Castelo de Wartburg

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Peraê, qui eu vô construi um castelo im você Cquote2.png
Bêbado sobre a montanha em que fica o Castelo de Wartburg

O Castelo de Wartburg é um castelo (sério?) que como qualquer castelo, fica no topo de uma montanha. Portanto, qualquer desabamento que houver nessa montanha o castelo vai abaixo, o que mostra que quem construiu esse castelo é muito burro para escolher um lugar desses. A UNESCO o transformou em patrimônio mundial porque ele teria um valor cultural muito grande, pois ele faz parte do cenário de um monte de filmes da Disney.

O castelo, com a torre acima servindo de para-raios.

O nome do castelo deriva de um acontecimento, quando o dono deste viu a montanha na qual ele faria o Castelo de Wartburg. Parente distante do Tiozinho do Truco, ele estava bêbado de tanto tomar cerveja alemã e pensou que a montanha estava andando. Tanto que gritou para a montanha parar de andar, para que ele construísse o castelo. Wartburg, no alemão, significa "Bêbado doido".

História[editar]

Aonde estava o Castelo de Wartburg, já existia uma torre na montanha. Provavelmente ela servia como para-raios, sendo destruída depois que um relâmpago a atingiu. Depois disso, chegou o tal bêbado, que quis fazer um castelo. Como ele estava bebum, não percebeu que aquela área tinha uma alta incidência de relâmpagos por causa da altura, além da vertigem no topo do morro. O cara bêbado era amigo dos bispos da região, recebendo dinheiro desviado do dízimo da Igreja Universal, da qual os bispos participavam para as obras do castelo.

Depois de construído, os nobres donos de Wartburg ficavam coando o saco dentro dele e bebendo cerveja. Como eram ricos, não se preocupavam em trabalhar. Poe ser construído com o dinheiro dos otários fiéis da igreja, os donos do castelo fizeram um acordo com os bispos, deixando os religiosos frequentarem o castelo quando quisessem.

Em Wartburg, não se sabe o motivo, foram registrados uma grande quantidade de casos de pedofilia. Muitos religiosos viveram no Castelo de Wartburg. Eles ficavam rezando e rezando, mais nada. Por isso, o castelo é geralmente confundido com um monastério. Muitos estudantes se reuniam em Wartburg, aonde discutiam planos para colar na hora da prova e falsificavam atestados médicos para terem motivos "válidos" para faltar na escola.

Atualmente[editar]

Hoje, o castelo está aberto para turistas (pelo menos para os que podem pagar uma diária no hotel dentro do castelo). Ele está incluído entre as construções alemães mais maiores e inúteis, servindo de plágio cópia inspiração para outros castelos igualmente grandes e inúteis. A falta de criatividade do povo local faz com que Wartburg seja o nome de várias coisas além do castelo, como uma marca de carros desconhecida.