Casablanca

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Você quis dizer: Casa Branca Cquote2.svg
Google sobre Casablanca
Casablanca é o lugal onde mola e tlabalha o plesitende dos Estados Unidos da Amélica a maior, mais bonita, mais populosa, mais rica e melhor cidade do Marrocos (o que não é vantagem alguma). Só não é a capital do país porque não quer. É mais conhecida por um filme que retrata as putarias que ocorrem na cidade que por sua importância internacional irrisória em si.

História[editar]

Casablanca é uma cidade de história milenar, berberes já cagavam por ali no século X a.C. quando foram tão para o oeste até o mar. Em seguida aquele vilarejo de pescadores foi habitado por fenícios e posteriormente por romanos, mas sempre com a utilidade de oferecer barraquinhas para aluguéis de camelos para quem quisesse se aventurar no deserto.

Durante séculos foi domínio dos almorávidas, povo de muçulmanos assaltantes do deserto comedores de escorpiões que fundaram a Argélia, conquistaram a Espanha e espalharam pela primeira vez na história terrorismo árabe na Europa. A Europa deu o troco, e no século XIV fizeram uma série de pilhagens, assaltos e outras merdas em Casablanca, da qual denominam até hoje de "colonização".

No século XV Casablanca era o maior porto de piratas do mundo que foram tragicamente massacrados por ninjas portugueses, que após conquistar a cidade fizeram questão de abrir centenas de padarias em Casablanca. Durante a época das grandes navegações, Casablanca era um dos principais pontos de parada das navegações, e portanto um grande centro de muambas o que tornou a cidade o atual grande destaque econômico do Marrocos.

Depois de explorar Casablanca até o talo, os portugueses deram o fora da cidade após durante o terremoto de 1755 (na hora da necessidade ninguém nunca vê um portuga sequer). Casablanca foi reconstruída pelo primeiro sultão do Marrocos a partir de 1757. Ele mandou construir mesquitas viradas para Meca em cima de cada ruína de padaria.

Em 1907 Casablanca virou sem mais nem menos um protetorado francês, que chegaram sem avisar, entraram nas casas sem bater na porta, e fizeram uma série de merdas como construir ferrovias em cima de cemitérios seculares. Aquele povo de viados, frescos e metidos deu no saco dos árabes, que decidiram em 2 de Março de 1956 assassinar todos franceses da cidade e fazer churrasquinho por 1 semana com o resultado disso. Casablanca havia acionado o gatilho da independência do Marrocos.

Atualmente é apenas um local de esconderijo de mafioso espanhóis. Nada mais.

Economia[editar]

Casablanca detém a mais forte economia do Marrocos. Com os maiores portos do mundo é importante zona de exportação e importação de todos tipos de muambas. Por sua natureza árabe, é recordista mundial na exportação de turbantes, tapetes, burcas, escorpiões engarrafados, areia e fotos do Aladdin.

Transportes[editar]

Casablanca possui um precário sistema de transportes, ainda baseado na montaria de camelos e dromedários. O transporte público caótico, é na cidade que surgiu o mundialmente famoso jargão "Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos".

Turismo[editar]

Um dos típicos e higiênicos açougues ao ar livre de Casablanca. Eles oferecem cortes de dromedário também.

Pontos turísticos[editar]

  • Parque da Liga Árabe e Parque Yasmina - Um dos poucos lugares onde é possível ver algum verde no norte da África.
  • Museu da Villa des Arts - O maior museu de ossadas de camelos do mundo.
  • Bairro dos Habbous - Imensa feira livre onde metade d apopulação de Casablanca vai trabalhar de camelô.
  • Praça Mohammed V - Praça cheia de barbudos jogando xadrez.
  • A grande Mesquita Hassan II - Terceira maior mesquita do mundo conhecida pelo pedregulho de 200 metros.
  • A antiga Catedral do Sagrado Coração de Casablanca - Mais um cartão postal. Quem liga?
  • A antiga medina – Tradicional rua conhecida pela lanchonete habbib's
  • O mercado central - Mais um feirão de verduras.
  • As praias (Aïn Diab) - Proibido usar biquíni.
  • Derb Ghallef - Mais uma grande feira, desta vez só oferece produtos roubados, pirateados ou extraviados. É um folclórico mercado que lembra as histórias de Ali Baba.
  • Twin Center Casablanca - Duas torres gêmeas versão Arábia.

Festivais[editar]

  • Festival du Boulevard des jeunes musiciens - Festival de música popular árabe. O último vencedor da categoria melhor música popular foi o Tunak Tunak Tun.
  • Festival de Casablanca - Uma espécie de festa junina versão Arábia.