Code of Princess

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Code of Princess é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Chris Redfield esta matando algum hunter.


Código da Princesa
Code of Princess.jpg

A capa mque engana os trouxas punheteiros

Informações
Desenvolvedor Studio Saizensen
Publicador Atlus
Ano 2012
Gênero Beat 'em up
Plataformas Nintendo 3DS
Avaliação 20%
Idade para jogar -12

Code of Princess é um jogo infantilóide sem vergonha (em todos sentidos) que não faz sentido do início ao fim, narra as aventuras de uma princesa que se veste como a mais promíscua das putas, lançado em 2012 exclusivo para o Nintendo 3DS, que sabemos é um portátil que todos só tem joguinhos do Mario ou da Barbie.

História[editar]

Pode acreditar, ela não é uma prostituta, mas sim a princesa de algum reino qualquer aí.

Como qualquer coisa neste joguinho enfadonho, nada faz sentido. De acordo com sua história o mundo é composto por três tipos básicos de seres: Monstros, vilões e mocinhos. Depois disso o Castelo de Greyskull foi invadido por baderneiros, e o rei do Reino Supremo, temendo que estuprassem a sua filha, que não apenas era uma loira gostosa, mas também amava utilizar trajes ridiculamente mínimos que nem as rameiras mais baratas do reino utilizava.

A princesa Solange foi ordenada para fugir, mas antes descer nos calabouços do castelo e levar com ela um dildo sagrado enorme e roliço, para que ela pudesse se saciar e ninguém se aproveitasse do fato dela estar seminua em plena luz do dia praticamente implorando para ser violentada. Todavia ela pegou o dildo errado e o castelo explodiu.

Nesse momento aparece um rapaz árabe que usa sutiã, e ele se torna o amigo gay de Solange, sendo o parceiro ideal para a menina que deveria se manter casta. A cada nova fase sem sentido um novo personagem é apresentado, e o carisma deles é tão pobre e a amizade do grupo é tão forçada, que faz parecer qualquer Fire Emblem uma obra de arte dramática.

O final do jogo é um mistério, não existe alguém que tenha uma mente normal nesse mundo que tenha a capacidade de jogar esse negócio até o final.

Jogabilidade[editar]

O jogo é sobretudo bizarro e procura gerar o menos possível de diversão ao jogador, mantendo um sistema de Beat 'em up massivamente repetitivo onde a habilidade do jogador é elevada ao extremo acerca de sua capacidade física e psicológica de ficar surrando um mesmo botão sem parar por 10 minutos a cada missão.

Personagens[editar]

  • Solange - A protagonista desse game, é talvez o único motivo do jogo ter vendido alguma coisa, porque pela capa parece um jogo de hentai, visto uma princesa seminua manuseando uma enorme espadona esfregando-a em suas partes íntimas. É totalmente inocente e em cada capítulo parece implorar para ser currada pelo batalhão de guardas inimigos
  • Ally - Um eunuco completamente homossexual e oportunista que surge do nada para ajudar, se demonstrando um puta de um desocupado sem ter o que fazer da vida. É o amigo gay de Solange que protege a protagonista de sua inocência, afastando as pessoas que ele percebe que tem segundas intenções (todo mundo que não é gay, como ele).
  • Lady Zozo - Uma feiticeira necromante semi-zumbi que não gosta de ser chamada de zumbi, mesmo que sua pele seja azul, seus cabelos sejam rosas e ela fale através de uma caveira pendurada num chocalho.
  • Allegro - Bardo elfo insuportavelmente clichê, que por ser homossexual, afinal é uma drago queen, e não ter perigo de dar em cima da Solange é aceito no grupo.