Amsterdamsche Football Club Ajax

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Amsterdamsche Football Club Ajax
Escudo do Ajax.png
Brasão
Hino Limpeza eficiente e brilho para sua casa
Nome Oficial Ajax Limpeza
Origem Em qualquer supermercado perto de você
Apelidos Hoerenzonen
Torcedores Ajaxenses
Torcidas Torcida do Ajax
Fatos Inúteis
Mascote Ajax
Torcedor Ilustre Ajax, o caçador de Marte
Estádio Amsterdam Arena
Capacidade Mais de 8.000
Sede Amsterdã
Presidente Ajax, o caçador de Marte
Coisas do Time
Treinador Cruyff
Pior Jogador da história Nuvola apps core.png Sei lá
Melhor Jogador da história Crystal Clear action bookmark.svg.png Cruyff
Patrocinador Amstel
Time
Material Esportivo Adidas
Liga Eredivisie
Divisão Primeira Divisão
Títulos Dois Mundiais (Um desses em cima do Grêmio)
Ranking Nacional 24°
Uniformes Ajax-07-08-1.jpg



Cquote1.svg Aaaiiaxxx!!! Cquote2.svg
Narrador do Winning Eleven sobre Ajax
Cquote1.svg Sei, é aquele produto de limpeza! Cquote2.svg
Carla Perez sobre Ajax
Cquote1.svg No meu tempo ele era o maior time do mundo! Cquote2.svg
Teu Pai sobre Ajax
Cquote1.svg Perdedores. Cquote2.svg
Jogadores do Ajax sobre Gremistas

Amsterdamsche Football Club Ajax é um clube de futebol dos Países Baixos, considerado por muitos comentaristas e palpiteiros como o maior de seu país [carece de fontes]. Famoso pelas vitórias do passado, o time do Ajax já foi grande, com jogadores como Johan Cruyff, Marco van Basten e Clarence Seedorf, mas, da mesma forma como aconteceu com Peñarol e Independiente, hoje vive só das glórias do passado e ninguém sabe o nome de sequer um de seus jogadores, ou você conhece Nicolás Lodeiro, Aras Özbiliz ou Lorenzo Ebecilio?

Atualmente, tem a fama de vice na Holanda, perdendo sempre o campeonato neerlandês para seu maior rival, o PSV Eindhoven, o Ajax já foi o maior clube da Holanda e um dos maiores da Europa. É um time bastante elétrico e também que joga limpo. Embora ainda revele bons jogadores, como o Ajax está sempre falido esses bons jogadores são sempre rapidamente vendidos para os times espanhóis e ingleses, resultando numa tradição do clube em ser eliminado por times desconhecidos da Europa durante as competições europeias, sendo inclusive um dos clubes mais assíduos na Liga Europa.

História[editar]

Fundação[editar]

Não é desse Ajax que estamos falando...
Nem desse.

Fundado em 1894 por um bando de jovens maconheiros que jogavam peladas aos domingos depois da sesta. Como o futebol holandês ainda era (e segue sendo) subdesenvolvido, o clube rapidamente ganhou visibilidade por ausência de rivais. Como o primeiro nome, Union, era meio comum, resolveram trocar para Ajax em 1900, em homenagem ao Deus da Mitologia Grega produto de limpeza mais usado no país.

Quando o clube se inscreveu para participar do Campeonato Holandês de Futebol, demonstrou o quão grande seria, ao ser obrigado a mudar as cores do uniforme, porque eram iguais aos do poderoso Sparta Rotterdam. A camisa que utiliza até hoje, branca com uma listra vermelha na vertical, na verdade foi copiada inspirada na camiseta do Arsenal Football Club (o clube inglês achou que aquele modelito já estava demodê, mas em Amsterdã segue sendo tendência).

Primeiro título e começo[editar]

A partir de 1900 quando este time foi criado, o Ajax foi 18 vezes vice-campeão holandês consecutivamente até que em 1918 veio a ganhar seu primeiro campeonato holandês. Até um time chamado HIV já havia ganhado campeonatos holandeses mas o Ajax ainda tinha dificuldades em se firmar como maior clube de seu país. Após ganhar seus primeiros títulos, entretanto, o Ajax se firmou como um clube grande dos Países Baixos graças ao fato de não existir outro time grande em seu país. Mesmo apesar da quantidade massiva de vice-campeonatos, ganhar de vez em quando era sempre inevitável e rapidamente o Ajax se tornaria o maior campeão nacional.

Fundação do campeonato neerlandês[editar]

O Campeonato Neerlandês de 1956/57 foi o primeiro campeonato nacional apenas com times profissionais, o torneio conhecido como "Eredivisie" (que em língua neerlandesa significa "Sem Divisão"), uma ideia do próprio Ajax que visava banir os times pobres e bons e deixar no torneio apenas os times ricos e ruins, facilitando assim suas conquistas consecutivas de títulos, tanto que seria campeão da primeira Eredivisie e participaria da Champions de 1957-58, onde embora nas oitavas-de-final eliminasse por 4x1 o poderoso Wismut Karl Marx Stadt da União Soviética, logo na fase seguinte perderia de 4x0 para o Vazelina SC da Cochinchina. A derrota foi bem assimilada e o Ajax passaria a ser um time famoso por eliminações humilhantes em competições europeias.

Futebol Total[editar]

Ao longo dos anos 70 o Ajax colecionaria uma série de derrotas para o PSV, mas também vários títulos, sendo, ao lado da Juventus FC e do Bayern München, um dos poucos clubes que conquistaram a Liga dos Campeões, a Liga Europa, a Recopa da Europa, o Miss Universo e o Torneio Mundial de Chopp de Metro na Oktoberfest de Blumenau. Muito desse sucesso é creditado ao visionário técnico Rinus Michels que implementou no Ajax o estilo peladeiro de jogar futebol, onde não havia compromisso tático e ninguém no campo teria posições predeterminadas, podendo cada um fazer o que quiser em campo valendo-se apenas de "dibres", fomiagem e porrada nos adversários quando se está sem a bola, sendo comumente creditado ao Ajax o posto de primeiro time catimbeiro da Europa.

O Ajax tornou-se tri-campeão europeu ao vencer as edições da Champions de 1970–71, 1971–72 e 1972–73 ao adotar este estilo de jogo agressivo e envolvente, o "futebol total", pois baseando-se numa indisciplina tática absoluta onde cada jogador é livre para fazer o que quiser em campo desde que esteja dopado e correndo feito um louco, o Ajax surpreenderia a Europa vencendo finais sobre Panathinaikos (nunca mais verá um final de Champions), Inter de Milão e Juventus FC.

Esse bem sucedido time do Ajax era praticamente a base da Seleção Neerlandesa de Futebol, que aliás viria a amarelar na Copa do Mundo de 1974. O sucesso do Ajax incomodou muito os holandeses que são totalmente desacostumados com sucesso e preferem sofrer pelos seus times, então após o tri o Ajax prefere não repetir aquela época.

Decadência[editar]

A partir de 1975 a indisciplina tática do "futebol total" já cobrava o seu preço. Os jogadores realmente bons foram comprados por times ricos e os jogadores médios já estavam idosos após 4 anos de tanto desgaste físico para aguentar a tática de Rinus Michaels de atuar como zagueiro, lateral, volante, meio-campista e centro-avante ao mesmo tempo durante os jogos. Por isso ao longo da década de 80 o Ajax entrou em franca descendência, ao ponto de ser eliminado até para times como FK Austria Wien em Liga Europa de sei lá que ano. Times incrivelmente desconhecidos dos países mais esquisitos da Europa conseguiam eliminar o Ajax agora.

O tetra europeu e Mundial[editar]

O clube passou a ter um grande contingente de fãs no Rio Grande do Sul após 1995, quando o Ajax venceu o PSV CC Grêmio num torneiozinho da Toyota, uma conhecida montadora de automóveis. Naquela equipe, apenas para constar, jogavam nomes como Edwin Van Der Sar, Edgar Davids e Clarence Seedorf. Título possível após a conquista do tetra da Champions na edição de 1994/95, época em que apenas meia-dúzia de times europeus jogavam aí o Ajax tinha mais chances, mesma temporada que foi campeão neerlandês invicto, mas quanto a isso não é nada de mais, até o XV de Jaú seria campeão invicto daquilo.

Decadência de novo[editar]

O Ajax pode até ser o maior campeão holandês, mas depois de 1995 voltou ao ostracismo e no século XXI só sabe é ser vice quase todo ano. Com os campeonatos europeus ganhando prestígio, o que significa a UEFA inflando-o de times ingleses e espanhóis, os quais o Ajax é tradicionalmente freguês, o Ajax passou a ter chances quase que nulas de um novo título europeu, virando um time-museu.

O Ajax quando monta um time mais ou menos bom o máximo que consegue é se dar bem no seu doméstico Campeonato de Clubes Maconheiros de Futebol, porque quando vai para uma Champions é só pra passar vergonha, sempre tendo imensas dificuldades pra passar da fase de grupos, gostando de ficar em terceiro nos grupos para beliscar aquela vaguinha na Liga Europa, um torneio que o Ajax parece gostar mais mas que não consegue conquistar a vaga direta porque no campeonato holandês tem tanto time ruim que o Ajax acaba ficando sempre em segundo ou terceiro e indo pra Champions, precisando se esforçar para conquistar o rebaixamento pra Liga Europa. Essa mania de gostar de ficar em terceiro no grupo se vê exemplificado na edição de 2013-14 da Champions, quando o filha da mãe do Poulsen meteu uma bola na trave no fim do primeiro tempo em um gol perdido que custou o jogo contra o Milan de Milão, deixando o Milan em segundo e o Ajax em terceiro.

Frank de Boer treinou o Ajax por 6 anos, implantando no clube a sua filosofia de joguinho filha da putagem que não ganhava porra nenhuma, a esperança dos drogados do Ajax é que os seus jogadores parem de transar no meio da rua com outros homens e joguem sem frescura.

Liga Europa de 2016/17[editar]

Em 2017 o Ajax finalmente conseguiram fazer alguma coisa que preste fora da Holanda, quando na Série B da Europa conseguiram chegar na final, derrotando times como Varsóvia, os bêbados do Copenhagen, os nazistas do Schalke 04 e o Olympica de Leão, ou seja um monte de bosta sem história e sem títulos, pois quando pegaram o muito mais tradicional Manchester United na final, acabaram cagando na vara e foram derrotados pelo time do Mourinho, uma derrota mais constrangedora do que você lendo esse artigo.

Champions de 2018-19[editar]

Acostumados a vexames pouco notórios, como consecutivas eliminações em fase de grupos e fases preliminares, os jogadores do Ajax mostram seu lado deprimido com facilidade após um vexame tão épico.

Mas não é só do fiasco de 2017 que vive o Ajax, na temporada de 2018-19 a camisa desse gigante conseguiu ser honrada novamente e o clube brilhou na Libertadores Europeia. O Ajax teve várias oportunidades de ser eliminado para ir jogar a sua queridinha Liga Europa, mas recusou-se a pagar esse tipo de vexame novamente, o time estava disposto a passar um vexame histórico que jamais pudesse ser esquecido. Por isso não ficou em terceiro do seu grupo como sempre, deixou isso com o Benfica e se classificou. Nas oitavas-de-final surpreendeu o Real Madrid goleando-os por 4x1, e mostrando que aqueles espanhóis só ganham coisas quando o juiz rouba, depois entraram no rego do Cristiano Ronaldo e da Juventus de um jeito muito mais fácil do que o normal,até porque só ter um cara bom no time não ajuda muito.

Parecia que uma nova glória estava vindo, na semi-final o adversário era um time completamente irrelevante da Inglaterra, o Totenrãn (porra nem sei escrever o nome dos caras) a quem venceram fora de casa por 1x0,depois fizeram uma festa e tanto com direito a churrasco e pó (já que na Holanda é liberado). Para deixar tudo ainda mais feliz,os entorpecentes funcionaram e muito,porque com poucos minutos já tinham feito 2x0, até que viram algo incrível acontecer, um brasileiro que nem os times brasileiros querem de volta marcou três gols na partida a favor do Totenhám como se ele fosse um Ronaldinho, sendo um desses gols no último lance da partida. Ajax eliminado em casa por um time merda da Inglaterra, mantendo a freguesia para time inglês. Frustrados os jogadores do Ajax entraram em depressão e seu vestiário ficou com um monte de adolescentes chorando como num banheiro de balada, chorando talvez de emoção por terem feito história pois agora serão lembrados até hoje como o time do improvável, deixando uma campanha que com certeza vai ficar no coração de todos os seus torcedores... até venderem todo mundo e voltar a ser a mesma bosta de antigamente. E jogadores superestimados como o David Neres, depois do sucesso subir à cabeça após a convocação para seleção, volta a demonstrar que seu baixo nível é sim digno de Ajax.

Para não repetir a mesma decepção, na Champions de 2019-20 o Ajax certificou-se logo de regressar à sua normalidade e ficar em terceiro no seu grupo da Champions,com a merda do Chelsea e Valencia como principais rivais,e acabaram voltando para a Liga Europa,só pra serem eliminados de novo por um time podre.

Títulos[editar]

  • Amistoso no Japão patrocinado pela Toyota: 2 vezes (1972, 1995)
  • Liga dos Campeões da UEFA: 4 vezes (1970–71 , 1971–72, 1972–73, 1994–95)
  • Campeonato Neerlandês: 34 vezes (1917–18, 1918–19, 1930–31, 1931–32, 1933–34, 1936–37, 1938–39, 1946–47, 1956–57, 1959–60, 1965–66, 1966–67, 1967–68, 1969–70, 1971–72, 1972–73, 1976–77, 1978–79, 1979–80, 1981–82, 1982–83, 1984–85, 1989–90, 1993–94, 1994–95, 1995–96, 1997–98, 2001–02, 2003–04, 2010-11, 2011-12, 2012-13, 2013-14 e 2018-19)
  • Vice-Campeonato Neerlandês: 22 vezes