ALH 84001

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Dios1.png Importante! A Igreja Universal quer sua atenção!

Deus quer que este artigo seja ampliado.
Aqueles que o fizerem, serão ajudados pelos seus tentáculos. Os que ignorarem, irão para o inferno pra sempre.
Não seja herege e obedeça a verdade única e divina!

Pinoquio.jpg

ALH 84001 é extremamente mentiroso(a)!
Clique aqui e veja outros narigudos.


ALH84000 foi um asteroide que porrou com a Terra e foi descoberto na Antártida em 1996. Apesar do nome randômico, deu um frisson no rabo de muitos astrônomos e ufólogos, ao se descobrir aparentemente alguns bagulhos que pareciam bactérias fósseis de 4,5 bilhões de anos atrás, e esse pedaço de merda teria vindo de Marte, provando que possivelmente realmente tem - ou pelo menos teve - vida em algum outro canto do universo que não só na Terra, Asgard, céu, inferno e purgatório. Mas de lá pra cá os estudos provaram que a turma fez carnaval demais na NASA em vão, já que no fim ninguém conseguiu provar foi nada.

Cquote1.svg Eis que um asteroide cai na Terra e mata mais de mil! Cquote2.svg
Desciclobíblia 3:14

História da descoberta[editar]

Em 1996 cientistas acharam os restos do bagaço lá no meio do gelo. Depois de muitas análises, a 6 de Agosto de 1996 os caras fizeram uma coletiva de imprensa mostrando que aparentemente tinham uns fiapinhos lá que pareciam ser bactérias. Bactérias essas velhas pra caralho, anteriores até aos Vendozoans e até mesmo que aos coacervados que deram origem à vida na Terra - ou pelo menos é o que a turma da bilologia diz né.

Dizem que Carl Sagan morreu naquele ano dizendo "eu morro feliz por enfim ser comprovado que esses religiosos babacas achando que a Terra é o centro do universo, tomaram no cu seus otários, existe vida em outros planetas", ignorando que no máximo eram umas bactérias a toa e que talvez elas fossem lá da Antártida mesmo e sem querer o meteorito desgarrado simplesmente revelou pro mundo sasporra.

Pesquisas e inconclusões[editar]

Somente alguns poucos cientistas conseguiram, após décadas de pesquisa, acreditar na possibilidade de que esses fiapos de lombriga nas pedras realmente eram bactérias - tanto que criaram uma seita pseudo-ciência vertente da biologia chamada exobiologia, pra estudar com certeza absoluta a existência de vida em outros pedaços do universo.

O resto da comunidade científica começou a achar que aquilo lá tava igual ao Homem de Piltdown, ou seja, uma fraude grotesca, ou pelo menos muita inocência (ou muita erva estragada) dos cientistas malucões lá, pois é óbvio que qualquer rocha que vem do espaço fica com um monte de marquinhas, isso não quer dizer nada. Vai dizer agora que as marquinhas de bronze da morena agora também são provas de vida extraterrestre? Bom, se a morena em questão for meio fora do padrão, até pode ser hein...