Bandeira de Pernambuco

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Pernambuco
Bandeira de Pernambuco.png

A bandeira de Pernambuco é um dos símbolos do estado de Pernambuco, uma demonstração básica de como esse povo é acolhedor e aceita todos como iguais, já que na mesma bandeira aparecem símbolos do cristianismo, do comunismo e até do movimento LGBT. Sua forma básica são duas colunas horizontais, uma bem grande e azul bebê, e a outra toda branquinha, e no meio disso tudo uma estrela, um arco-íris, um solzinho da Rihappy e uma cruz avermelhada. Pra muitos ou seja, pros pernambucanos essa é a melhor bandeira do Brasil, o que obviamente é uma opinião demasiado ridícula, já que só pode advir de gente metida a besta que se acham os gostosões do país.

História[editar]

A origem dessa flâmula espalhafatosa advém da Revolução Pernambucana. Marcava justamente a união de diversos grupos dentro daquela revolução, juntando uma pá de gente dos mais diversos tipos, desde uns padrecos mais revoltadinhos até umas pessoas que queriam sair do armário em paz. Obviamente essa bandeira foi ignorada solenemente após o fim da revolução e o retorno de Pernambuco à condição de capitania, e o mesmo permaneceu na fase provincial. Só alguns anos após a Proclamação da República, em 1917, que a bandeira foi resgatada pelo governador Manuel Antônio Pereira Borba e desde então passou a enfeitar todas as festas de carnaval do estado, principalmente as sombrinhas das passistas de frevo do carnaval de Olinda e as calcinhas de dançarinas de brega funk.

Significados[editar]

O azul simbolizava o de sempre, o céu (criatividade zero), a cor branca era pra simbolizar uma coisa que os pernambucanos nunca deram pro resto do país que é paz. O arco-íris simboliza uma união com todos, independente do que eles dão ou deixam de dar. Originalmente eram três estrelas acima do arco-íris, mas Paraíba e Rio Grande do Norte simplesmente tacaram o foda-se pra uma união com os pernambucanos, daí ficou só uma estrelinha, que depois disseram ser referência à Denebakrab, a estrelinha da união da Bandeira do Brasil, só pra despistar qual era a ideia real dos pernambucanos até hoje de dar um pé na bunda nos brazucas. A cruz representava obviamente a devoção ao Inri Cristo, em referência a Ilha de Vera Cruz ou Terra de Santa Cruz (os nomezinhos que inventaram de dar pro Brasil antes de ficar só esse nome mais pobre mesmo, sem a pompa de outrora). E por fim o sol representa o calor desgraçado dessa terra, não a toa escolheram aquele sol com a cor bem forte, não deixando negar de jeito nenhum o quanto Pernambuco é quente pra caralho!

Em 2020 o governador Paulo Câmara decidiu trocar a bandeira pelos brasões dois três únicos times de futebol que alguém lembra vindos de lá, o Popóti, o Nauticu e Santinha, além de dar ainda mais ênfase àquele detalhe final do último parágrafo citado...

Ver também[editar]