Césio

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
ATENÇÃO: Leia este artigo com bom humor!

A Desciclopédia é um site de humor, não venha nos dizer que pegamos pesado.
Se você levar tudo por trás e ficar com a alma ferida, visite outro artigo.

Mamãe, o que eu serei quando crescer? Nada, você tem câncer.

Césio
Pollucite(CesiumMineral)USGOV.jpg
Apesar da aparência, as pedras de césio não são recomendadas para o fumo humano
Símbolo, número Cs, 55
Série Metal pilha alcalina
Principal isótopo 133Cs (ou não)
Propriedades atômicas
Massa atômica 132,9 cu
Dureza 0,2 (bem levinha)
Nível de radioatividade Absurda
Nível de toxicidade Imagine
Propriedades físicas
Comestível? Sim, com pequi
Inalável? Pode sim
Posso passar na pele? sim, mas só uma vez
Onde encontrar ferros-velhos
ponto de fudição 301,6ºK
ponto de rebuliço 944ºK
Coisas de quadrinhos
Probabilidade de te transformar num super-herói sim (Fera)


Cquote1.png Experimente também: Não mexer com esse troço Cquote2.png
Sugestão do Google para Césio
Cquote1.svg Olha mamãe, meu braço brilha! Cquote2.svg
Criança goianiense com césio na pele
Cquote1.svg Que lindo, filho... Agora coloca o braço de volta no ombro Cquote2.svg
Mãe sobre frase acima
Cquote1.svg Um dia você... bom, você não entende... Cquote2.svg
Shakespeare

Césio é o mais phoderoso e infame dos metais alcalinos que não são terrosos daquela tabela cheia de quadrado, de símbolo Cs e isótopo mais relevante Cs-137 utilizado no combate aos cancerianos. No Brasil, entrou para o folclore nacional, tal qual o criptônio em Metropolis.

História[editar]

O césio foi descoberto pela Valve e nomeado Cs como forma de marketing para seu jogo recém-lançado Counter-Strike, o que ajudou a popularizá-lo com nerds que trocaram a vida social pela química. Mas precisavam de um nome completo pra disfarçar aquela sigla e com isso escolheram césio em homenagem a César Romero, o eterno Coringa, grande inspiração de todo cientista que trabalha com produtos ultramortais apocalípticos.

Características[editar]

O césio é um metal de vários espectros, pode ser azul, vermelho, amarelo ou verde ou seja, para alegria dos hippies é um metal lisérgico. É o mais eletropositivo, mais alcalino e mais bonitinho de todos os metais que ninguém se importa. Um metal pouco abundante, ainda assim foi bastante explorado pela indústria dos cosméticos de Goiás.

Foi conferido a ele o quadradinho logo acima do frâncio na tabela periódica, o que o leva a se achar muito melhor que aqueles reles franceses baitolas.

O césio é altamente explosivo em água fria, por isso recomenda-se que logo após passá-lo na cara, se tu for tomar banho ligue o aquecedor do chuveiro, principalmente se for goiano.

Aplicações[editar]

O césio tem diversos usos desinteressantes e sem relevância, como relógios atômicos e tubos de vácuo, coisas que um cidadão normal nunca vai chegar perto, mas também outros mais úteis para nós como o catalisador do carro e mais importantemente o tratamento do cancro mole. No centro-oeste brasileiro também é usado como maquiagem e loção cutânea. Como essa raça de desocupados chamada cientistas tá sempre misturando coisas que não devem há também o hidróxido de césio (CsOH), um composto tão cabra-omi que ataca até o vidro - mas isso nem tem muita graça já que quem mexe com isso usa óculos de vidro de fundo de garrafa com adamantium, para melhor aproveitamento aplique-o apenas em civis.

Em 1400 e lá vai pedrada o césio era considerado pela USS Enterprise um metal muito seguro e devido à sua eficiência na fabricação de armas interplanetárias, tais virtudes fizeram com que algum doido começasse a ser utilizá-lo pra tratar o câncer (os envolvidos eram capricornianos).

Acidente com césio[editar]

Um catador do ferro velho de Goiânia sentindo os efeitos do césio, exatamente 3,5 segundos após contato com o corpo.
Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Acidente radiológico de Goiânia

Em 1987, numa dessas coisas que só poderiam rolar no Bananil mesmo, um hospital de Goiânia teve que mudar de endereço mas a gerência pensou que seria uma boa esquecer uma máquina hospitalar cheia de césio tóxico abandonada num ferro-velho pra qualquer mané fuçar. E logo os manés vieram, catadores de papel ultrapobres que viram ali a chance de adquirirem superpoderes, serem recrutados pelo Professor X e nunca mais terem que passar perrengue na vida.

Logo abriram a máquina e encontraram uma caixa de chumbo lacrada, com pó brilhoso com vários "KEEP OUT" igual nos filmes, mas como eram primatas, conseguiram abrir o chumbo na base da porrada. E como mais ainda eram uns caipiras, atacaram aquilo de todas as formas, usando na pele, no cabelo, até de tempero na comida (tu já viu alguma comida azul berrante ser boa? Só na cabeça dessa turma). A conta logo veio, quatro mortes e 1600 pessoas afetadas, num episódio que em muito agradou Charles Darwin, mas desagradou o INSS que agora teria mais um monte de gente burra pra bancar.

No fim das contas, foi construída a primeira cidade no mundo com a finalidade de ser um lixão nuclear, Abadia de Goiás, mas quem levou os louros da infama foi Goiânia mesmo, entrando pra história como sede de um dos episódios mais fail da história da ciência.