Bukhara

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Boratturistguide.jpg
Sm khazakhstan.jpg

Jagshemash!

Este artigo é proveniente da Gloriosa Nação do Cazaquistão! Ele "fala russo", exporta o melhor potássio do mundo e tem momento sexy com a sogra. Cuidado ao meter seu khramm, pois um judeu pode pegar sua carteira SHENQUIE!

Borat está de olho em você!


Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Você quis dizer: Buceta Cquote2.png
Google sobre Bukhara
Cquote1.png Experimente também: Shakhrisyabz Cquote2.png
Sugestão do Google para Bukhara
Cquote1.png Mais uma cidade medieval por lá... Cquote2.png
Você sobre Bukhara
Cquote1.png Uma mistura de Feudo com Mesquitas. Cquote2.png
Nerd sobre Bukhara.
Cquote1.png Quem liga? Cquote2.png
Eu sobre comentário acima.

Bukhara é uma cidadela perdida no distante Uzbequistão, tal qual é Rio Branco no Brasil. Originalmente, era um forte construído contra uma provável invasão de mendigos tadjiques, podendo ser utilizada também para aquecer o turismo da região, que só não é mais frio que a relação entre você e a sua namorada.

Cidadezinha[editar]

A casinha do prefeito.

Bukhara é uma cidade murada do século X, na época em que a Mongólia era uma das potências mundiais, ou seja, isso foi feito em eras remotas da terra, onde hobbits ainda habitavam na Austrália e nos Estados Unidos haviam apenas xamãs e outros macumbeiros igualmente bizarros.

Bukhara, atualmente é a quinta cidade mais populosa do Uzbequistão, totalizando incríveis meia dúzia de habitantes, mas se tratando de um país escondido no meio das estepes a quantidade é absurda, sendo que desses seis, cinco são imigrantes tadjiques que fugiram da terra natal indo em busca de algo melhor.

Centro Histórico[editar]

Repare que o muro já está se decompondo.

Visto a tesão que o pessoal da UNESCO tem por lugares distantes em ruínas e habitados majoritariamente por moscas e outros artrópodes tão asquerosos e chatos quanto, a cidade de Bukhara se encaixa como uma luva para a definição de patrimônio mundial.

Um feudo no meio de terras islâmicas é algo impensável, mas na visão da UNESCO é algo belo e digno de ser reconhecido mundialmente, pena que eles não perguntaram se você topava considerar aquilo algo de importância para a gloriosa e mal afamada raça humana a qual todos pertencem, menos eu, já que sou hetero sapiens.