Complexo Arqueológico de Hedeby e Danevirke

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Complexo Arqueológico de Hedeby e Danevirke nada mais é que um bando de colinas artificiais de barro de 4 metros de altura e alguns buracos cavados por vikings do século XI na fronteira entre Alemanha e Dinamarca, uma baboseira que alguém da UNESCO diz ser grandes coisas e você deve acreditar nisso, mas que na prática são só uns buracos e uns aclives bem foleirinhos, feitos por vikings antigos, bem feios até e nada práticos em vários aspectos (tanto que o lugar não durou nem 3 séculos antes de ser abandonado).

De toda forma, são desses dois sítios de onde se extrai o maior material de estudos da Era Viking do século X, já que a única coisa que eles aparentemente sabiam fazer era ficar navegando de barco no Mar do Norte brigando com quem encontrasse, algo que não gera muitos registros práticos. Mas em Hedeby e Danevirke há toda a variedade de quinquilharia que os vikings saqueavam e pilhavam por aí, porque era o único lugar que eles conheciam que compraria seus produtos roubados.Na prática Hedeby era só uma grande loja de penhores de produtos roubados de vikings.

Hedeby[editar]

Atualmente um vasto pedaço de nada na beira de um lago sem graça, estudiosos sabem que ali existiu uma importante cidade viking no passado graças a umas marcações mal feitas na paisagem e devido a existência de umas colinas artificiais de 4 metros de altura. Viking podia até saber dar boas machadadas nos outros e fazer cortes de cabelo maneiríssimos, mas em termos de arquitetura eles eram equiparáveis e um indígena brasileiro, uma completa negação, e Hedeby é o exemplo claro disso: Só um morro perfeitamente transponível que cercava uma cidade que certamente era só de casebres de madeira e palha. Você nunca verá um viking construindo uma Torre Eiffel, uma Pirâmide do Egito ou um Macchu Picchu, só esse bando de oca que obviamente não resistiu o passar do tempo, e hoje só tem um gramado descampado lá.

Dos restos é possível identificar um empório, ruas, puteiros, açougues, cemitérios e o cais de onde chegavam as muambas saqueadas no norte.

Danevirke[editar]

Danevirke. Se até essa mureta mal feita é patrimônio mundial, pelo visto qualquer coisa pode.

Supostamente houve ali uma fortificação, mas se depender do jeito viking de fazer fortificação, eram só umas lombadas e uns buracos que nem são grandes coisas. Danevirke era a cidade viking mais ao sul, e portanto a fronteira com os povos civilizados, e por isso teoricamente deveria ser um local protegido e guardado perto do vilarejo de Hedeby. Mas a suposta grande fortificação viking na verdade era só uma mureta de uns 2 metros de altura que qualquer um podia escalar e transpor facilmente. A grande "defesa" viking era justamente não ter nada do outro lado desse muro, assim ninguém se sentia incentivado a invadi-lo, uma tática brilhante.

A "fortificação" de Danevirke, com aspas propositais em "fortificação", é todavia o exemplo perfeito da cultura viking de resolver as coisas com povos não escandinavos, pois sabendo que todos europeus eram só um bando de almofadinha bunda mole, nem precisavam construir realmente um castelo medieval para se defender, pois se alguém atacasse era só sair cortando a cabeça de quem invadiu, como os vikings gostam de fazer.