Carolina Deslandes

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Indiemo.jpg Let's see any iranian film?

Este é um artigo INDIE!

Se não fossem os indies, a moda "blasé" nem existiria.

Undersk.jpg
ÒO..gif

Carolina Deslandes é poser!

E nunca ouviu falar do livro.

Não se surpreenda se ele(a) disser que não sabia que aquele filme que todo o mundo viu era um livro.


Emblem-sound.svg.png Carolina Deslandes
Carolina-deslandes-1.jpg
Pagando pau pra Hipster
Nome Maria Carolina Martinez Deslandes
Origem Bandeira de Portugal Portugal
Sexo só com cara tatuado
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.png
Cantora e Compositora de letras-feitas
Gênero Poser
Influências Emo, Indie, Pop e "Hip-hop"
Nível de Habilidade de retardamento avançado
Aparência loira burra
Plásticas 15 kg. de maquiagem
Vícios
Nuvola apps atlantik.png
Pagar pau de tatuada rebelde
Cafetão/Produtor
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Agir

Carolina Deslandes é uma cantora e compositora de letras feitas portuguesa, conhecida porque ficou em 3ºlugar na 4º temporada do programa Ídolos, e por ser fonte de inspiração para os Hipsters portugueses.

Inícios[editar]

Carolina antes de vender sua alma ao Hipsterismo.

Nascida em Lisboa a 25 de Agosto de 1991, numa família oriunda de condes e o caralho, com ascendência francesa, britânica e espanhola, tem seis 666 irmãos. Conta que quando era pequena cantava para as bonecas músicas da Alanis Morissette. A Desciclopédia, depois de (des)entrevistar estas bonecas, descobriu que elas sempre pediam a Carolina que se calasse. Mas que ela sempre insistia em cantar para elas.

Aos 12 anos começou a cantar para a sua família e todos aplaudiam: ninguém podia dizer à pita mimada que não tinha talento, né? Afinal a sua voz sem-sal conseguia botar todos para dormir, o que era muito útil para manter os bebes calados.

Aos 15 anos, juntou-se com alguns amigos, posers que nem ela, e começaram a fazer refrões de "hip-hop" (colocar muitas aspas nisso) para cantar e tocar em vários bares da zona de Lisboa. Recebeu a alcunha carinhosa de "Betinha do Hip-Hop", todo o mundo dizia que era só cocada, mas falam a sério, já que ela, tal como Agir, pagavam pau pra "maninhos do hip-hop" mas tinham nascido num berço de ouro, e os outros rappers de Lisboa vinham do bairro e tinham de rimar para o asfalto.

Carreira[editar]

Depois de ser possuída pelo demônio hipster, começou a entulhar a sua cara de maquiagem.

Depois de passar umas temporadas tocando covers em bares lisboetas e sem nenhuma discográfica notar ela, Carolina resolve fazer o mesmo que Luciana Abreu e Carolina Torres e ir fazer o Teste do sofá para a 4ª edição dos Ídolos: depois de aborrecer o júri com duas músicas, uma portuguesa e outra da Alicia Keys, lá passou. Ao longo do programa vai cantando Kings of Leon, Katy Perry, Anastacia e Rui Veloso, numa salgalhada sem nexo. Depois de seus pais milionários puxarem os cordelinhos, conseguiu chegar à final, mas, ainda assim, acabou em 3º lugar na competição.

Pagando pau pra Avril Lavigne.

Ficou conhecida entre o público português, mas rápido caiu no esquecimento e teve de ir estudar Direito para Faculdade. Mas como esteve tão perto da vitória, resolve implorar aos papás que a deixassem sair fora desse mundo aborrecido da advocacia e ir estudar música para Londres, porque o que ela queria mesmo era adormecer as pessoas com sua voz. Foi então viver e estudar para a capital britânica durante uns bons meses. Tentou lançar lá seu primeiro álbum, mas ninguém estava interessado, afinal já existia a Lana del Rey no panorama internacional, então teve de ir lançar seu disco para Portugal.

Fez participações nos álbuns de Agir, Dengaz, David Carreira e João Só (que escreveu e produziu seu álbum de estreia), para notar só o nível de Carolina e sua qualidade musical. Dedica-se mais a escrever sobre a sua vida no Facebook ou a tirar fotos com o Agir do que propriamente a cantar ou a fazer concertos. Depois dos papás pagarem a tudo o que é rádio e antro de bosta em Portugal, como a MTV, Carolina Deslandes é promovida a todo o custo junto ao público português.

Em 2015, lançou um pseudo-Livro, intitulado Isto não é um livro, pela Oficina do Livro: este título é para o caso do público ser burro e ter grandes expectativas acerca da qualidade de escrita da Carolina. Aqui revela todo o seu pseudointelectualismo hipster: tenho a necessidade física e psicológica de escrever, de dizer coisas e de pensar sobre coisas. Essa porra é tão profunda que dá para ver a Adele a rolar nisso.

Discografia[editar]

2012: Carolina Deslandes[editar]

Sofrida de retardamento mental e inspiração para pitas desse Portugal fora.

Quando regressa de Londres lá consegue cunhas para lançar o seu primeiro álbum de título muito original.

  • 1. Não É Verdade: infelizmente é, Carolina Deslandes lançou um disco
  • 2. Maus Hábitos: já sem ideias, tem ir plagiar o nome de um café do Porto
  • 3. Look What You've Done: é, Carolina, vê que o fizeste à música portuguesa
  • 4. Mente-Me Com os Olhos: mente para ela que é uma boa cantora
  • 5. Amor de Cinema: Carolina descreve que seu amor ideal é que nem cinema... porno
  • 6. Beautiful: aquilo que Carolina não é
  • 7. Espera: «espera que a porra desse álbum ainda não acabou»
  • 8. Let Me Go: é o que o ouvinte dessa porra de albúm está pensando
  • 9. Chega Mais Perto: canção dedicada a João Só, a quem teve de fazer serviços orais para lhe produzir o álbum
  • 10. Forever: Carolina acha que sua carreira vai durar "forever". LOL.

2016: Blossom[editar]

Como se um álbum não chegasse, Carolina Deslandes achou que devia lançar o segundo.

  • 1. Fuse: Música sobre transar com seu namorado
  • 2. By My Side': Agradecimento aos papás que lhe financiaram a carreira
  • 3. Mountains (feat. Agir): o único hit da sua carreira
  • 4. Carousel: Música sobre sexo, o carousel favorito de Carolina
  • 5. Heaven: Música a agradecer os orgasmos que o namorado lhe proporciona
  • 6. Settle Down: Carolina pede para parar que ela não quer Sexo anal
  • 7. Light To My Dark Side: Carolina descreve sua primeira experiência sexual numa rua escura
  • 8. What Do You Know Boy?: Carolina quer ensinar os cara a transar
  • 9. Blue: Músiquinha de indireta para Carminho sobre lhe ter roubado o marido
  • 10.They Don't: música sobre os seus "haters" que não têm gosto musical

Vida Pessoal[editar]

Em 2011 conheceu Agir no festival MEO Sudoeste, o festival da betalhada portuguesa por excelência, e desde então que têm sido "unha com carne", com Agir a promover a carreira da amiga a todo o custo.

Em 2015 conhece e consegue dar o golpe ao guitarrista e produtor musical que conveniente, Diogo Clemente, que havia se divorciado da fadista Carminho há menos de um mês, e com quem estava casado desde 2013 e tinha um relacionamento desde 2008. O filho do casal nasceu em 2016 e Carolina fez questão de encher as redes sociais com fotos e um texto anti-aborto.

Afiliados[editar]