Bêbado Faixa Preta

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Cachorro bebado.jpg Cquote1.svg TOMA CACHAÇA, CARAI!! Cquote2.svg

Este artigo tem cheiro de porre! O autor está caído na calçada, gorfando álcool puro. Melhore este artigo e ganhará 6 litros de uísque, mas se vandalizar, será obrigado a tomar uma dose de Natasha!

Cquote1.svg Você quis dizer: Homem com o gogó cheio de cachaça? Cquote2.svg
Google sobre Bêbado Faixa Preta
Cquote1.svg Se você quizer qui eu sau eu sau! Cquote2.svg
Bêbado Faixa Preta e o bordão que conquistou o Brasil.
Cquote1.svg Faixa Preta, doutor! Eu sou Faixa Preta! Cquote2.svg
Bêbado Faixa Preta se apresentando na telinha
Cquote1.svg Agá....uuuuu! Cquote2.svg
Bruce Lee sobre Bêbado Faixa Preta
Cquote1.svg Esse rapaz precisa de um reavivamento! Cquote2.svg
Louco do Lixo sobre Bêbado Faixa Preta
Cquote1.svg É o melhor filme desde o filme do Louco do Lixo! Cquote2.svg
Rubens Ewald Filho sobre Bêbado Faixa Preta

Entrevista com o grande mestre do caratê Edmilson. Notem o olho vermelho do cabra!

Edmilson nascido Jurumin do Ribeirão é um ator, instrutor de artes marciais, filósofo, roteirista, diretor e produtor cinematográfico e cachaceiro, fundador do movimento de artes marciais Virando o Caneco Do. Ele é amplamente considerado por muitos comentaristas, por críticos, pela mídia e por seus colegas de boteco como o cachaceiro/lutador de artes marciais mais influente do mundo e um ícone cultural. Inspirado nas técnicas de Bo Rai Cho e Chin Gentsai, ele percorreu todo o oriente aprimorando sua técnica.

A FAMA[editar]

Professor Pasquale comentando sobre as palavras erradas do Bêbado Faixa Preta

Edmilson tornou-se uma figura icônica em todo o mundo, particularmente entre os pés-inchados, depois de encher o gogó de cachaça e tentar colocar vala com sua sobrinha. E após ser detido pela polícia o mestre do caratê ensinou em rede nacional como escapar de algemas usando sua habilidade de faixa preta.

O FILME (Comentários Rubens Ewald Filho )[editar]

Em 2010 a grande aventura do mestre do karatê virou um delicioso filme patrocinado pela industria da cachaça. O filme procurou ser fiel ao boletim de ocorrência que foi registrado na 171º Delegacia de Proteção as Sobrinhas. O filme começa com a chamada sencionalista do Reporter de porta de cadeia que já é um aperitivo do da baixaria que vai rolar. O reporter diz que o indivíduo encheu o gogó de cachaça e quis botar vala com a sua sobrinha. Na cena seguinte, o grande ator que interpreta o servente bêbado ao ser perguntado o que tinha bebido, responde com a mesma convicção do original: PINGA! Como todo bom filme, a história parte para as complicações, e o bêbado faixa preta ao ser perguntado o que aconteceu se entrega logo no ínicio, e declara que disse para a sobrinha: Eu falei uma palavra muito errada pra ela, dotô!. Acuado pelo reporter, o desafortunado servente tenta remendar a história, com uma desculpa esfarrapada que não cola muito, dizendo: Eu jamais iria querer uma coisa cocê!. Vendo que a casa caiu e vai ser jogado no meio dos presos que adoram bunda de quem coloca vala com sobrinha, o bêbado faixa preta apela e tenta a tática de mostrar que é macho, e diz: "não tô arrependido de nada!". Como última cartada o servente Edmilson diz (notem que ele já esta quase chorando) que é faixa preta de caratê e declara: Se eu quiser eu "sau" dessas algemas! Qué vê!?. O reporter sencionalista não podia deixar de ver essa cena e o filme entra no climax, com o servente carateca rolando pelo chão tentando se soltar. O final é surpreendente. O carateca termina o filme deitado no chão com as algemas ainda mais apertadas. Repare numa parte da cena que mais emociona é quando o grande Faixa Preta, com todo o seu infinito conhecimento marcial e canavial, ainda pede ajuda ao reporter (Uma grande demonstração de humildade, não é?) E vendo sua história ir por água abaixo aceita sua condição. E quando o reporter sencionalista lhe pergunta como iria ficar sua faixa diz: Vai tê rebaixar...fazer o que?

Assista o filme com direito a erros de gravação.

Ver também[editar]