Bela Vista do Paraíso

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
A paisagem principal da cidade, um dos pontos de contrabando de dízimos.

Bela Vista do Paraíso é uma pequena cidade situada ao norte do Paraná, cuja população, embora haja uma única maternidade na cidade, sempre diz que nasceu em Londrina, o único modelo de cidade ao seu redor. A cidadela conta com personagens famosos como Débora Rodrigues a Caminhoneira sem-terra que já posou para a Playboy e o mendigo do Truco Valendo o Toba (uma verdadeira atração do vilarejo). Seus habitantes possuem hábitos peculiares, como por exemplo...

Acumularem-se em caçambas de caminhonetes com o maior número de pessoas e cerveja possível, provando assim, que são capazaes de executar tal façanha.

As meninas, de modo geral, procuram vender Avon ou Natura a fim de juntar uma grana para ir aos bailes da cidade, sempre realizados no clube CRB. Além disso, o dinehiro é gasto no comércio local a fim de adquirir roupas similares às das garotas ricas de cidadezinha, cerca de duas ou três famílias de fazendeiros.

Em dia de baile, todos compram camarote, o que garante certo "status" com os habitantes locais. Nesses dias, todos ficam apertados em um puxadinho (camarote) enquanto meia dúzia aproveita a festa na pista principal.

Quando recusam um convite feito por alguém, respondem "Se pá nem vou, hein?"

As cidades vizinhas são Sertanópolis, Primeiro de Maio, Alvorada do Sul e Florestóplois. Geralmente há brigas e até morte entre elas. No entanto, nos meses de março e abril, elas se reúnem em caravanas para irem nas festas de Peão de Colorado e Londrina. Lá, executam com primor a Subida nas caçambas de S10, F250 e outras do gênero. Sempre com muita bebedeira. Quando o som executado não é o velho e bom sertalixo, ouve-se um agradável funk... Tal modalidade sonora é muito praticada pelos habitantes aborígenes do distrito municipal, Santa Margarida. Eles dançam coreografadamente e sincronizadamente ao som de um carro feio e vagabundo, mas com aparelhos de som muito potentes e caros, provavelmente roubados dos boys locais. A coreografia é executada todos os sábados a noite no meio da única avenida local. Impedindo o trânsito de carros mais decentes de quem pretende se achar indo festar em Londrina.


Aí, peixe, esse esboço vai atrás das 1000 palavras, parceiro.
Mas, peixe, edita esta bosta que você se dá bem, tá ligado?