Azeite

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Churrasco.jpg Este é um artigo gastronômico.

Se precisar, melhore este artigo com a boa vontade do churrasco de pobre.


Cquote1.png Você quis dizer: Diamante em lata? Cquote2.png
Google sobre Azeite
Cquote1.png Muito caro, é raro eu comprar... Cquote2.png
Bill Gates sobre Azeite
Cquote1.png Nunca vi, nem comi, eu só ouço falar Cquote2.png
Qualquer um que tenha uma conta bancária menor que a do Carlos Slim sobre Azeite

Uma frigideira com azeite, para uma fritura mais eficiente de seu prato gorduroso predileto

Azeite é um tempero que surgiu no final da Idade Média quando os hiper-burgueses europeus precisavam combinar tempero a sua comida com a praticidade e conta que temperos comuns não possuíam como a pimenta que tinha que ser importada das Índias ou o açucar que tinha que vim de suas colônias tropicais subexistentes.

Os europeus que sempre tiveram um solo infértil e em seus países sempre cresceram frutas e plantas de gosto azedo, amargo ou venenoso como é o caso da azeitona.

Quando um italiano que havia acabado de tirar sua carteira de motorista atropelou um camponês nas margens do Mar Mediterâneo, notou que as azeitonas esmagadas no local em harmonia com o corpo pútrido do camponês geravam um aroma encantador, ele tomou aquela ideia e fez da azeitona espremida o azeite. O rapaz estava bêbado, logo ele não sentiu o aroma do azeite (não há como sentir o aroma disso) ele sentiu o aroma da cerveja de seu bafo mesmo.

Porém o azeite teve sucesso de uma forma forçada e em detrimento de temperos com gosto mais saboroso, porém que vem de regiões pobres como Brasil, instaurando seu monopólio, a Europa inventou um preço absurdo para o azeite e agora as campinas mediterrânes de azeitona estão bilionárias.

Como é Produzido[editar]

Uma bebida tão saborosa dessas com esse preço tão elevado, logo o azeite não é comida típica nem no Brasil nem em lugar algum.

O azeite é caro pois seu processo leva milhares de anos para ser concluído, sem contar que são necessárias 200.000 azeitonas para produzir 10 mililitros de azeite, e além do mais os europeus são pilantras careiros mesmo e que na verdade o azeite nem temperar direito tempera.

Joga-se todas as azeitonas disponíveis numa bacia gigante de madeira e dois tiozões descalsos começam a dançar em cima das azeitonas espremendo-as, o líquido que ficar embaixo é armazenado e vendido absurdamente caro só por que foi produzido na Europa.

Diante de tão aviltante preço, os chineses inventaram o azeite de oliva falsificado que é vendido nas prateleiras dos melhores supermercados do Brasil, também a preços absurdos, porque o brasileiro só valoriza e compra algo se for caro e ele ficar pendurado no cartão de crédito, afinal ele pensa: o que os meus vizinhos vão pensar de mim se o que comprei foi barato.

Na verdade quem inventou o azeite de oliva falsificado foram os gregos, os chineses só macaquearam a fórmula, depois foi a vez dos brasileiros macaquearem a fórmula dos chineses, e, se você quiser fazer em casa aqui vai ela:

Ingredientes (suficiente para 500mL):

  • 350mL de mijo urina de ontem
  • 135mL de óleo queimado (para onde você acha que vai todo aquele óleo usado que as trocas de óleo ficam? Viram azeite mané!)
  • 22g de coco fezes de galinha ou de porco ou bosta de cavalo, se não tiver nenhuma dessas, use a sua mesmo, o importante é colocar qualquer nerda lá para dar o ponto
  • 2mL de essência de terebentina
  • 1mL de essência de azeite de oliva
  • Cusparadas q.s.p. 500mL

Modo de Fazer

  • Misture tudo em um penico sujo e engarrafe a seguir, enterre a garrafa por três dias, depois é só desenterrá-la, por um rótulo chique informando que é importado das melhores regiões azeiteiras de Xangri-lá, que é extra-virgem, com olivas colhidas ao luar por mãos de virgens e sem contato com o solo, e imediatamente prensadas frias, acidez de 0,001%, e outras frescuras mais, que vão fazer fila na sua porta para comprar tão grande iguaria dos deuses do Olímpo.

Tipos de Azeite[editar]

  • Extra-Virgem: O azeite não foi tocado por ninguém, de família super conservadora, reza todos os dias
  • Virgem-Fino: O azeite passou pelos pés ou mãos de alguém, mas ninguém colocou ela na boca, mas ela colocou a boca em alguém!
  • Semifino: O azeite é meio pastoso e coalhado, que nem a tua vó.
  • Refinado: Usado como biocombustível. Maria gasolina, como sua irmã
  • Puro: Pura na tua família não tem ninguém, então esse tipo de azeite nem passar perto vai!
  • Arrombado: O azeite mais comum, sendo vendido em todas as esquinas, exatamente como sua prima.

A lógica matemática[editar]

Se vocês já acham o Toddynho caro, imaginem então o sacrifício para o brasileiro ter 1 litro de azeite em casa!

  1. Preço médio do Azeite Gallo ou Carbonell 500 ml: 15 reais.
  2. 1 litro de azeite: 30 reais.
  3. Salário médio anual do brasileiro: 2,43 reais.
  4. Preço Médio do Toddynho: 5 reais.
  5. Preço Médio do Toddynho depois de você murrinhar e barganhar muito: 2,43 reais.
  6. Conclusão: A saída é temperar a comida com Toddynho!