Bruno Mattei

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Esse cara foi o maior criador de bostas desde Nietzsche

Bruno Mattei Todo Mundo de Tanto Rir foi um comediante italiano que tinha vontade de ser um mestre do terror. Bruno Mattei fazia filmes com pouco dinheiro. Era uma espécie de Roger Corman, mas sem talento, sem vocação, sem moral, sem técnica, sem brilhantismo e sem vergonha. Se ele tivesse vergonha na cara, não teria feito tanta bosta.

Características[editar]

Bruno Mattei não foi um cineasta ruim (para ter sido um péssimo cineasta, ele tinha que comer muito feijão ainda) já que nem chegava a isso, porém ele tinha uma grande habilidade para reciclar materiais, roubar ideias, usar elementos baratos e a maior habilidade do mundo para fazer filme ruim.

Bruno Mattei foi durante muito tempo o maior plagiador da história e só perdeu a coroa quando surgiu um tal de Kibeloco. Ele, em um único filme (Zombi 3), conseguiu plagiar, ao mesmo tempo, George A. Romero, Lucio Fulci, Mario Bava, Roger Corman, entre outros. Aliás, nesse filme ele também conseguiu se plagiar-se a si mesmo. Foi o maior onda de plágios jamais vista em algum lugar do mundo.

Outra característica de Bruno Mattei era a de levar a sério as comédias que ele cria. Ele realmente acreditava que seus filmes davam medo. Aliás, ele também acreditava que era um cineasta.

Materiais[editar]

Maquiagem bolada pelo Mattei, usando farinha, cola e suco de caju

Bruno Mattei, ao mesmo tempo que criava vários lixos cinematográficos, também era especialista em reciclar outras coisas para virar material para seus filmes. Era um ciclo eterno: alguém jogava algo no lixo, Bruno Mattei catava, reciclava, usava em seu filme que era um lixo, alguém pegava seu filme, jogava no lixo, Mattei ia pro lixo, pegava seu filme, transformava em material para filmagens de outro lixo, alguém pegava esse filme-lixo e jogava na lixeira, Bruno Mattei ia até a lixeira e....

Para criar a maquiagem, Mattei usava guache, giz de cera (12 cores), canetinha (36 cores, $1,99), suco de beterraba, catchup (Era o sangue), chocolate derretido, meleca de nariz, pincel atômico (Dava um efeito "radioativo" na maquiagem), caneta comum (Fazia falsas tatuagens com canetas Bic), ovomaltine, anil e coloral (aquele corante vermelho que sua vó usa, ou não).

O figurino dos monstros de seus filmes são bem complexos. Usa-se muito material caro. Móveis usados, folhas de revistas, sacos de pão, restos de confecções (panos), plástico, papel, sapatos e roupas usadas, cartolina, papel crepom (Também servia pra fazer a maquiagem), muita cola (aquela feita com farinha, que é mais barata) e tesoura sem ponta.

Ver também[editar]

Statuette.jpg


v d e h