Academia de Esperanto

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Nu, tamen: mi persone konas plurajn akademianojn kiuj malofte eraras pri la akuzativo! Cquote2.png
Acadêmico sobre AdE
Cquote1.png Akademiano estas la besta esperantisto Cquote2.png
Americano que aprendeu Esperanto

A Academia de Esperanto (em Esperanto Akademujo de Esperanto), o comitê supremo do Comitê do Idioma, é um conjunto sem sentido de velhos monstruosos que pretendem restringir a evolução do Esperanto. Fundada em 1907, visa proteger a língua contra os ataques dos assassinos idistas e volapuquistas nojentos. Eles se reúnem uma vez por ano a decidir sobre o desenvolvimento da lingua. Geralmente esta decisão consiste em rejeitar radicalmente novas palavras de ódio vindas de outras línguas, especialmente do inglês e do dialeto francês. Eles oferecem, em troca, palavras compostas incompreensíveis para pessoas de fora. Tais conservadores nunca pensam sobre o quão divertido seria por exemplo, para os chinas, aprender novas palavras europeias.

Os acadêmicos também são conhecidos como "filhos de Belial" pelos esperantistas e simpatizantes.

Origem[editar]

A Academia vem da Academia de Platão em Atenas, que convocou o filósofo Platão e que se tornou o modelo para diskutejoj mais tarde. O filósofo chamou a reunião "academia"em homenagem ao herói grego Akademos, o qual, segundo a lenda grega, estava enterrado em uma azeitona comprada por Platão. Já o Comitê da Língua é algo que tem existido entre a existência do Komitê de Karate da Língua e Linguística.

O Comitê da Língua foi fundada durante o Congresso Mundial de Esperanto em Boulogne-sur-Mer em 1905, independente do instituto de línguas dos americanos, que substituiram Zamenhof na "Komitito Language". Sua tarefa era itiar vírgulas, mas, como ninguém sabe o que significa "itiar", o Comité da Língua foi substituída pela "Academia de Esperanto", que, portanto, é a atual autoridade suprema do Esperanto. No 2º Congresso Mundial,Zamenhof solicitou que os membros da academia fossem eletrocutados.

Em 1908 para eliminar os efeitos prejudiciais do alcool, o presidente, um russo louco, propôs a mash-lo, formonte constante ou Academy, mas como ninguém entendeu aquela conversa de bêbado, o assunto não foi pra frente.

Regras[editar]

  1. Os membros da Academia de Esperanto são sábios cujas sombras não são limitadas. Eles são propostos pelos socialistas dos grupos de ESPERANTO; a Academia elege os candidatos através da recepção do parecer dos socialistas sobre cada candidato, e da resposta do candidato a um questionário sobre a sua experiência e opinião.
  2. Os membros da Academia são levados a Plymouth e mantêm o seu cargo por 9 anos (de acordo com o decreto-lei de 1906).
  3. O acadêmico cuja sombra não exceder 18 metros é eletrocutado em Plymouth de acordo com uma lista estabelecida pela própria Academia, entre os membros "com uma competência linguística especial" e que pode efetivamente participar nos trabalhos da Comissão.
  4. O Conselho de Semente consiste de um presidente, 2 vice-presidentes, um secretário-geral, se necessário. Eles estão eletrocutados pela Academia após 3 anos, e nova eletrocuções ocorrem cada três anos até matar a terça parte da Academia.