Carta ao Papai Noel

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
SANTAMARX.gif Ho Ho Ho, Desciclopédia!

Este artigo contém conteúdo natalino e está recheando o peru. Seja um bom menino e não vandalize, ou Papai Noel vai obrigar-lhe a assistir ao show do Rei Roberto Carlos. Não se esqueça de deixar leite e biscoitos!


A Carta ao Papai Noel é um poema islâmico impresso em forma de livro pelos países das arábias, como o Iraque e o Egito, mas como a maior parte da população é analfabeta, quase ninguém lê livro nenhum e estes ficam reduzidos à simplórios elementos decorativos. Eis aqui compilada a Carta ao Papai Noel, leia calmamente e atenciosamente para não perder o teor dramático e trágico da obra.

Papai Noel me deu uma porra de peão seu filho da puta Arrombado do caralho seu viado vai a puta que pariu seu merda[editar]

Papai Noel não tem a carinha de anjo que todos pensam.

Prezado Papai Noel,
Você na certa vai achar estranho te escrever hoje, dia 26 de Dezembro.
Mas quero falar logo da minha reação ao receber os presentes que você deixou na minha árvore, ontem, Dia de Natal (25).
Como você bem deve se recordar eu tinha pedido:

  • Uma bicicleta
  • Um trem elétrico
  • Um nintendo
  • Um par de patins.

Pois bem, quero lhe informar que durante o ano passado inteiro eu me matei de estudar.
Fui um dos primeiros da turma. Tirei dez em todas as matérias.
Ouso afirmar inclusive que ninguém, ninguém(!!) se comportou melhor do que eu nem com os pais e nem com os irmãos, nem com os vizinhos.
Tem mais: cumpri minhas tarefas e obrigações sem cobrar nada! Ajudei velhinhos a atravessar a rua...
Não houve nada que eu não fizesse de bom e de gentil pros meus semelhantes.
Mesmo assim, com uma tremenda cara de pau, você, Papai Noel de bosta, me deixou debaixo da árvore:

  • A porcaria de um pião
  • Uma porra de uma corneta
  • Uma merda de um par de meias.

Seu barrigudo miserável de uma figa!
Ou seja: comporto-me como um imbecil de merda o ano inteiro e você me faz uma putaria dessas!
E o que é pior: ao filho da vizinha, aquele viado filho da puta sem educação, mal criado e desobediente, que grita com a mãe, e chama o pai de corno, pra esse anormal você trouxe tudo que ele pediu!
Por isso eu estou desejando do fundo de minha alma que aconteça um terremoto para irmos juntos todos à puta que nos pariu, já que com um Papai Noel incompetente e retardado como você, é melhor que a terra nos engula!
Olha! Mas não deixe de vir no Natal que vem, se o terremoto não acontecer, Papai Noel, tá?
Pois eu pretendo te arrebentar a cara e encher de pedrada as putas das tuas renas. Começando por esse homossexual do Rudolph, que tem cara de bicha enrustida.
Vou espancar essas renas todas para que você se foda e tenha que andar a pé como eu, velho brocha!
É... A bicicleta que eu pedi pra ir pra escola que fica longe pra cacete da minha casa, tu não me deu! Seu puto!
E eu não quero e nem devo me despedir sem mandar você tomar no olho do seu cu, seu filho da puta!
Espero que quando você estiver andando no seu trenó, aquela bosta vire com você dentro, seu porra, para que você se arrebente no chão feito um pacote de cocô gordo e vermelho.
Isso é um aviso! E no ano que vem, seu filho da puta, você vai ficar sabendo o que é um garoto mal-educado doido para se vingar...
Meu nome? Osama Bin Laden!

Carta ao PAPAI NOEL[editar]

Querido Papai Noel. Eu te pesso; (peÇo,,povo burro!)

  • jogo da Playboy Mansion
  • umas fotos tuas com a mamãe natal
  • uma boneca com 1.70m

Eu tenho 8aninhos e espero que me respondas

Depois de ver as prendas recebeu:

  • uma porra de chocolates
  • uma merda não identificaveis
  • uma barbie com 25 cm

O menino respondeu: AHH! Seu filho da p*** andaste na ganza agora estas pior que Rudolpho! Pior que seu nariz vermelho! E a mão Natal e uma vaca que só te enerva com preservativos de mentol! E o cabrão do meu PAU está inflamado por causa da BARBIE que vinha com malagueta!

Resenha[editar]

A Carta ao Papai Noel é um texto de autoria de Jorge Bush publicado no livro Mil e Uma Noites em forma de poesia. Como o poema só rima no idioma árabe, quando foi traduzido, foi re-escrito em forma de prosa. Em prosa ou poesia é possível captar a essência do poema: a infelicidade de uma criança aparentemente saudável, estudiosa e educada que foi ignorada e deixada de lado pelo Bom Velhinho, que de bom não tem nada. Pode-se perceber o caráter vingativo da epístola escrita por Bin Laden, e meditando-se em cima dela facilmente pode-se descobrir como um bom garoto muçulmano se tornou uma pessoa cruel e sem coração.

E é claro, quando a culpa não é da Argentina, é do Papai Noel. E um fato curioso é que o enrendo e a história é totalmente veridico ou seja é tudo verdade!

Para fins didáticos os versos do poema são divididos em 5 partes:

  • Versos 01-04 - Introdução: É onde o autor se dirige respeitosamente ao bom velhinho.
  • Versos 05-16 - Apresentação dos Fatos: O autor mostra fatos referentes ao assunto.
  • Versos 17-31 - Indignação Argumentativa: É quando o autor parte pra ignorância.
  • Versos 32-41 - Promessa de Vingança: O autor expõe seus desejos para o futuro.
  • Versos 42-51 - Despedida: Aqui o autor se despede e revela quem é.