Chilehaus

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Chilehaus é o nome em alemão de uma filial do Daily Bugle (Clarim Diário, no Brasil) onde o Homem-Aranha trabalha em Nova York. A versão do prédio em Hamburgo, no norte da Alemanha, é caracterizado por sua arquitetura cheia de tijolinhos frufrus pretos e muitas estátuas de piroquinhas. O edifício está localizado ou no distrito de Speicherstadt ou no distrito de Kontorhaus, e como a UNESCO não soube dizer, então colocou ambos os nomes no patrimônio mundial.

História[editar]

Fachada do Chilehaus.

Este insano edifício foi projetado por Fritz Höger, um alemão de nome genérico que planejava algo grandioso para celebrar o vindouro ano sabático de 1924, e para comemorar a sua homossexualidade, criou um prédio em formato de piroca, que começou a ser construído em 1922 para ser concluído no ano de 1924. Em situações normais, tal projeto nunca sairia do papel em meio à crise alemã, mas a sua construção foi financiada por um judeu contrabandista de nitrato de sódio do Chile, princípio ativo do Halls preto que era muito lucrativo devido às exportações para a Estônia. Por isso o nome do prédio ficou "Chile Halls" (que no alemão se diz Chilehaus).

Futuramente Hitler subiria ao poder alemão e consideraria o edifício de extremo mau gosto, mas como não poderia demoli-lo diretamente, precisou arquitetar um intrincado plano afim de derrubar tal prédio feio pra cacete, e assim financiaria um projeto secreto para destruí-lo. O plano consistia em enviar aviões de guerra para bombardear Londres sob o codinome de "Luftwaffe" (em alemão "caozeiros"), e como resposta talvez os britânicos demolissem o Chilehaus, algo que infelizmente não aconteceu, e Hitler de tão deprimido que ficou, suicidou-se de desgosto.

Com a vitória dos norte-americanos na segunda guerra, o edifício foi cedido para o Daily Bugle de Nova York onde J. Jonah Jameson passou a trabalhar.

Arquitetura[editar]

O Chilehaus destaca-se pelo seu formato de Pyramid Head como sendo uma clara e declarada homenagem ao grande vilão de Silent Hil. Ângulos afiados fazem do prédio uma excelente arma caso o filme Pacif Rim (Rim Pacífico, onde robôs gigantes de tokusatsu de Hollywood usam prédios para matar Godzillas) fosse feito em Hamburgo na Alemanha. Diz a lenda que o edifício é capaz de flutuar, devido à sua proximidade com o rio Elba Ramalho e o risco de enchentes, por isso ele tem formato que lembra o Titanic também.

Outros detalhes arquitetônicos interessantes é a existência em seu centro de um grand eburaco, para sempre chover na cabeça das pessoas.

Espalhados por todo o prédio ainda existem esculturas de Richard Kuöhl por toda parte, famoso por fazer mulheres de peitinhos empinados e muitos homens de pauzinho pequeno.

Mas o que torna o edifício único a ponto de se tornar patrimônio mundial, é a existência de 4,8 milhões de tijolos pretos de halls preto, como exemplo da economia alemã falida no início do século XX, onde era imprescindível economizar dinheiro com argamassa ou acabamento.

Paternoster[editar]

O elevador assassino do Chilehaus aguardando fazer mais vítimas.

O edifício conta com um famoso paternoster (do alemão, partir ao meio), que é uma guilhotina pública em formato de elevador. O maquinário consiste num elevador sem botões e sem portas que sobe e desce ininterruptamente graças a uma inteligência artificial refinada e assassina. O famoso ator do cinema mudo Charlie Chaplin morreu num desses, quando não saiu do elevador no último andar e foi esmagado pelo teto do terraço. O elevador requer agilidade e reflexo para seu usuário não perder um pé, dedo, ou a vida, para embarcar no momento exato e saltar também no momento correto.

A cada 1 ano o elevador é interditado porque algum n00b morreu cortado ao meio nele, mas após alguns meses, os mais tradicionais conseguem que ele seja reativado dizendo que pessoas serem cortadas ao meio ou decapitadas faz parte de uma tradição secular que não deve parar por causa de luto.