A.I. - Inteligência Artificial

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
FuturamaBender.gif 01000100 01010000 — · · · — — ·

Este artigo contém altas doses de tecnologia. Isso quer dizer que robôs estão te vigiando para pegar suas informações e dominar o mundo com iPods do mal que derretem cérebros e tocam Michel Teló.

Após o terceiro BIP, corra pra caralho!

Chip.JPG

Cquote1.png Você quis dizer: Pinóquio Americano Cquote2.png
Google sobre A.I. - Inteligência Artificial

"I see dead people!!" -mais uma mentira do Pinóquio high tech...
Puta que pariu!

A.I. - Inteligência Artificial, é o nome de um filme americano, nonagésimo oitavo remake de outros filmes igualmente baseados em "Pinocchio".

Nessa nova versão para Pinóquio, Steven Spielberg preferiu modernizar a história original, adaptando o clássico às angústias profundas do público moderno americano; para isso, demitiu o marceneiro Gepetto e contratou uma equipe de engenheiros mecatrônicos -demonstrando sua grande sensibilidade de capitalista artista.

A sigla "A.I." significa "American Idiot", refletindo o que acontece quando você substitui um pai amoroso por uma mãe cruel, um grilo falante por um gigolô robótico, uma história decente por um pastiche caça-níqueis e uma sociedade de leitores por uma sociedade de boçais.

História[editar]

"Você tem que parar de se drogar, David! Fadas não existem!"

Uma mulher, que teme perder o filho por câncer, resolve comprar outro como estepe. O grande problema é que o andróide-filho substituto é um mala sem alça, que, além de ser imprestável para tarefas que andróides executariam com muito mais facilidade que seres humanos, ainda vive enchendo o saco. Desconfiada de que o moleque-robô é uma versão danificada ou retardada de uma criança comum, a mulher se decide por voltar à empresa para fazer a troca da mercadoria. Mas, quando percebe que o prazo de garantia havia vencido, decide por deixá-la por ali mesmo, no meio da floresta.

A partir daí, quem tem que aguentar a chatice do robô-boca somos nós -até porque mesmo a fada azul some da história, não se sabe se por tédio ou esperteza...


Personagens[editar]

  • David: é o nome do andróide que é o protagonista da história. Para seu papel contrataram um ator bem boiolinha, porque queriam que o Pinóquio continuasse sem se parecer com um menino de verdade. É o único andróide que parece ter menos idade do que demonstra; isso porque seu vocabulário e sua capacidade de dedução se reduzem a uma única frase, exaustivamente repetida durante todo o filme: "Eu quero a minha mãe!".
  • Mãe de David: segundo alguns, é a verdadeira protagonista da história, pois seu nome é pronunciado de dois em dois segundos durante o filme. Trata-se de uma ótima mãe, que é muito amada por seu filho, que, por ter sido cruelmente abandonado na estrada, morre de saudades dela.
  • Ted: parceiro das aventuras de David. Serve para preencher a carência afetiva de David, não se sabe por que orifício. Serve também para comprovar que um andróide programado para ser um menino de 12 ou 13 anos, mas que gosta de ursinhos de pelúcia, só pode estar com defeito de fábrica ou ser um modelo "alternativo"...
  • Andróide Gigolô: não tem uma função específica na trama. A não ser a de realizar tarefas importantes que andróides crianças não poderiam realizar sozinhos, como comprar revistas de sacanagem e bebidas alcólicas. Naturalmente que, como substituto do Grilo Falante, tem também a função didático-literária de ser a consciência moral de David na história –o que faz todo o sentido.
  • Figurantes Coadjuvantes: servem para tapar buracos na trama, deixar o filme menos viajante do que pareceria, mais convincente. Ou seja, exercem a tarefa mais árdua.
  • Fada Azul: aparece nas viagens de David, movidas a óleo de bateria modificado. Recomenda sempre que ele passe por uma clínica de desintoxicação.
  • ALF, o ETeimoso: serve para acabar com essa história definitivamente, comprovando se tratar de uma verdadeira PIADA.