Casa do Romero Jucá

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...

Cquote1.svg Você quis dizer: Casa da mãe Joana Cquote2.svg
Google sobre Casa do Romero Jucá
Cquote1.png Experimente também: ir à merda Cquote2.png
Sugestão do Google para Casa do Romero Jucá
Cquote1.svg Vá para a Casa do Romero Jucá, seu filho da puta!!! Cquote2.svg
Ciro Gomes, ao ser enquadrado por um jornalista, sobre as inúmeras possibilidades de turismo em Roraima

A casa-mansão de Romero Jucá. As más línguas dizem que o imóvel é na verdade propriedade do Lula Doutor Roberto.[1]

A Casa do Romero Jucá é um ponto turístico de Roraima, rivalizando em importância regional com a estátua de Didi Mocó Ciro Gomes[2] Padre Cícero no Ceará e o laçador no Rio Grande do Sul, além de ser o local para onde todos os políticos deveriam ir. Este esplêndido imóvel está localizado nos confins de Roraima, mais precisamente na longínqua fronteira entre o Acre e Putaquepariustão. Hoje, este é considerado um dos mais importantes locais de Roraima desde a propaganda gratuita realizada por Ciro Gomes, atual líder da URSAL.

Aquisição por Romero Jucá[editar]

O Palácio do Itamaraty, que quase foi adquirido por Jucá não fosse a arquitetura quadrada e a proximidade do Congresso Nacional, o que impedia Jucá e Salvatti de alegar a distância como desculpa para não comparecer no Senado.[3]

Após fugir deixar seu saudoso Pernambuco para não ter de trabalhar na plantação de laranjas da família tentar uma vida melhor no Velho Oeste brasileiro, Romero Jucá fez fortuna como contrabandista de animais silvestres e como bicheiro, quase se tornando em Roraima o que Sarney é no Maranhão e o que ACM foi na Bahia. Depois de sua vertiginosa ascenção econômica, como todo o porco capitalista que topa tudo por dinheiro, decidiu comprar 66,6% dos votos válidos de toda a Roraima e concorrer a tudo o que pôde, desde vereador até presidente governador, ganhando todas as eleições[4].

Conseguindo chegar ao cargo de senador do Império Galático da república, Jucá percebeu que deveria morar em um local esplendoroso, digno de sua posição socioeconômica. No entanto, nada parecia estar à altura do ilustre fdp senador. Além da situação causada pela posição social de Romero, o mesmo queria cortejar ideli Salvatti, com a qual contracenou em uma pornochanchada[5] filmada no plenário do Senado Federal. Jucá acabou apaixonando-se por ela, especialmente depois dos dois fazerem a posição 120 (que consiste em fazer um 69 com uma garrafa de 51[6] enfiada no rabo) durante as filmagens. Este deu um gás a mais ao senador, que queria nada menos do que um palácio para poder levar seu então grande amor.

Depois de buscar por anos dias e visitar locais menos prestigiados, como o Palácio do Planalto, a Casa Rosada, o Kremlin e o Vaticano, Jucá encontrou o local perfeito: um lugarzinho no meio do nada um discreto imóvel[7] localizado nas entranhas da floresta amazônica roraimense. Obviamente o imóvel estava meio caído, mas nenhuma reforma que o dinheiro de impostos não poderia resolver[8], MWAHAHAHAHAHA!

O imóvel[editar]

A imponente propriedade, que ocupa cerca de 666 hectares[9] de floresta desmatada servindo como residência do vagabundo nobre senador, engenho e latifúndio para criação de eleitores gado de corte, é acessível apenas via helicóptero, pois a rodovia transamazônica ainda não está concluída[10]. No entanto, para qualquer político que seja pelo menos deputado estadual, ter um helicóptero particular e cheio de cocaína é obrigação[11] do ofício de ladrão.

Após as extensivas reformas realizadas, que custaram cerca de 20% de todos os desvios do mensalão, a imponente propriedade foi totalmente reformada, deixando no chinelo outros locais bastante prestigiados, como o Palácio de Buckingham, o Palácio de Versalhes, ou mesmo a Grande Muralha da China. Para dar conta das grandes orgias políticas e governamentais fomentadas pelo Governo Federal, o imóvel apresentava muitissíssimos quartos, pois as festas aí dadas eram frequentadas até pelos aspones[12] dos assessores[13] dos deputados, senadores, ministros e o caralho a quatro.

Além do enorme número de quartos para hospedagem, o imóvel também é notoriamente conhecido por possuir mais heliportos do que toda a região Norte do Brasil, logística essa para permitir que cada parlamentar pudesse estacionar seu helicópero sem ter de deixá-lo do lado de fora da propriedade, por medo de roubos[14], ou que alguma onça entre no veículo e o use como ninho. Inclusive, a necessidade de proteção contra feras selvagens, comunistas do MST, índios e possíveis larápios fez com que o complexo fosse transformado em uma verdadeira fortaleza, com a presença de cabos e soldados armados[15] em todo o perímetro do imóvel. Inclsuive, é por isso que o Brasil lançou um satélite[16] em parceria com a Índia, só para o governo ficar de olho 24 h na movimentação da importante residência, tão querida por todos os ilustres vagabundos membros do parlamento tupiniquim.

Importância para a política brasileira[editar]

Cquote1.svg Ô Luíííííís Ináááááááááááácio.... Cquote2.svg
O então senador Mão Santa querendo propor ao então presidente Lula Molusco para ir à puta que pariu visitar a casa de Romero Jucá

Embora já fosse parte da vida política brasileira há décadas, este imponente imóvel sempre permaneceu nos bastidores do poder, sendo apenas citado e referido em conversas informais e secretas entre os nobres vagabundos parlamentares. Entretanto, relatos informais exaltam a importância deste local para a política e história brasileiras, considerando que políticas e projetos que foram marcos para o país foram concebidos e discutidos neste imóvel. Como exemplos citados por fontes não-oficiais, pode-se citar o congelamento dos traseiros das poupanças pelo ingóbil de Alagoas e seu posterior impeachment[17], o desenvolvimento do Plano Real, e a repartição dos lucros das proprinas do mensalão e valerioduto, entre outros episódios épicos e mitológicos da política brasileira.

Mas, porém, contudo, todavia e entretanto, apesar dos constantes esforços para que a casa do Romero Jucá ficasse na penumbra do imáginário político brasileiro, ninguém contava com a astúcia de Ciro Gomes, figura emblemática da política brasileira e que mama nas tetas governamentais desde o fim da pica dura ditadura. Graças a ele, a real importância e significado da casa do Romero Jucá foram expostos de maneira inequívoca nos idos de 2018, durante o arranca-rabo a disputa pela eleição presidencial, quando o esquentadinho foi ownado por um inocente jornalista[18].

Com as revelações não intencionais do cearense honorário, a casa do Romero Jucá passou a integrar o quadro político e social brasieiro como o local para onde devem ser enviados todos aqueles com os quais se tem alguma desavença, mas não com o intuito de se livrar ou eliminar o meliante[19], mas sim de fazer conchavos, acordos, soltar propinas, oferecer umas putas e estabelecer alianças e mutretas, como tudo o que acontece no Brasil: virar pizza ou putaria.

Ver também[editar]

Notas[editar]

  1. De acordo com o STFU, o Marreco de Maringá anexou equivocadamente os autos referentes à Casa de Romero Jucá como sendo do Triplex do Lula.
  2. De acordo com estatísticas tiradas da bunda, Ciro Gomes planeja construir uma estátua semelhante em Sobral, para que todos saibam quem é o dono do Ceará.
  3. Políticos adoram alegar que não podem comparecer nas seções plenárias por motivos do caos aéreo ou outros problemas de locomoção, embora todo mundo saiba que isso é prosopopeia flácida para acalentar bovinos.
  4. Cquote1.svg Por que será, não é? Cquote2.svg
    Capitão Sarcasmo
  5. O filme aqui referido é intitulado Um Pistoleiro Chamado Papaco e foi um verdadeiro sucesso de bilheteria da pornochanchada nacional na década de 1980. Inclusive, o casal Jucá e Salvatti recebeu um dos dois Prêmios Vibrador de Ouro dados ao filme pela performance; o casal Clodovil e Alexandre Frota ganhou o outro.
  6. Segundo fontes fiáveis, a garrafa de 51 (vazia) foi presente do Lula para a consumação do ato venéreo cinematográfico.
  7. Na verdade, toda a propriedade era um antigo campo de testes de armas biológicas do Exército, mas isso é irrelevante, pois todo o local foi descontaminado e o antrax destruído (ou não) usando napalm e gás letal de alcachofra.
  8. Valor estimado da reforma: US$ 6,02x1023 (e aqui nem estamos considerando o adicional de superfaturamento padrão para qualquer obra que tenha políticos envolvidos).
  9. Ou 2411 campos de futebol, pois brasileiro adora usar campo de futebol como unidade de área.
  10. Na verdade, as obras ainda nem começaram. Acredita-se que o dinheiro foi desviado para obras da copa ou viraram dólares de cueca, apesar dos protestos de Jucá.
  11. Deputados transportam cocaína geralmente em helicópteros. Senadores e ministros do STF, que têm mais influência, usam aviões da FAB para transportar drogas.
  12. A sigla aspone signifca assessor de porra nenhuma e é um termo autoexplicativo cuja significância política equipara-se ao termo russo аппаратчик (apparatchick).
  13. Não se trata de um erro de grafia, aqui no Brasil os assessores tem assessores. Vai ver é porque eles têm muito trabalho...
  14. Que ironia, não? Ladrões com medo de serem roubados...
  15. Acha que o papinho do Dudu Salnorabo de fechar o STF era original? A ideia nasceu de uma visitinha à residência para uma orgia homossexual com o centrão.
  16. Dizem que o satélite foi concebido para verificar a extensão das queimadas na amazônia, mas todo mundo sabe que o governo está pouco se fodendo pra isso... o importante é preservar o patrimônio dos políticos.
  17. Sim, aqui falamos do infame ex-presidente Fernando Collor de Melo Rêgo, que, graças à incomensurável inteligência do eleitor brasileiro, se tornou senador cerca de 20 anos depois desse fiasco todo...
  18. Segundo fontes não tão fiáveis, o jornalista se tratava de um espião do PT dos tucanos enviado especialmente para zoar o ex-marido da Patrícia Pillar.
  19. Na verdade, a ideia original seria, obviamente, eliminar a desavença, mas se acontecesse desse jeito era preciso fazer eleições legislativas no Brasil a cada quatro meses, e não a cada quatro anos.


v d e h
Mitologia Política Brasileira, suas lendas, seres e outros negócios fantásticos
1 Cabo e 1 soldado31 de junho31 de novembro30% de 100 igual a 3,5300 de BrasíliaAbraço BolivianoAerococaAerotrem do Levy FidelixAmeaça ComunistaAmigo dono do triplexAnões do OrçamentoBalbúrdiaBarão HomofóbicoBoi bombeiroBolinha de papel que atingiu o José SerraBolsolulaCarlos Magno e os 12 Cavaleiros da Távola RedondaCasa da DindaCasa do Romero JucáCercadinho do AlvoradaCloroquinaComércio sem viés ideológicoCristofobiaDemônio que possuiu Temer no discurso de posseDieta do Supremo Tribunal FederalDitadura gayDólares de cuecaElsa lésbicaEstatísticas tiradas da bundaEstocagem de ventoFaca que esfaqueou Jair BolsonaroFiat ElbaFigura oculta de um cachorroForças ocultasFraquejadaGabinete do ódioGolden ShowerGuardiões do CrivellaHelicóptero do Zezé PerrellaHistórico de atletaHonoris quaseImpunidade do PSDBJesus na goiabeiraKit gayLeite condensado do ExércitoMarajásMenos com menos igual a 10Miasmas pútridos que emanam no CongressoMinistro do STF terrivelmente evangélicoMosquitaMulher sapiensNióbioNuvem LulaPartido da Imprensa GolpistaPato da FIESPPavão MisteriosoPequeno repiquePirocão inflável verde e amareloPolítico honestoPolítico work-alcoólicoPrincípio da meta aberta dobradaPrivatização de cu de curiosoProfecia da vitória do Cabo Daciolo no primeiro turnoPTinderPTSDBRelaxa e goza!República de CuritibaSanguessugas do CongressoSaudação à mandiocaSexualidade do azul e do rosaTeorema do ganho e da perdaTerceira viaURSALValeriodutoVaza-JatoZelite