Color TV Game

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Foto da família Color TV-Game, só não está na foto o Computer TV-Game, pois faleceu antes mesmo de nascer.

Color TV-Game conhecido como CTG é uma série de trambolhos de plástico antigaços feitos pela Nintendo ainda quando a mesma era conhecida por fazer baralho de truco. Entre 1977 a 1980, foram feitos 5 consoles sob a marca Color TV-Game, e o que era apenas para ser uma calculadora para japa se divertir, acabou virando o console mais vendido de toda a primeira geração de consoles.

Visão Geral[editar]

Color TV-Game 6[editar]

Tela do Color TV-Game 6.
Cquote1.png WOW, nice graphics! Cquote2.png

Lançado em 1 de abril de 1977, o Color TV-Game 6 é uma caixa laranja que parece um teclado (assim como seus outros irmãos), e é nada mais nada menos que um simulador de pong que se diz ter 6 variações de pong, e inclui mais outros jogos como hóquei, vôlei e tênis, mas que não passam da mesma coisa, apenas mudando uma cor ou outra. Todos eles podem ser jogados tanto em single player quanto em multiplayer, mostrando pro seu pai que sim existia como se viciar em jogos eletrônicos em sua época, era só ele mesmo que não tinha dinheiro.

O console é recarregável com pilhas do tipo C (aquelas gigantes de lanterna da Panasonic), e assim como todo o console de primeira geração, seus controles são no próprio aparelho.

Color TV-Game 15[editar]

Dreamcast, Super Nintendo e GameCube com inveja do velho CTG ainda na ativa, ocupando a TV principal.

Lançado em 8 de julho de 1977, essa é uma versão maior e consideravelmente melhor do que o anterior. O console trás dois controles destacáveis do console (mesmo que o fio seja de 1 centímetro), e inclui 15 incríveis, desafiadoras e acelerados tipos do jogo Light Tennis, além das versões precárias de hóquei, vôlei e tênis, e como não pode faltar, Penalty Shootout, um jogo extra onde o jogador tem que acertar uma bola no alvo que está em constante movimento, incrementando a biblioteca de jogos do console.

Foram produzidas versões brancas, vermelhas e laranjas do console, o tom laranja é tão raro que é mais raro do que um mico leão azul que apenas aparece de 300 a 300 anos.

Color TV-Game Racing 112[editar]

Lançado em 8 de julho de 1978, é um console que vinha com um volante no aparelho e ainda incluía marchas. Como alternativa ele também continha 2 controles. O jogo a lá Atari, era controlar um carrinho, evitando outros carros pela estrada, na parte superior a esquerda tinha um contador que conta os carros que o jogador passa, contabilizando no máximo 99 carros, depois disso o jogo dá tela azul e reinicia.

Esse foi o primeiro jogo a ser projetado por Shigeru Miyamoto, que na época era apenas um muleque e que mal sabia o que queria para a vida.

Color TV-Game Block Breaker[editar]

Lançado em 1 de abril de 1979, esse é o console mais chato, é simplesmente um plágio do jogo Breackout da Atari. Não tem multiplayer e foi um fracasso de vendas, sendo totalmente impossível de encontrar um. Shigeru Miyamoto confeccionou o seu design externo, sendo até hoje confundido com o Color TV-Game 6 e total cara da marca.

Computer TV-Game[editar]

A mesa de sinuca. Computer Othello em sua versão de fliperama.

Lançado em algum momento infame de 1980, foi o último console da marca a ser lançado. O aparelho é nada mais nada menos que uma versão home dos antigos arcades de Reversi/Othello. Esse jogo era um daqueles jogos de tabuleiro de plástico que tem cara de Damas, mas que tem sua mecânica totalmente diferente. Era um jogo popular no Japão, e a Nintendo veio a produzir em 1978 uma versão dele para arcades, logo mais se espalhando por casinos e fliperamas, era conhecido como Computer Othello, o jogo que parecia uma mesa de sinuca.

Quando lançado, o console custava 48 mil ienes (aprox. 430 dólares), três anos depois, o Famicom em seu lançamento custava apenas 14 mil ienes (aprox. 130 dólares). Devido o seu preço salgadíssimo, apenas algumas centenas foram produzidas e compradas, fazendo dele mais raro do que Pokémon lendário.