Beastie Boys

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Judeu0.jpg Cadê o moedinha?

Este artigo é judeu! Ele odeia alemães, foi escolhido por Javé e não come lagosta porque é caro e anti-kosher. O autor deste artigo provavelmente é contador e deve estar cuidando da lujinha.

Beastie Boys
Beast-boys-show.jpg
Eles são fãs de Power Rangers.
Origem Tibet
País Nova Iorque, Israel
Período 19698299
Gênero(s) Hip Hop, Pagode, Techno
Gravadora(s) Ganja Records
Integrante(s) Uns dois ou três
Ex-integrante(s) Vários...
Site oficial Staggering Beauty

Cquote1.png Você quis dizer: Backstreet Boys Cquote2.png
Google sobre Beastie Boys

Os Beastie Boys (Versão Brasileira, Herbert Richers: Meninos Bestas) são um grupo de Hip hop, Pagode e Techno Israelense de Nova Iorque. Os seus membros principais são Nego Dão (Adão da Silva, que é branco), YMCA (Bruce Ganja) e Jo Jo (Joshua Loyal). Todos estes três membros são de ascendência afro-judaica-uruguaia.

Os Beastie Boys foram a primeira banda de brancos (ou negros albinos, como eles se referem a si próprios) de rap bem sucedida. O seu som, influenciado pelo pagode carioca e pelo techno punk, foi um troço revolucionário. Ninguém tinha feito uma merda tão grande até então.

História[editar]

Capa do álbum Hello Nasty, onde eles se esfregam numa lata de sardinha

Era uma vez[editar]

A banda surgiu em 1969, com o nome de Negros Albinos. Em 1971, resolveram mudar o nome para Negrinhos Branquinhos. Quando Nego Dão resolveu jogar merda no ventilador, junto o grupo, mandou todo mundo tomar no cu e mudou o nome para Beastie Boys. O nome Beastie, ele não sabia o que significava, mas Boys ele sabia o que era e assim ficou.

A banda começou tocando em garagens e puteiros, além de eventos de anime, e ganhou fama rapidamente entre os Otakus, que acharam legal esse som bizarro feito por brancos que se dizem negros.

Seu primeiro disco "Chupy my peekah", foi um fiasco, vendendo 34 cópias apenas. (4 para os pais dos rapazes da banda e 30 num evento de Anime).

O sucesso[editar]

O grupo amadureceu (antes eles eram verdes!) a partir do segundo álbum "Paul Bouquet". Produzido por Mussum e gravado em 1978, esta merda de disco extremamente tosco é ainda considerado um dos trabalhos mais varzeanos do universo e um dos maiores abacaxis de todos os tempos. E mesmo assim vendeu 120000 cópias, só na Tailândia.

O álbum que se seguiu In Your Cool foi gravado no estúdio "Gay", do Grêmio em Porto Alegre, no Brasil, misturando danças gaúchas e samba. Também foi um fracasso. E eles prometeram nunca mais seguir os conselhos de algum gremista.

Os Beastie Boys também publicaram uma revista estilo G Magazine, com os caras da banda pelados. A revista vinha com um CD com 12 músicas dentro. Torcedores do Grêmio, Cruzeiro e Corinthians compraram todos os exemplares, mas tocaram os CDs fora.

Atualidade[editar]

Em 2004, o retorno dos Beastie Boys ao topo das paradas foi quando o álbum "Fucker and Sucker" chegou ao 2o. lugar na parada de álbuns na Casa do Caralho. Com participações de Chorão, Alexandre Frota e Didi Mocó, o resultado não podia ser outro.

Em 2006, os Beastie Boys estrelaram um festival para maconheiros no Texas, junto com o Smashing Pumpkins e o Calypso. Além disso, a banda deu três shows em Los Angeles, Caxias do Sul, e Santos, para arrecadar dinheiro para o Mensalão.

Os Beastie Boys lançaram em 2007 The Sounds of my Farts, um resumão de seu trabalho em dois CDs. Este álbum vendeu menos que aquecedor no deserto.

Influência[editar]

Os Beastie Boys são influentes na história da música, porque todo mundo vê o que eles fazem para de maneira nenhuma fazer igual, nem parecido.

Referências culturais[editar]

  • O vídeo de música "Sabotage" fazia uma paródia aos filmes de Hermes e Renato na MTV.
  • O vídeo "Intergalactic" mostrava um robô gigante, que na verdade era a primeira versão de Daileon.
  • O vídeo de música "Body Movin'" é baseado no filme do Batimã.

Membros da banda[editar]

Bonequinhos da coleção da Barbie...

Membros regulares:

Outros membros contribuintes:

Discografia[editar]

  • 1972 - Chupy my peekah
  • 1978 - Paul Bouquet
  • 1982 - In Your Cool
  • 1990 - Ill Communication
  • 1996 - Some Shit
  • 1999 - Ay Caramba!
  • 2000 - The In and Out in your ass!
  • 2001 - Love American Pussy
  • 2004 - Fucker and Sucker
  • 2007 - The Sounds of my Farts