Abadia e Altenmünster de Lorsch

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Frauleinpre.jpg Desciclopëdia über alles in der welt!!!

Estä arrtigö é alemon! Issö querr düzerr que ele é parrte dö conspürraçon gerrmänica parra inwadir ö Frankreich por trrás öutrra wez. Non faça scheiße, öu te porremos de quatrro nö cörredorr polonës.

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Isso não tem nada a ver comigo Cquote2.png
Juan Carlos Abadia (o traficante) sobre Abadia e Altenmünster de Lorsch

A Abadia e Altenmünster de Lorsch é uma abadia (!) e monastério, e era uma das construções mais importantes da Alemanha. Era, porque hoje isso não serve mais para nada. Nela estão localizados alguns livros religiosos (a maioria Bíblias e aqueles jornais das missas). Quer dizer, estavam, porque os alemães decidiram retirar os livros de lá para que eles sejam expostos em museus e não sejam destruídos junto com o que sobrou das ruínas da abadia, o que não muda porcaria nenhuma.

História[editar]

O centro dos nerds alemães.

A abadia foi feita por um cara que ninguém conhece e por sua mãe, diretora de uma escola. Naquela época os alunos vagabundos organizavam revoltas com o objetivo de acabar com o chato sistema educacional e eliminar completamente os livros didáticos. Como os colégios já haviam sido tomados pela revolta, os livros e cadernos que ficassem lá seriam destruídos.

Para proteger os livros, cadernos e documentos que sobraram, mãe e filho construíram a abadia. Ela podia ser uma biblioteca, mas foi feita como abadia porque só Deus protegeria os instrumentos de tortura infantil contra a Multidão Furiosa de alunos revoltados com a exploração em sala de aula. A abadia foi dedicada ao santo protetor dos livros, pergaminhos e manuscritos.

Pela concentração concentrada de livros, a abadia se tornou um centro dos nerds alemães, aonde eles estudavam e mexiam nos poucos computadores instalados lá. Como os nerds conseguiram chegar ao poder na Alemanha, eles garantiram muito poder à abadia, considerada uma base deles. Os nerds fizeram um acordo com a Igreja Católica. Esta lhes daria a bênção de Deus e Jesus Negão, e os nerds em troca dariam a abadia para os arcebispos católicos da região.

O que a igreja queria com a abadia, ninguém sabe direito. Provavelmente os religiosos guardaram nela centenas de Bíblias para serem compradas pelos fiéis, dando lucro para a Vossa Santidade El Lord Supremo Bento XVI, permitindo o investimento na aquisição de mais Bíblias, vendendo mais, gerando mais dinheiro. Com o domínio da abadia pelo Papa, ela perdeu importância.

Antes ela era um centro para os nerds de toda a Europa. Agora ela era um mero depósito de livros cristãos para o Império Católico, o que não significava porcaria nenhuma importante. Para piorar a situação da abadia, ela foi tomada pelos protestantes. Se ser um depósito de livros do Império Católico não era nada de especial, imagina ser um depósito de livros dos protestantes, que na época era um grupo minúsculo. A depressão foi tanta que a abadia de Lorsch pediu para ser destruída, e seu pedido foi parcialmente realizado.

Hoje[editar]

Hoje só sobrou umas partes do monastério, que agora é um patrimônio mundial.