Barbados

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
The Barbados
La République Bananière Française
Ilha de Barbados
Bandeira de Barbados
Brasão de Armas de Barbados
Bandeira Brasão
Lema: Que barbada!
Hino nacional: Barba e Industria!

Localização de Ilha de Barbados

Capital Bridgetown Rihannatown
Cidade mais populosa Barbatown
Língua Português, Barbês e de vez enquanto o Inglês
Religião oficial Seita dos Bárbaros
Governo República Barbástica
 - Quem manda Lula
Heróis Nacionais Rihanna,Pelé e Capitão Sarcasmo
Área  
 - Total 431 km² (!) km² 
 - Água (%) 1
Analfabetismo Alto  
População 100.000 barbudões 
PIB per Capita 500 reais (obtido com a venda de Gillette) 
IDH 003 
Moeda Cavanhaque real (CR$)
Fuso horário Meridiano de Darkwich
Clima Quente e sufocante
Website governamental Barbados


Cquote1.svg Prefiro os que não tem barba. Cquote2.svg
Xuxa sobre Barbados
Cquote1.svg Companheiros! Cquote2.svg
Lula sobre Barbados
Cquote1.svg Ho ho ho! Cquote2.svg
Papai Noel sobre Barbados

Barbados é mais uma dentre a porrada de republiquetas existentes no Caribe que se localiza no meio de uma porrada de ilhas da América do Meio. Esta localizada a leste de Santa Lúcia e de São Vicente e Granadinhas, ao norte de Trinidade e Tabaco e Granadas, ao oeste de Cubão e Jamaica e ao sul de Porto Pobre e das Ilhas Cai não. Barbados possui 280.000 habitantes e isso é coisa pra caramba.

História[editar]

Antiguidade[editar]

Nativo e líder da tribo que inspirou os portugueses darem esse nome pra ilha.

A população original de Barbados eram os chamados Saladoides, Aruaques e Caraíbas, e estes só existe hoje como uma estampa de camisa para turistas. Não apenas eles, mas a cultura deles há muito se esvaiu e hoje não passam de estampas sem alma em souvenires à venda por comerciantes exilados britânicos por um Dólar de Barbados. Os saladoides, como o nome sugere, eram uma proeminente tribo de canibais vegetarianos que substituíram sua dieta canibal por seres humanos inteiramente feitos de soja e tofu. Os Aruaques eram metaleiros, não no sentido musical da palavra (afinal em Barbados só tem fã de música pop) mas no sentido de fazedores de panelas de aço. Os caraíbas eram os mais famosos e mais dominantes por serem os detentores da tecnologia da carabina. A única característica comum a esses povos é a falta de domínio da tecnologia das giletes, dos barbeadores e da cera de pilação.

Colonização[editar]

Os portugueses foram os primeiros a chegarem naquela ilha e não tiveram dúvida em chamá-la de ilha de Barbados quando, acostumados às índias lisinhas e depiladinhas da América do Sul que tanto os encantaram, se depararam com os nativos dessa ilha completamente desprovidos da arte da depilação, uma arte que aliás é comum a tantos povos, dos maias aos egípcios, mas que os barbadenses nunca aderiram. Os portugueses tentaram depilar os barbadenses, mas isso apenas os contagiava com varíola e uma grande mortalidade assolou a ilha. E assim os portugueses não aguentaram essa ilha nefasta e assim os espanhóis intervieram logo em seguida. Os espanhóis escravizaram o povo remanescente, porque Deus assim o quis segundo alguns freis mais fervorosos, e enviaram todos os nativos para outras ilhas para trabalhar nas plantações lá.

A visita da Espanha teve resultados decisivos. Os anteriormente bárbaros nativos, percebendo que havia terra fora de sua ilha, zarparam e descobriram o vasto mundo ao seu redor. Em meados do século XVIII os barbadianos colonizaram a Grã-Bretanha, a Irlanda e a costa oriental de onde hoje em dia localiza-se os Estados Unidos. A Revolução Americana que estourou em 1776 visou e logrou tirar a ilha de Barbados das 13 colônias norte-americanas, embora quase que como uma compensação, a nação insular conseguiu obter controle sobre grandes áreas do Canadá ao derrotarem as tropas francesas em Quebec. O Império de Barbados atingiu seu apogeu em meados dos anos 1900 quando metade da superfície terrestre do mundo estava sob o jugo de Barbados numa época dourada conhecida como "belle époque" onde todos os homens tinham barba e bigode. A Rainha, residente do Palácio de Bridgetown, governou por décadas seu vasto império, inclusive testemunhou o surgimento do feminismo e a popularização mundial de mulheres não rasparem as axilas.

A ascensão do Império Alemão unificado depois de 1870 foi considerada uma ameaça em Barbados, especialmente quando a Alemanha começou a fundar colônias nas partes da África tradicionalmente controladas por Barbados e pela aliada França. A Alemanha também começou a construir sua marinha em Kiel, uma afronta direta à Barbados que tinha a marinha mais poderosa da época. Em 1914 a Alemanha tornava obrigatório o uso da gilete e do barbeador, o último ultraje que levou ao início da Primeira Guerra Mundial naquele mesmo ano . Embora a Alemanha tenha sido derrotada em 1918, a economia barbadiana sofreu muito durante a guerra e o Império Barbadiano começou a mostrar sinais de deterioração. Muitas colônias do Caribe, da África e do Pacífico começavam a demonstrar insatisfação com o excesso de pelos faciais.

Independência[editar]

Embora Barbados também tenha vencido a Segunda Guerra Mundial, o conflito desferiu um golpe devastador em seu império. O primeiro-ministro de uma das colônias de Barbados, Winston Churchill, se opôs à independência da Índia, temendo que isso pudesse causar o colapso de toda a economia barbadiana. No entanto, a Índia egoistamente declarou sua independência em 1947 e, seguindo seu mau exemplo, durante as duas décadas seguintes inúmeras colônias anteriormente controladas por Barbados tornaram-se independentes uma após a outra. A Grã-Bretanha foi uma das últimas a receber a independência formal em 1966.

Apesar de ter retrocedido para uma ilhota de 431 km², Barbados ainda mostrou que está pronto para defender os restos de seu império disperso quando uma junta militar argentino tentou capturar uma colônia de Barbados chamada Ilhas Falkland lá no sul Oceano Atlântico no início dos anos 1980, Barbados rapidamente recuperou o controle sobre sua preciosa ilha ao derrotar a capenga marinha argentina.

Geografia[editar]

A vegetação de Barbados é totalmente constituída de grandes árvores que contém a Barba de Velho, uma das matérias primas mais utilizadas na América do Meio. Para se ter uma ideia, a árvore barba de velho é usada em Barbados igual como o petróleo é usado nos Estados Unidos da América.

Em questões marinhas, nas áreas litorâneas as algas estão dando lugar à pés de Barbeira, uma árvore que tem como fruto a Barba.

O país agora sofre também com os problemas ambientais. Desde 2005, o país não comporta mais a demanda de barba jogada fora pelos habitantes, são aproximadamente 5 bilhões de toneladas de barba todos os dias. A única solução que o governo de Barbados encontrou foi queimar o excesso de lixo barbear, contribuindo assim para o encaloramento global.

Política[editar]

Barbados é um país do Caribe soberano conhecido no cenário internacional por atualmente ser fortemente comunista, tanto que por muitos anos os donos da Ilha de Barbados que formavam seu triunvirato eram Rafinha Bastos, Cauê Moura e PC Siqueira. Apenas pelo mero fato de serem barbados, os três donos da Ilha de Barbados se sentiam no direito de falar um monte de merda na internet, embora existisse um séquito de bobos-da-corte que aplaudiam esses três.

Em 2020 a liderança da Ilha de Barbados passou por uma grave crise onde o parlamento debateu a legalização da pedofilia que foi rejeitada por 2 votos contra 1. O parlamentar PC Siqueira, derrotado no debate, foi unilateralmente traído pelos amigos e expulso da Ilha de Barbados. Desanimados, Rafinha Bastos e Cauê Moura abandonaram a Ilha de Barbados e desde então a ilha se encontra sem lideranças, em total anarquia.

População[editar]

Um habitante de Barbados.

A população de Barbados soma mais de 250 mil habitantes. Essa população é composta por vários grupos étnicos que vieram de várias partes do mundo há milhares de anos, mas existem duas principais ascendências de ancestrais no país: O Homo barbadus e o Homo gillettis. Hoje em dia os barbados tem uma das melhores qualidades de barba do mundo, o que deixa o país em segundo lugar no ranking de países mais sem noção e bizarros da ONU, perdendo apenas para o Peru nesse quesito, porque ninguém merece viver num país cujo nome é um órgão genital.

Subdivisões[editar]

Barbados subdivide-se não em estados, nem em províncias, nem mesmo em distritos. A ilha subdivide-se em paróquias, porque numa ilha isolada não é necessário democracia, é possível apontar o governador através da indicação de um padre, afinal são pessoas confiáveis e que só vão querer o bem.


Economia[editar]

As principais indústrias em Barbados são a cana-de-açúcar, giletes, e o turismo. A renda per capita média é de espantosos US $ 10.000.000 por ano, mas esse assustador índice ocorre graças à cantora pop Rihanna que representa cerca de 90% do PIB total do país. Cálculos mais sérios precisam remover a conta bancária da Rihanna do cálculo do que se obtém cerca de US$ 7.000 per capita, o que ainda é bastante alto porque cada hospedagem em qualquer hotel local é esse tipo de fortuna.

Com seus 250.000 habitantes, Barbados é o maior consumidor de Gillette Prestobarba Excel do mundo e também sede da Gillette. O principal produto de exportação é o Creme de Barbear que, dependendo do país importador, é feito com aromas especiais. O Brasil por exemplo, importa no aroma Shit. O país também exporta matérias primas como barba de velho para a América do Meio, Brasil, Europa e o México.

Na década de 1960, a economia barbadiana floresceu tanto que ao invés de usar carteiras ou bolsas para transportar o dinheiro as pessoas tinham que usar carrinho de mão para carregar tantas notas valiosas. O ministro da economia de Barbados, Gerald Bull resolveu a situação construindo um canhão que poderia disparar esse dinheiro a uma altura de até 180 km - o chamado canhão HARP. Com o uso do aparato, vários milhões de dólares barbadianos foram desperdiçados até a década de 1990, mas a inflação sempre se manteve sob controle na ilha.

Turismo[editar]

Barbados obviamente é um famoso destino turístico pois é uma das raras ilhas do Caribe que realmente não tem lixo no mar e famosos dos Estados Unidos gostam de visitar o país para despejar por ali uns milhares de dólares. O calor desgraçado que faz na ilha é o grande atrativo, por isso é muito comum pessoas que não tem dinheiro para pagar um cruzeiro marítimo para Barbados apenas visitar Bangu, fechar os olhos, e sentir aquela insolação tomando conta dele até desmaiar.

Cultura[editar]

Rihanna quando ainda cantava só na Ilha de Barbados.

Barbados é até uma decepção quando visitada, pois nem todos habitantes da ilha tem barba, principalmente as mulheres. O nome da ilha é uma baita propaganda enganosa.

A população nativa de Barbados foi completamente exterminada, então meio que não existe algo que possa ser chamado de "cultura local". A única coisa que os barbadianos tem para oferecer são umas camisetas com palavras aleatórias que eles alegam significar alguma coisa num idioma primitivo que ninguém mais fala. Fora isso, a mistura de ex-colonos e ex-escravos que vivem na ilha apenas tentam fingir que existe alguma cultura ali, fazendo uns festivais genéricos e umas roupas genéricas que na verdade copiaram de alguma outra ilha do Caribe.

A única coisa que genuinamente se destaca na cultura de Barbados é a sua dança. A dança barbadiana consiste em corpos se controcendo como se fossem lagartixas reumáticas com câimbra num ritmo composto por batuques aleatórios. A principal artista expoente desse estilo é a mundialmente famosa cantora Rihanna cujo hit Shain like anheim Diamond em estilo 100% barbadiano conquistou a América com sua voz fanha típica de queme stá com a garganta entalada por pelos de barba.

Flag-map Barbados.png Barbados
HistóriaGeografiaDemografiaPolítica
SubdivisõesEconomiaMoedaTurismo
CulturaBandeiraBrasãoHino
Superclassico das Americas.gif
América
v d e h

América Central: Antígua e Barbuda | Bahamas | Barbados | Belize | Costa Rica | Cuba | Dominica | El Salvador | Granada | Guatemala | Haiti | Honduras | Jamaica | Nicarágua | Panamá | República Dominicana | Santa Lúcia | São Cristóvão e Nevis | São Vicente e Granadinas | Trindade e Tobago


América do Norte: Canadá | Estados Unidos | México


América do Sul: Argentina | Bolívia | Brasil | Chile | Colômbia | Equador | Guiana | Paraguai | Peru | Suriname | Uruguai | Venezuela


Territórios: Anguilla | Aruba | Bermudas | Bonaire | Curaçao | Groenlândia | Guadalupe | Guiana Francesa | Ilhas Cayman | Ilhas Falkland | Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul | Ilhas Turcas e Caicos | Ilhas Virgens Americanas | Ilhas Virgens Britânicas | Martinica | Montserrat | Porto Rico | Saint-Barthélemy | Saint Martin | Saint-Pierre e Miquelon | Sint Maarten