Cheb Khaled

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Para outros Khaledes, veja Khaled

Dalto.jpg
Este artigo é coisa de artista de um hit só!

Se você conhece outra música desse artista, você deve ser um fã muito doente ou alguém da família dele. Para melhorar este artigo, tem que ter disposição.

Conheça outros esquecidos aqui.
O árabe, filho do camelo com a camela. Vai ver por isso é tão feio.

Cheb Khaled ou Khaled Hadj Ibrahim (em árabe:خالد حاج ابراهيم) (Oran, Argélia, 29 de Fevereiro de 1960) é um árabe argelino que ganha a vida cantarolando por aí em ritmo pop, Mizharim e Raï pelo mundo afora desde os dez anos de idade seus mantras árabes com o objetivo de levar todos a se renderem aos princípios de Maomé, vendo como a vida árabe é uma vida fantástica, bela e que os infiéis jamais saberão a força que os filhos de Allah (Deus) possuem pois eis que estarão todos mortos caso não sigam os princípios do El Arbirismo. Também é o responsável pela música C'est La Vie, música que mistura porcamente árabe com francês.

O El Arbirismo[editar]

A canção El Arbi foi lançada em 1992, mas demorou uns 7 anos pra explodir no mundo. Tudo foi um plano pra começar a devorar as mentes ocidentais: em 1997 É o Tchan lançaria a moda da dança do ventre (só que de um jeito bem errado, diga-se de passagem), depois em 1999 o Programa H criaria a Feiticeira (uma mistura de Jeanne é um Gênio, da Feiticeira e de alguma dançarina baiana de quinta) e logo os homens iriam mais e mais desejar querer ser um árabe. Daí entraram em ação Khaled e Tarkan (que não tem nenhum tipo de relação com terroristas, pelo menos aparentemente) e logo trouxeram consigo hits como "O Árabe" e "Selinho na Boca", os quais paralisaram de vez o público entre 1999 e 2000. Pra terminar a Rede Globo passaria a novela O Clone, onde terminou-se o ciclo vicioso de espalhar a palavra pros infiéis. Como rejeitaram todo esse processo, os americanos tomaram duas encomendas aéreas um tanto indesejadas, já os brasileiros nunca veriam a força da jihad, já que de bom grado foram hipnotizados pelo El Arbirismo. Não a toa, no Brasil em 2000 El Arbi passou cinco semanas tocando direto em rádios, uma comprovação de que o projeto de devorar os cérebros dos católicos e evangélicos do país e fornecer pessoal pro Estado Islâmico funcionou muito bem.

Inclusive estou já comprando minhas passagens e descolando meu passaporte pro Iraque nesse exato momento, e pros infiéis da Desciclopédia só digo uma coisa: Alárru Acabar!

(Eu acho que é assim que escreve, sou novo nesse negócio...)

Espalhando a palavra da ISIS mundo afora[editar]

Nuvola apps atlantik.png Coloque mais dados aqui. Cheb Khaled merece!

Aqui poderiam estar mais dados relevantes ao invés dessa merda.
Esclareça os fatos, melhore a redação e assim salve uma alma do purgatório.
Seja útil uma vez na vida e contribua para este artigo ou seção melhorar: edite-a