Asahikawa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Asahikawa é uma raríssima cidade da província de Hokkaido que não é habitada apenas por caipiras e velhos. Ao contrário das cidades vizinhas, que perdem habitantes todos os minutos, Asahikawa está conseguindo crescer razoavelmente bem, pois o prefeito de lá investe o dinheiro público em coisas que realmente importam, como a construção de cassinos, restaurantes de miojo e de um zoológico (sendo que as principais atrações deste são os próprios moradores de Asahikawa).

História[editar]

Dia de verão em Asahikawa.

Inicialmente povoada por índios da tribo paunocu, que são (des)conhecidos pelas técnicas de fabricação de afrodisíacos naturais, Asahikawa conseguiu crescer muito em um curto espaço de tempo. Poucos meses após a sua fundação, já tinha conseguido o status de vilarejo, e tinha uma economia estável.

No ano de 1900, com o advento dos hentais, o consumo de afrodisíacos por parte do povo japonês aumentou consideravelmente. Quem se deu bem com essa situação foram os paunocu, que aumentaram em 999% as exportações de seu principal produto, e conseguiram construir uma prefeitura para seu vilarejo.

14 anos depois, o governo japonês, curioso em descobrir mais informações sobre Asahikawa e os costumes exóticos dos paunocu, financiou uma expedição para lá. Após uma caminhada rápida de 140 dias, a expedição chegou no vilarejo, e, logo de cara, enviaram um relatório para o governo, classificando Asahikawa como "Asahikawa-ku" (Cu do Mundo, em japonês).

Em 1922, Asahikawa investiu fortemente no mercado crescente de doujinshis, que estavam fazendo muito sucesso em todo o Japão. Os investimentos deram certo, e, após receber uma bolada de lucros, Asahikawa começou a ser considerada como uma cidade pelo governo japonês.

Depois disso, como não poderia deixar de ser, surgiram alguns rebeldes nas extremidades de Asahikawa, que, descontentes com o sistema, queriam a emancipação de seus bairros. Como possuíam AK-47, peixeiras e Charizards, os rebeldes conseguiram o seu objetivo, e emanciparam Kamui, Etanbetsu, Nagayama e Higashi. Isso causou uma grande queda nos lucros da prefeitura de Asahikawa, mas nada que (ainda) não pudesse ser contornado.

Em 1967, percebendo que a economia de Asahikawa estava cada vez mais afundada, graças às emancipações em massa, o prefeito da cidade teve uma ideia bestial: Abrir um zoológico, usando como atrações os próprios moradores da cidade. A ideia deu certo, e Asahikawa começou a faturar como nunca com o turismo.

Nos anos que se seguiram, Asahikawa continuou sendo obrigada a ceder emancipações, pois seu exército era ridículo. Porém, o zoológico continuou mantendo - E ainda mantém - a economia da cidade estável.

Pontos turísticos[editar]

Vários, já que é uma cidade razoavelmente grande. Por conta disso, alguns habitantes de Asahikawa que são mais inteligentes [carece de fontes] trabalham como guias turísticos.

Clima[editar]

Asahikawa é praticamente o inferno na Terra. Dependendo do dia, pode fazer -100° e matar todo mundo congelado, ou fazer 98° e carbonizar qualquer um que esteja fora de casa.