Chocolate com Pimenta

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Rede-GROBO.png PLIM! PLIM! Este artigo é uma coisa da Rede Globo de Manipulação! Esta página pode estar mencionando alguma novela clichê que sua mãe gosta, algum pseudo-ator rouaneteiro ou algum comunista de boteco que se diz jornalista. Para mais coisas relacionadas ao Projaquistão, clique aqui.
Chocolate com Pimenta
[[Arquivo:|150px]]
Logotipo da Abertura
Origem Bandeira do Brasil Brasil
Emissora Rede Globo
Autor Walcyr Carrasco
Tema Chocolate, pimenta
PROTAGONISTAS
Artistas
  • Mariana Ximenes
  • Murilo Benício
  • Priscila Fantim
  • Elizabeth Savalla
  • Angelo Paes Leme
  • Antonio Grassi
  • Marcello Novaes
  • Lilia Cabral
  • Drica Moraes
  • Samara Felippo
  • Dança Gatinho
  • Especiais
  • Zezé di Camargo & Luciano
  • Outros Ninguém
    PERSONAGENS
    Vilões
  • Jezebel (Elizabeth Savala)
  • Tarcísio Filho
  • Bonzinhos
  • Ana Francisca Mariana Ximenes
  • Timóteo Marcello Novaes
  • Mais Idiota
  • Peixoto Angelo Paes Leme
  • Mais Esperto
  • Fodi Murilo Benício
  • NOVELA
    Maior Drama Bernardo é travesti desde a infância.
    Mistério(s) Revista de Fofoca
    Moral Case com coroa rico
    Influência Filme Carrie, a Estranha
    Inspiração Ana Francisca inspirou Carrie.


    Cquote1.svg Finalmente consegui pegar duas de uma vez Cquote2.svg
    Murilo Benício sobre Mariana Ximenes e Priscila Fantin
    Cquote1.svg MAI ELA É HOME!!! Cquote2.svg
    Márcia sobre Bernadete
    Cquote1.svg Eu tenho certeza que vou revitalizar o horário das seis Cquote2.svg
    Walcyr Carrasco sobre Chocolate com Pimenta
    Cquote1.svg Finalmente vou poder foder contracenar com o Murilo Benício Cquote2.svg
    Priscila Fantin sobre Chocolate com Pimenta

    Chocolate com Punheta foi a melhor novela das seis (pois Alma Gêmea é só uma cópia dela) exibida entre não sei que dia e sei lá de 2003. Apresentou a puta atriz Mariana Ximenes em sua primeira mocinha menininha boazinha bonitinha burrinha e pobre coitada (depois viriam mais 2000 personagens do tipo em sua carreira) e o safado talentoso do Murilo Benício, com apenas mais um personagem insosso que fala de boca fechada (depois ele abriria a boca para falar revelando seu irritante sotaque carioca exagerado). Priscila Fantin dá vida à sua primeira malvadinha e insuportável, fato que se repetiria durante 50020516 de vezes. Foi escrita por Walcyr Carrasco e dirigida pelo bissexual diretor Jorge Fernando.

    Sinopse[editar]

    Aí está o símbolo da novela que tantas pessoas adoram.
    A vilã mais famosa da novela.

    A ingênua, virgem e inocente Aninha fugiu lá do fim de mundo Acre onde ela morava, porque uns safados inimigos do pai dela queriam estuprá-la sequestrá-la. A coitada embarca para outro fim de mundo, o curral o sítio de seus parentes: a tataravó CHARMEN; a tia o tio Margarida Margarido, cozinheiro de mão cheia e os primos bastardos: Márcia, uma caipira metida a chique louca para dar o golpe do baú, e Timóteo, um caipira zoófilo que passa os dias brincando no chiqueiro e de noite come a vaca Estrela no celeiro. Ao ganhar uma chance de estudar na escola de freiras para garotas rebeldes e mimadas de uniformes estranhos (alguém lembrou de Chiquititas?), não passa em nenhuma matéria, de tão burra que é. Se apaixona pela primeira vez por Danilo, o pegador oficial da cidade, que só fala de boca fechada e acaba enfrentando a ira divina das gurias retardadas da época, lideradas por Olga, a rapariga poderosa no colégio que ninguém estuda. Ficam apenas fofocando, saltitando enquanto Aninha se ilude nas mãos do cara. Depois de uma bela noitada, ela perde o seu cafetão Danilo para Olga, uma cretina e mimada rapariga patricinha dos anos 20.

    E ainda por cima, no bailinho de fim de escola, Aninha ainda sofre ao levar um banho de gosma, e todo mundo ri da cara dela, lascada, feia e grávida, e Danilo nem vê nada: apenas assiste e Olga tem seu momento de glórias. Aninha foge dali, já transformada em "Carrie, a Estranha", e Meninão a leva embora, com o objetivo de transformar Aninha numa mulher de verdade: poderosa, mandona, rica e sem coração.

    Com isso, começa a odiá-la e o seu gostosão Danilo e, para dar a volta por cima, dá o golpe do baú no velhote Meninão (ela dava esse a apelido quando ia para a cama com ele). Do fruto do amor falso dele e da Aninha, nasce o Tonico e Tinoco, filho dessa rapariga (que na verdade é filho de Danilo, mas ela quis esconder de propósito para completar o plano), um menino chato e mimado que só serve para aumentar o elenco. Depois de 7 anos de tédio com aquele velho cara de bosta, Aninha consegue matá-lo e volta pro Brasil, disposta a mostrar que é a gostosona do pedaço e não tem pra ninguém.

    Nessa novela, também temos a irmã do Meninão, a rainha malvada da Bíblia, a Jezebel, que desviava a verba da fantástica fabrica de chocolates (num sórdido encontro com Willy Wonka) para Brasília, queria o marido da irmã e de todo mundo, e conseguiu transformar o filhinho Bernardo na guria retardada Bernadete, a primeira drag queen da história do Brasil, e a pirralha frufru só descobriu isso anos depois. Outro exemplo é o caso Celina e Guilherme, que era um pseudo "Romeu e Julieta", com pai proibindo tudo, irmã fingindo gravidez, que logo virou gravidez de verdade, mas conseguiram matar a louca, e Celina e Guilherme viveram felizes, blá blá blá, e suas reencarnações estão conosco até hoje, sempre com destinos interligados, como Rodrigo Faro, que paga humilhação no Dança Gatinha, envergonhando a linhagem deles, e Samara Felippo, que provavelmente se mudou pra Recópia. Os dois estão na mesma emissora pela ação do destino!

    Antes de morrer, o Meninão deu uma caixinha de pandora que só depois, bem mais tarde, Aninha descobre que dentro da caixa têm receitinhas para apimentar a relação, para se precaver no caso de Danilo algum dia broxar! Não, não era receita de Viagra, apenas sabores exóticos de bombons feitos com pimenta (até que enfim a explicação do título da novela)! Dona Mocinha, que era uma santa, comeu o bombom e logo em seguida comeu o pobre do Tio Margarido, que a essa altura estava paraplégico e fez toda casa tremer com essa transa selvagem! Desde então, toda a cidade de Ventura passou a encomendar os famosos bombons da luxúria que Aninha vendia na rua (só tinha brocha em Ventura)!

    Enquanto Aninha tem uma recaída e acaba voltando para Danilo (não antes de encarar Olga e sua turma de coleguinhas que aprontam altas confusões com uma turma do barulho!), que no final, se arrepende, resgata Aninha e Tonico do Balão Mágico, depois que foram raptados pelo Fofão. Danilo se ferra, pois tem que criar o guri retardado, dar conta da mulher, e com mais uma filhinha, com a certeza de que o fantasma de Meninão sempre os assombraria, além do arco íris... tem uma Parada Gay!

    Depois que o dinheiro do papai acabou, Olga ficou pobre e foi obrigada a virar escrava de um viado de farda que sempre foi afim dela, provavelmente achava que ela fosse homem por causa dos dedos grossos! A vilã acabou morrendo de desgosto e mais tarde reencarnou inúmeras vezes como a namorada de Eduardo Moscovis, que daria origem à próxima novela do autor!

    Elenco[editar]

    A origem disso tudo.
    • Mariana Ximenes... Aninha (Maria Mijona/Marreca), de lascada a ricaça
    • Murilo Benício... Danilo, o safadão dessa pseudonovela
    • Priscila Fantin... Olga Maria Puta de 4 no 4º
    • Elizabeth Savalla... Jezebel (Oh, como eu sofro!)
    • Samara Felippo... Celina (Cabritinha)
    • Rodrigo Faro... Guilherme, advogado que mais tarde se transferiria pra Recópia
    • Drica semMorais... Olívia Márcia (Eu sô chique, bem!)
    • Marcello Novaes... Timóteo Caipira
    • Laura Cardoso... Vovó Carmen, verdureira mais rodada de Ventura
    • Kayky Brito... Bernardete, que frufruzinho! Bernardo
    • Osmar Prado... Margarido (nome de macho alfa, por sinal), o boleiro
    • Denise Del Vecchio... Dona Mocinha Velhinha
    • Nívea Stelmann... desGraça
    • Ary Fontoura... Jackes Silverinha Ludovico (Meninão)

    Trilha Sonora[editar]

    • Apesar de a novela ser de época (comumente lançam um só CD com temas nacionais — e por vezes também incluindo internacionais —), foram produzidos dois CDs com os repertórios separadamente, graças ao sucesso da trama, que ultrapassava os 40 pontos com facilidade. O êxito de Chocolate com Pimenta refletiu-se nas vendas dos dois discos, principalmente do nacional, catapultado pelo tema de abertura, que a siciliana Deborah Blando gravou especialmente para esse fim, assim como Luiz Possi, filha de Zizi Possi, com sua versão em português para "(Somewhere) Over the Rainbow", Além do Arco-Íris, tema do casal principal;
    • Igualmente comum em novelas de época das 18 horas são trilhas nacionais com temas contemporâneos e mais exclusivos das tramas, enquanto às internacionais cabem canções de época (nem sempre precisa necessariamente ser da década em questão), às exceções das novelas Eterna Magia (2007) e Êta Mundo Bom (2016, esta última também da autoria de Walcyr), com quase todo seu repertório formado só por músicas bem antigas.

    Nacional[editar]

    Capa: Mariana Ximenes como Ana Francisca (aka Maria Mijona)

    1. Além do Arco-Íris (Somewhere Over the Rainbow) - Luiza Possi (tema de Ana Francisca e Danilo)
    2. Tristeza do Jeca - Zezé di Camargo & Luciano
    3. Sensação (Baby Face) - KLB
    4. Encontro (Por um Instante o Amor) (L'Incontro) - Fábio Nestares
    5. Toda Vez Que Eu Digo Adeus (Ev'rytime We Say Goodbye) - Cássia Eller (tema da novela Duas Caras)
    6. Voa Bicho - Milton Nascimento
    7. Pra Lembrar de Nós - Flávio Venturini
    8. Tá-Hi (Pra Você Gostar de Mim) - Eduardo Dus(s)ek
    9. Urubu Malandro - Abraçando Jacaré
    10. Sensível Demais - Nalanda
    11. Valsa Brasileira - Luiz Melodia
    12. De Um Jeito que Não Sai - Leila Pinheiro
    13. Apanhei-te Mini Moog - Mu Carvalho
    14. Chocolate com Pimenta - Deborah Blando (abertura)

    Internacional[editar]

    Capa: Murilo Benício como Danilo

    1. I'm in the Mood for Love - Rod Stewart (tema da novela Salve Jorge)
    2. Everytime We Say Goodbye - Steve Tyrell
    3. Hey There - Bette Midler
    4. (Somewhere) Over the Rainbow - Luiza Possi (também foi tema de O Mágico de Oz)
    5. In The Mood - Glenn Miller & His Orchestra (também foi tema da novela Bambolê, uma que só umas 10 pessoas viram)
    6. Puttin' on the Ritz - Fred Astaire (sem Ginger Rogers. Você provavelmente conhece mais a versão de um tal de "Taco")
    7. Night and Day - Ella Fitzgerald/Buddy Bregman Orchestra (também da trilha de Eterna Magia, mas essa foi um fiasco)
    8. Mack, the Knife (Morität) - Louis Armstrong
    9. Stormy Weather (Keeps Rainin' All the Time) - Etta James/Conductor Riley Hampton (também no CD Cobras & Lagartos internacional)
    10. Lover - John Williams & The Boston Pops
    11. Chocolate Waltz - The John Windsor Company
    12. Good Old Times - Swinging Jellys
    13. Curly Little Girl - Charlie Robins Band

    Música de abertura[editar]

    Chocolate com Pimenta/DEBORAH BLANDO
    Composição: Mu Carvalho

    Frio queimando e o calor do chuveiro
    O amorraiva sem querer
    Formiga e cigarra aqui parecem brigar
    Só desejam ser um belo par

    Sol e lua, casa e rua
    Luz e sereno
    Yin Yang, Ping Pong
    Cura e veneno

    Chocolate com pimenta
    Paixão ciumenta, assim violenta
    De tanto que sofre aumenta