na menstruação das ostras, o assunto não importa, o que importa é um nome style e uma capa bem-elaborada para agradar uma porção de tapados como você que não tem muita coisa útil para fazer neste mundo, e por isso resolveu escrever idiotice, enquanto tem idiotas ainda mais desocupados disposto a ler suas bobagens.

  • Formação

Item desnecessário, mas se você tem faculdade de Psicologia, Medicina, Administração, Psiquiatria, Psicanálise, ajuda a dar credibilidade ao seu trabalho para os tapados que irão ler seus livros (exceto esses profissionais, mas isso não importa, afinal, o que você quer é dinheiro, pois escrúpulos não paga suas contas). Se não tiver formação nessa área, não tem problema, qualquer outra formação serve, mesmo que seja Contabilidade ou Astrologia, você pode ensinar as pessoas a serem felizes do mesmo jeito (ou não), exemplo disso é a Ana Maria Braga que escreveu um tratado sobre o câncer enquanto estava em tratamento, mesmo não sabendo a diferença entre um tumor e uma traqueostomia. Mesmo que você seja semianalfabeto, não tem problema, você pode inventar a sua formação, como fazem a maioria que se dizem; "especialistas em pessoas nos seus diferentes papéis"; "especialista em aconselhamento estratégico para executivos de alto nível", etc. Ou você acha que tem faculdade disso?.

  • Que tema usar?

O tema pode ser qualquer um, mas o que mais vende normalmente é; Felicidade, sucesso, dinheiro, carreira, emprego, amor, enfim, existe uma variedade de temas que você pode usar para enganar uma penca de trouxas, basta escrever qualquer bobagem com qualquer tema, ou com um desses indicados nesse parágrafo. Se você não tem nenhum assunto ou tema, por mais idiota que seja, pode-se utilizar frases prontas, e monte páginas com belas imagens de ursinhos, elefantes, leões, enfim, qualquer mamífero fofinho para ilustrar páginas vazias e sem conteúdo, na qual você pode colocar frases como; "Dê uma cochilada"; "Reserve um tempo para si", "Tenha amigos", "Dê uns catos na sua vizinha", etc. Desde que seja com expressão positivista e animadora, por mais retardado que seja, do tipo; "Se não deu certo, tente de novo"; "Você é capaz"; "A vitória está contigo", entre outras viadagens semelhantes...

  • Que título usar?

O título também é indiferente, basta que tenha um impacto para o consumidor, tipo; "Você é dono da sua felicidade!"; "Seja rico ou morra tentando"; "Faça sucesso com as mulheres"; "Seja dono do seu negócio". Enfim, qualquer merda serve, o importante é chamar atenção.

  • Que conteúdo escrever?

Taí o segredo do autoajuda. NÃO TEM SEGREDO! Basta colocar qualquer bobagem, desde que seja bem-disfarçada com frases e impacto. A seguir você vai conhecer diferentes tipos de autoajuda;

Tipos de autoajuda[editar]

Este livro é a origem de todo o lixo literário que a classe média adora...
  • Sucesso, fracasso, motivação e coisas do gênero - É o tipo de autoajuda bobinho, na qual as verborragias são condensadas em receitas de sucesso, indicando passos para deixar de ser emo, agarrar mulheres, ser feliz, ganhar na loteria, entre outras burrices. Escrever este tipo de livro é muito fácil, você pode juntar aquele monte de emails retardados que você recebe com slides bonitinhos e publicá-los com algumas fotinhas de crianças, animais, famílias, santos, etc. Tudo depende do público alvo a que o livro se destina, se for para jogadores de futebol e atletas em geral, basta que o livro tenha apenas o título na capa e fotos de mulheres, se for para emos e meninas adolescentes o processo é semelhante, mas aí a foto deve ser de marmanjos afeminados abraçando ursinhos de pelúcia ou uma guitarra que não saiba tocar, apenas para fazer a pose de "cool", de alguém que tem personalidade, atitude (mesmo que seja idiota), ou seja, nada mais é do que uma revista capricho transformada em livro. Você também pode usar frases clichê que sempre dão certo para este tipo de literatura como; "Os vencedores persistem, os fracassados desistem"; "Nunca desanime pois a insistência é a arma dos vitoriosos", entre outras babaquices do gênero...
Kama sutra é o melhor autoajuda de todos os tempos, embora você não consiga realizar metade das dicas deste livrinho sagrado...
  • Felicidade, paz, harmonia, guerra - É o tipo de literatura mais rasa e medíocre que existe entre os livros de autoajuda, pois os autores prometem transformar a vida do leitor após desfolhar sua páginas, oferecendo a FELICIDADE, seja lá o que for isso. Estes são os mais fáceis de escrever, pois o senso comum é constante nessa categoria de livros, coisa que você ouve (e inclusive pode anotar para seu livro) do seu porteiro, do taxista, dos operários de fábrica, aquelas típicas frases; "Não desista", "os sonhos não envelhecem" e toda aquela viadagem que você recebe diariamente no seu email. Se você quiser dar uma de "original", pode utilizar frases de alguns poetas e/ou de músicas, nesse caso você pode usar trechos de músicas do Legião Urbana, Cazuza, Engenheiros do Hawaii, Leoni, entre outros, como; "Quem acredita sempre alcançaaaaa..."; "O tempo não para..."; "O preço às vezes é alto demais...", "Precisa ter paciência...". Mas nesse caso é importante respeitar os direitos autorais e pagar copyright, senão todo o lucro dos seus livros irão para as gravadoras, mesmo que você apenas cite essas frases tolas que compõem os principais sucessos desses autistas artistas. Se quiser dar uma "cool", também pode-se utilizar de senso de humor com frases do tipo; "Se o sonho acabou, coma brioches na padaria"; "Viva cada dia como se fosse o último, pois um dia você acerta". É idiota, mas acredite, tem gente que paga por isso e acha engraçado, exemplo disso são os programas de "humor" televisivos que estão no ar a décadas e sempre tem audiência.
Acredite! Este livro pode mudar a sua vida (ou não)...
  • Relacionamentos, sedução, atração - São os livros que tem por objetivo tirar as pessoas do fracasso afetivo nos relacionamentos, também tem uma coletânea de obviedades, por exemplo; a um nerds para pegar mulher, basta aconselhar que este deixe de ficar horas no computador e no videogame, que observe os caras pegadores como se vestem e se comportam e passe a imitá-los, o mesmo vale para uma mulher feia e gorda, na qual o seu livro terá por objetivo a indicação de uma esteticista, como ocorre nos programas de TV que fazem uma recauchutagem nas barangas, induzindo a baranga a ir numa academia, a controlar a alimentação e suas posturas, consertar os dentes e se vestir bem, tratar dos cabelos e da pele, enfim, é um monte de conversa jogada fora, da qual você pode dar respaldo científico a este seu livro mercantil, citando a Veja, o Fantástico, a Folha de São Paulo, enfim, qualquer programinha de TV ou jornaleco de enrolar peixe para dar respaldo às suas afirmações. O mesmo vale se você quiser citar "estudos" de universidades americanas, mesmo que isso nunca tenha acontecido, não tem a menor importância pois seu leitor é tão tapado para comprar este tipo de livro que nunca se dará ao trabalho de conferir a veracidade das informações. Se for citar universidades brasileiras, faça como o Globo Repórter, use o nome de instituições que tenham um mínimo de reconhecimento social como USP ou qualquer outra universidade federal UF(QUALQUER COISA - UFXY, UFCU), nada de citar Uniesquina para isso, pois além de fazer um Merchandising gratuito (ao contrário das federais que não tem fins lucrativos), você estará reduzindo ainda mais o valor do seu livro imprestável com o nome de uma faculdade que nem o seu cachorro faria.
Esse é um dos leitores desse Desmanual que também ingressou no mercado editorial, graças a essas valiosas dicas que você obteve nessas linhas...
  • Magia, atração, poder pessoal - É igual o parágrafo acima, mas com este tipo de livro você tem que agir como o Paulo Coelho e mostrar ao loser que está lendo às suas páginas que ele tem potencial, que a magia, o poder está dentro de cada um (seja lá que poder e onde ele pode ficar), na qual basta a pessoa saber usá-lo, na qual o seu livro irá ensiná-lo passo-a-passo, nem que para isso seja necessário fazer exercícios idiotas como yoga para despertar a magia dentro de si. A base é que a pessoa tem que mentalizar, desejar e acreditar que vai conquistar algo, como uma Ferrari, por exemplo, na qual qualquer pessoa pode ter, basta ela desejar e mentalizar positivamente isso, mesmo que esteja desempregado a mais de dois anos.

Considerações finais[editar]

Mais que uma autoaula, um passo para a sobrevivência...

Agora que você perdeu seu precioso tempo lendo essas verborragias, pois notou que este autoajuda não te ajuda em merda nenhuma, você está apto a ganhar dinheiro como um bom estelionatário faz, então está esperando o que para redigir o seu autoajuda para tirar dinheiro de um monte de trouxas?

Tudo o que você tem que fazer é agir como os pagodeiros, basta ir no banheiro, abaixar as calças e sentar sobre o vaso e desenvolver um monte de merda ideias para pôr no seu livro, na qual você deve por no papel tudo o que produziu para ilustrar seus livros milionários. É importante fazer contrato com uma grande editora e montar uma capa bem bonitinha, pois isso é responsável por 50% do sucesso do seu livro, pois a maior parte deles vão para presente, então nada como uma roupagem bem bonitinha para agradar o trouxa que vai comprá-lo e o otário que vai ganhá-lo.