Croácia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Republika Hrvatska dos croassaints
Xadrez
Croácia
Bandeira da Croácia
Brasão de Armas da Croácia
Bandeira Brasão
Lema: "Za dom!! Spremni!!"
(Xeque-Mate!)
Hino nacional: Marko Thompson Perkovic - "Bojna Cavoglave"
(Use nossa bandeira para pano de pique-nique)

Localização de Croácia

Capital Alegre (Zagrebe)
Cidade mais populosa Zagreb
Língua Serbo-Croata
Religião oficial Enxadrezismo, Ustasha e catolicismo
Governo Catolicismo Oligárquico Democrático Nuclear e Ustasha
 - Quem manda Mãe do Stifler croata e Bobby Fischer
Heróis Nacionais Dražen Petrović, Goran Ivanišević, Alan Ford, Davor Suker, Ante Pavelic, Miroslav Filipovic, Maks Luburic, Andrija Artukovic, cardeal Stepinac, Dinko Sakic e Anão vestido de palhaço
Área  
 - Total Tabuleiro quadrado com 64 casas km² 
 - Água (%) Um tiquinho de nada
Analfabetismo
População 4 milhões de pessoas com nomes terminados em "ić" ou "ec" 
PIB per Capita 6.842 
IDH 87 
Moeda Peças de Xadrez
Fuso horário 0
Clima Clima de guerra
Website governamental O servidor croata foi destruido durante a guerra


Cquote1.svg Não! Cquote2.svg
Croatas sobre bósnios poderem nadar
Cquote1.svg Esse é meu vizinho indesejado e imitão, a Croácia. Eu saí do Congresso do Partido Comunista da Iugoslávia, aí ele saiu também. Eu pedi independência, aí ele pediu independência também... Cquote2.svg
Eslovênia sobre Croácia

Croácia é só um país de bêbados da Europa que ao longo de sua história fez parte de um mol de países, na maioria das vezes dominados pela Sérvia. Hoje em dia, independente, é mais um país pequeno do leste europeu que fornece jogadores de futebol, recebe turistas por possuir algumas belas vistas litorâneas na costa da Dalmácia e possui as mulheres mais lindas e hedonistas da Europa.

A Croácia é um país que se orgulha de todas as contribuições que já fizeram para a humanidade, como ter eliminado a Inglaterra na Copa de 2018, terem criado a caneta mais inútil do mundo (a penkala), inventado o acessório de roupa mais inútil do mundo (a gravata), criado a arma menos útil nas guerras (o torpedo), e desenvolvido a tecnologia criminal que menos pega bandido no mundo (a datiloscopia), e isso sem contar em coisas como ter a menor cidade do (Hum, que tem esse nome por só caber "uma" pessoa lá) e pessoas como o croata Ruđer Bošković se tornam celebridades atemporais só porque, no caso dele, descobriu uma rachadura de 20 centímetros na Capela Cistina que ele rebocou logo em seguida, se tornando O CROATA QUE SALVOU A CAPELA CISTINA DE UM DESMORONAMENTO. Por isso quando um Luka Modrić da vida ganha uma Bola de Ouro ele automaticamente se torna o maior jogador de todos os tempos da história mundial.

História[editar]

Antiguidade[editar]

A presença humana no que hoje conhecemos como Croácia teve início lá por idos de 100 mil anos a.C., com uma meia dúzia de homens de Neanderthal. Algumas tribos inexpressivas dominaram a região. Esses antigos neandertais criaram o Reino da Ilíria que veio a se tornar tão desconhecido como qualquer outro reino da antiga Europa, um povo que usava escudos de madeira de Itapume e por isso foram facilmente derrotados pelos romanos.

Sob domínio do Império Romano foram construídos alguns palaciozinhos na região e um grande hipódromo transformando a Dalmácia numa grande colônia de férias romana. Aí vieram os hunos, que sodomizaram as mulheres locais, destruíram as cidades, mataram os cavalos e escreveram ótimas peças de teatro ostrogoda. Justiniano, um imperadorzinho de Bizâncio, também esteve por ali dando uma dominadinha básica nas terras da Croácia. O resultado de uma certa negligência generalizada foi o surgimento do Principado da Croácia Panônia (que na verdade é a Bósnia) e o Principado da Croácia Dálmata (esse sim a Croácia), uma invenção para manter os Avarentos afastados porque os croatas não aguentavam viver igual albaneses, feito mendigos, graças ao domínio ávaro.

Reino da Croácia[editar]

O Capitão Croácia, fundador do Reino da Croácia, infelizmente foi derrotado pelo gênio do mal e seu arqui-inimigo, Slobodan Milošević, mas caiu na Antártida onde ficou criogenizado até ser ressuscitado em 1991.

A Croácia começou uma tentativa de ser um reino sozinho no ano de 925. O nome escolhido, "Hrvatska", vem do coaxar dos corvos que pairavam sobre as desoladas planícies montanhosas daquele reino desde as invasões romanas no século II a.C. Posteriormente, impossibilitados de pronunciar um nome tão escroto, os portugueses deram o nome mais pronunciável de "Croácia" para aquele país esquisito. Durante a Idade Média os croatas constituíram também diversos pequenos reinos ao redor do Reino da Croácia, todos impreterivelmente governados por um rei que sempre assumia o nome de Tomislav, sem se preocupar nem em adicionar um número romano para diferenciá-los dum dos outros, precisando os portugueses fazerem isso chamando-os de Tomislav I, Tomislav II, Tomislav III, Tomislav etc.

Durante essa época o Reino da Croácia foi invadido por austríacos, eslovenos, mongóis, albaneses, gregos, uruguaios, paulistanos, soteropolitanos, incas, a sua mãe, e mais um monte de gente. Mas o principal rival durante séculos foram os turcos otomanos, esses parecem que tinham essa ânsia de conquistar a Europa mas sempre encontraram problemas contra os croatas e seus castelos. Toda invasão otomana (e não fora poucas) dava a mesma coisa: Os croatas se trancavam nas suas fortalezas comendo arroz negro com presunto croata e quem se cansava e morria de fome primeiro eram sempre os otomanos que estavam fazendo o cerco. O arroz negro era ideal porque nunca era possível saber quando ele estava estragado, então era consumido sem nunca ser jogado fora, enquanto o famoso presunto croata tem tanto sal que possui uma validade de 600 anos e também não apodrece, sendo ideal para ser comida de cerco. Graças aos croatas os húngaros nunca foram invadidos pelos otomanos, e como agradecimento por todos seus serviços prestados a Croácia e a Hungria se casaram, num acordo onde os húngaros entraram com a pica (do Colomano) e a Croácia entrou com a bunda (do Petar Snačić).

Lá a partir de 1527 a Croácia se tornou um quintal da Casa Habsburgo e até meados do século XIX tornou-se um dos maiores principados da Europa, com poderosas armas, isso até ser atacada pela Macedônia em 1845, quando ambas foram quase destruídas e os Habsburgos fizeram nada. Nessa época, a influência italiana era forte, os restaurantes italianos tornaram-se presença marcante nas cidades croatas. Inclusive, foi com uma doação de tecidos da Associação Croata de Culinaristas Italianos que foram confeccionados os primeiros uniformes da Seleção Croata de Futebol.

Iugoslávia[editar]

Exército croata atacando a casa de um fazendeiro que lembrou que o Estrela Vermelha da Sérvia pelo menos tem uma Champions League enquanto a Seleção da Croácia apesar de tudo não tem Mundial.
Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: República Socialista da Croácia

Percebe-se que durante toda a Idade Média a Croácia conseguiu ser esquecida enquanto era continuamente ocupada pelos venezianos, otomanos austríacos e húngaros, por isso quando em 1918 Petckovic I da Sérvia inventa o Reino da Iugoslávia, a Croácia passa a fazer parte daquele novo Reino sem ser notado.

Durante a Segunda Guerra Mundial, um cara chamado Aimone, líder do Movimento Nacionalista Italiano dos Idiotas Hipócritas sem Respeito à Vida, um dos affairs de Adolf Hitler, fez um pacto com o líder nazista e aceitou ser o novo rei de um novo Estado sock puppet, com capital em Zagreb, chamado Estado Independente da Croácia. O novo rei Aimone, todavia, tinha esse nome 0% croata e isso o tornava impopular até mesmo entre os croatas que odiavam a Iugoslávia, por isso foi sugerido a mudança de seu nome em cartório para Tomislav II e ele foi sugerido a começar a beber álcool de baixa qualidade, para se sentir mais croata, exigências que Aimone nunca gostou e por isso nunca sequer pisou na Croácia para ser rei daquela pocilga.

Mas a partir de 1945, foi um croata chamado Josip Broz Tito que decidiu criar uma Iugoslávia de verdade, uma Iugoslávia na qual os sérvios mandariam em tudo e todos os outros apenas obedeceriam submissos, transformando o antigo Estado dos Eslovenos, Croatas e Sérvios em algo mais simples chamado Sérvios, Sérvios e Sérvios, a Iugoslávia, que por décadas transformou a Croácia num prostíbulo para sérvios.

Guerra de Independência Croata[editar]

Cquote1.svg Meu nome é Slobodan Praljak!... E esse é o Jackass Croácia Cquote2.svg
Últimas palavras de Praljak antes de beber um shot de Guaraná Dolly sabor cianureto de potássio e morrer

A Croácia conquistou a sua independência da Iugoslávia em 1991 mas foi com muito conflito, bomba, limpeza étnica, e ódio (muito embora esta alegria não tenha durado muito, pois em 2013 o país seria anexado ao comando da União Europeia). O herói da independência croata foi o diretor de teatro Slobodan Praljak que ficou famoso por dirigir uma cena de ação em Mostar, na Bósnia e Herzegovina, onde achou perfeito a ideia de explodir e demolir uma ponte velha, feia e sem uso, a Ponte de Mostar, para a cena mais épica de sua obra. O que Praljak não contava é que o Tribunal Internacional depois fosse considerá-lo um criminosos de guerra e condená-lo a escolher entre ficar 20 anos na prisão ou beber um gole de Guaraná Dolly sabor cianureto de potássio misturado com Corote, no que Praljak não teve dúvidas e ficou com a segunda opção, mas infelizmente morreu.

Nessa guerra de independência 150.000 croatas cometeram graves crimes de guerra, enquanto 200.000 sérvios também cometeram graves crimes de guerra. Isso acontece porque enquanto a Croácia estava ali pedindo a independência, um pedaço chamado República Sérvia de Krajina queria a independência da independência, então os croatas tinham que ao mesmo lutar contra a Iugoslávia por sua independência e lutar contra a independência da Krajina, o que causava muita confusão e por isso foram 5 anos de um longo conflito no qual os croatas venceram.

Eventos recentes[editar]

Hoje em dia a Croácia é um reles país que tem energia nuclear mas a não utiliza, sendo mais conhecida pelo uniforme de sua seleção de futebol do que por qualquer outra coisa. Lutaram pra caralho para conquistar a independência apenas para se venderem para a União Europeia.

Geografia[editar]

A Croácia tem um belo mar (ao contrário da Bósnia e Herzegovina e da Sérvia que não tem nada disso e estão para sempre presos sem saída para o mar, e aqueles míseros 6 km de mar dos bósnios dá nem pra lavar um suvaco), natureza bastante agradável (se esquecermos os prédios destruídos em ruínas abandonados no interior do país e as minas terrestres por toda parte), o Parque Nacional dos Lagos de Plitvice (que tem as cachoeiras naturais que mais parecem artificiais do mundo) e os belos engarrafamentos na única estrada do país (A1 que liga as duas únicas cidades do país, Split e Zagreb.

População[editar]

Garotas croatas são facilmente identificáveis por estarem sempre vestidas com panos de pique-nique.

Com uma população de 4 milhões de habitantes os croatas são um povo que acreditam ser uma mescla de austríacos, venezianos, húngaros, gregos, italianos e ilírios, tudo menos eslavos, um croata de verdade não tem ascendência eslava e odeia cirílico por causa disso.

A Croácia basicamente divide-se em quatro etnias: Os eslavônios da Eslavônia que fizeram parte da Hungria por mil anos e, portanto, pensam que são realmente da Áustria e são facilmente reconhecíveis por estarem vestindo cortinas e se comportando como camponeses da época feudal; Os croatas verdadeiros que vivem na Croácia Central e se consideram os verdadeiros croatas porque se esqueceram das origens e acreditam que eles quem inventaram a Croácia; Os ístrios da Ístria que fizeram parte da República de Veneza por mil anos e, portanto, pensam que são a Itália e por isso só sabem falar gritando; E os dalmácios da Dalmácia que vivem na área costeira e são os croatas mais felizes. As quatro partes da Croácia se desprezam mutuamente porque ódio mútuo é o que construiu os Bálcãs e não seria diferente ali. Os croatas do interior são desprezados por sua pele pálida e pelo vício em café; enquanto os croatas do litoral são desprezados por sua subserviência aos turistas estrangeiros e seu bronzeado constante. Os quatro tipos de croatas não têm nada em comum, falam até mesmo diferentes dialetos do croata, a única coisa que os une é o ódio comum para com os sérvios.

Os croatas têm uma longa história de desentendimentos com qualquer etnia com quem já tenham se unido no passado (romanos, alemães, austríacos, tchecos, húngaros, eslovacos, eslovenos, sérvios, macedônios, montenegrianos, bósnios, ávaros, etc) por isso é necessário extrema cautela para não chamar um croata de nenhuma dessas coisas, e por isso eles se vestem com panos de pique-nique, para se tornarem rapidamente detectados e reconhecidos.

Política[editar]

A Croácia é aquele tipo de país no qual seus políticos e generais geralmente se aposentam na Holanda, mais especificamente na cidade de Haia, na companhia de seus camaradas sérvios e bósnios. Mas apesar de sua política folclórica, de uma coisa você pode ter certeza na Croácia: o chefe de Estado foi "eleito" pelo povo. As eleições ocorrem de acordo com o mesmo esquema todos os anos: Cada croata apto a votar joga uma folha de papel em branco na urna eleitoral. Então, por meio de subornos e apostas, é determinado em qual político cada cidadão votou e assim todos os votos são contabilizados. Em seguida o político com pior desempenho tem seus votos multiplicados por quatro, o político com o segundo pior desempenho tem seus votos multiplicados por três e o político com o terceiro pior desempenho tem seus votos multiplicados por dois. Somente quando se tem certeza de que todas as possibilidades de fraude foram realmente esgotadas é que o veredito é anunciado ao povo, e até por isso sempre acontecem eleições inesperadas, tipo quando uma milf foi a primeira presidente milf do mundo.

Como você pode perceber, as eleições na Croácia são diversão garantida para toda a família! As apurações das eleições são transmitidas ao vivo pela televisão por vários dias. Já na escola, todas as crianças croatas aprendem tudo sobre as várias possibilidades de fraude eleitoral, desde o primeiro ano na disciplina obrigatória de "Ciência Política" até os alunos de ensino médio que têm a oportunidade de estudar "Democracia pela Fraude".

Lembrando sempre que os croatas são inimigos naturais do comunismo, mesmo que haja alguns croatas com mentalidade pró-comunismo. No entanto, estes são considerados possuídos pelo diabo, razão pela qual existem tantos exorcistas na Croácia, o maior número per capta de exorcistas do mundo.

Subdivisões[editar]

Em termos simplificados a Croácia se subdivide em três regiões: Litoral, interior, e a Ístria. Um exame simples e rápido que determine a quantidade de vitamina D no sangue de uma pessoa, produzido por exposição a luz solar, já é o bastante para determinar de qual dessas três regiões o determinado croata é oriundo. Mas para dificultar criaram 21 condados, sendo 1 desses condados a cidade de Zagreb, pois é a única cidade do país.


Economia[editar]

A economia croata é baseada na exportação de ingredientes para armas nucleares e minério de ferro. Também exportam panos de pique-nique, cortinas e tabuleiros de xadrez. Apesar da exportação de prostitutas ser considerável, ainda não chega aos pés de Holanda, República Tcheca e Romênia.

A maior conquista da história econômica da Croácia foi ter conseguido se tornar membro da União Europeia. Na época (2013), todo cidadão foi obrigado a depositar 500 kunas por mês em um dos mais de mil porquinhos espalhados pelo país, cuja função era comprovar que a Croácia tinha força suficiente para fazer parte do mercado comum europeu, bem como pagar a mensalidade da instituição. Foi veiculado na época que a Sérvia não fazia parte da União Europeia por terem má fama (e por preconceito dos europeus que não gostam de eslavos mesmo) então a população croata se esforçou ao máximo nessas doações, havendo até relatos de croatas que venderam seus Renault 4 (símbolo nacional) para conseguir os 500 kunas necessários, e oe sforço foi válido, eles conseguiram entrar para a União Europeia, não a toa o Reino Unido já quis sair logo em seguida.

Turismo[editar]

O paradisíaco litoral croata.

Os croatas são um povo muito hospitaleiro e tolerante (a menos que você seja italiano, alemão, austríaco, húngaro, bósnio, montenegrino, esloveno, sérvio, macedônio, albanês, kosovar, romeno, turco, grego, búlgaro, cigano, muçulmano, judeu ou cristão ortodoxo). Prova dessa tolerância são as dezenas de milhares de refugiados trabalhadores sazonais que são expulsos de suas casas deixam voluntariamente seu país natal durante periódicas limpeza étnica migrações espontâneas, para então trabalharem de bom grado na Croácia.

Na Croácia o turismo é fundamental para a economia do país, afinal a principal atividade econômica é o roubo aos turistas, seja um furto/assalto direto como uma ameaça a faca, seja um furto/assalto indireto como uma conta de restaurante cobrando o dobro do valor de quem não fala croata. Por isso há mais hotéis no país do que casas permanentemente habitadas por habitantes locais, e há em média dois hotéis para cada croata. Se o croata não gastasse tanto com álcool, ele seria rico.

Os croatas são muito amigáveis e curiosos ​​(a menos que você seja italiano, alemão, austríaco, húngaro, bósnio, montenegrino, esloveno, sérvio, macedônio, albanês, kosovar, romeno, turco, grego, búlgaro, cigano, muçulmano, judeu ou cristão ortodoxo) e vão sempre querer saber tudo sobre você para depois procurar onde os croatas são melhores que seu país em algum esporte. A maioria dos croatas são muito comunicativos, respondendo imediatamente e enfaticamente negando com a cabeça sempre que um turista pergunta "Do you speak English?". Apesar de quase nenhum croata saber inglês, os lojistas continuarão promovendo suas mercadorias, mesmo depois de você insistir (em inglês) que não fala croata. E se um croata fizer algo nobre por você, mesmo que seja um simples favor, ele não vai para de se gabar dizendo: Ja sam tebi brate tada pomogo, a ti meni ovako sad!

Infraestrutura[editar]

Transportes[editar]

Na Croácia é permitido você aposentar seu caça de guerra e transformá-lo num veículo urbano de passeio. É sério! A guerra acabou em 1995.

A Croácia é facilmente acessível através de uma densa rede de estradas, que, após as recentes modernizações, são acessíveis por mulas em estradinhas de terra lamacenta (evite se apegar a estas mulas, as chances dela pisarem numa mina terrestre e terem uma morte horrível é de 67%).

A rede de rodovias na Croácia era até ano passado de 0 km, até o primeiro-ministro Ivo Robotnik, empolgado por um clima eleitoral, construir a Rodovia Zagreb-Split com seus 476.3 quilômetros, e mesmo assim a maior motivação dessa construção foi ofender os sérvios cujo país tem 476,0 quilômetros de extensão.

A rede ferroviária croata, por outro lado, é abundante, embora um remanescente irritante da regência austríaca no país, comparável a uma viagem com o Expresso do Oriente ao longo da Transiberiana, pois leva mais de 9 horas para viajar pouco mais de 300 km. Para encurtar a viagem existe o trem-bala-croata-X que proporciona um passeio comparável a uma montanha-russa onde todos os viajantes estão condenados a vomitar e chegam ao seu destino ou vivos ou mortos (os mortos são então usados ​​para a combustão da locomotiva a vapor). Esse trem-bala-croata-X encurta a viagem em alguns minutos, mas por outro lado o risco de descarrilamento aumenta em 10 vezes. Nenhum acidente grave ocorreu até agora, entretanto.

Segurança[editar]

A polícia croata segue a Constituição do país que possui apenas 6 artigos:

  • Artigo 1° - O cidadão que for flagrado jogando damas esta sujeito a perder todos os seus direitos, passar por sessão de tortura, interrogatório, pena de 112 anos de reclusão em regime fechado ou, muito pior, ser deportado para a Servia.
  • Artigo 2° - O cidadão que citar a palavra "damas" em um local público esta sujeito a perder todos os seus direitos, passar por sessão de tortura, interrogatório, pena de 97 anos ou ser deportado para o Iraque.
  • Artigo 3° - Todo cidadão morto deve ser enterrado com a bandeira quadriculada suprema croata;
  • Artigo 4° - Todo croata tem como dever cívico renegar o passado ligado à Iugoslávia e à Sérvia. Mesmo que isso implique em ter de admitir que a Croácia nunca ganhou uma Champions League;
  • Artigo 5° - Cantar o hino nacional pelo menos uma vez por semana, e sempre antes de matar um sérvio;
  • Artigo 6° - Não tem artigo 6°.

Educação[editar]

Estudante croata cansada após curtir demais as noitadas de Zagreb.

O ensino fundamental croata tem duração de seis anos e o currículo escolar divide-se em um curso de futebol e um curso de armas. Nos primeiros dois anos, o croata aprenderá todo o básico sobre o que é futebol, como se comportar no estádio, estudar a história das seleções europeias e decorar todos os argumentos necessários para vencer um sérvio num debate de futebol. No terceiro ano os alunos são preparados psicologicamente para sentirem decepções e terão aulas de superar derrotas, para se acostumarem assim ao futebol croata. No quarto ano, inicia-se um curso de armas onde o pequeno croata se familiariza com pistolas, facas, rifles e metralhadoras israelenses Uzi. O quinto ano é quase apenas aulas práticas de tiro. E finalmente, no sexto e último ano da escola primária, o croata é introduzido a diferentes armas.

Depois de concluir a escola primária o cidadão croata pode escolher entre ser um integrante do exército ou um jogador de futebol, podendo ser os dois se quiser. Normalmente, o aluno escolhe onde ele ou ela foi melhor na escola primária. Depois de mais um ano de estudos, o aluno muda-se para uma fábrica para trabalhar fabricando cadarços. Os melhores alunos têm a oportunidade de concluir outra graduação, como um mestrado em futebol.

Saúde[editar]

A medicina croata é considerada uma das mais avançadas do mundo pois foi a primeira medicina a descobrir a causa do resfriado comum, um evento que eles localmente chamam de "propuh". O "propuh" é como os croatas chamam aquela rajada de ar que cruza a casa das pessoas quando essas abrem janelas de duas extremidades opostas da moradia, e acredita-se que essa rajada seja um deslocamento de mau agouro que atravessa não apenas as paredes da casa mas o espírito do seu residente, que uma vez vitimado, fica resfriado. Os croatas descobriram não apenas a causa do resfriado, mas também sua prevenção e o remédio. Para prevenir-se ser atingido por um "propuh" basta manter as janelas da casa fechadas, e caso tenha vacilado e contraído a doença, o melhor remédio é a Rakija, um agradável xarope com base em figos que todo croata adora.

Cultura[editar]

Croata atravessando a rua de casa para fazer um de seus passatempos prediletos: Procurar minas terrestres.

A Croácia é um país de várias tradições, como por exemplo, se você der à luz dentro de uma balsa da empresa Jadrolinija saindo de Hvar, seu filho terá transporte gratuito na balsa pelo resto da vida. Ou então o caso das moradoras da ilha de Susak, o único lugar toda Europa onde a saia tradicional está acima dos joelhos (o que obriga as croatas daquela ilha a vestirem meiões enormes para esconder as coxas, o que faz a ideia daquelas saias sem sentido, enfim).

A maior atividade de lazer dos croatas é sentar em um café e beber expressos ridiculamente pequenos a goles mais ridiculamente pequenos ainda. Nesses cafés croatas as mulheres devem usar óculos escuros grandes e os homens preferencialmente sentar-se com as pernas cruzadas de uma forma incrivelmente inteligente. Lá eles podem sentar-se por horas e reclamar que não têm emprego, falar da seleção do país, falar mal dos sérvios, e todo esse tipo de coisa.

Uma das mais tradicionais festas nacionais é a Festa do Orgulho Croata, onde se escuta música tradicional croata, como Simple Plan e Restart; Nesse festejo persegue-se uma família sérvia até matar todos os componentes por empalamento e também fazem desfiles na capital e no interior com bonecos gigantes de Davor Šuker e Luka Modrić.

A música popular croata em geral é considerada tolerável, especialmente nos países vizinhos. A estrela croata mais notável é Severina Kojić, pelo menos entre os conhecedores de pornografia, e o seu vídeo privado é o filme mais assistido nos Bálcãs. Além de atuar muito bem, ela canta com a emoção de como se alguém a estivesse ouvindo. Seu canto é geralmente acompanhado pelo instrumento nacional, que é o bater de palmas (daí o nome deste gênero de música, a klapa).

Esportes[editar]

Croatas na praia jogando o frescobol croata.

A Croácia é uma nação amante dos esportes, especialmente aqueles que envolvem violência, mais especificamente aqueles que resultem em sérvios feridos e, com alguma sorte, mortos. Atiramento de granada, incendiamento coletivo e linchamento olímpico são destaques nesse sentido.

Mas o esporte nacional infelizmente não é considerado um esporte olímpico, o frescobol croata não foi reconhecido pelo COI mas é amplamente praticado em todas praias croatas. A origem do esporte tem estreita ligação com o fato da Sérvia não ter litoral, então os croatas queriam um jogo que envolvesse necessariamente água do mar, para jamais terem sequer a possibilidade de jogar isso com um sérvio, então inventaram o frescobol croata, que é como um frescobol brasileiro, mas sem a raquete e jogado na área rasa do mar da praia, onde os jogadores devem imitar um retardado mental e ficar pulando na água para pegar a porra de uma bolinha que vai sendo arremessada.

Outro esporte muito popular no país é jogar Campo Minado, mas não no Windows, eles fazem isso ao ar livre. No mundo a Croácia tem como grandes rivais nesse esporte as nações do Camboja, da Angola, e da própria Sérvia. As áreas afetadas (aproximadamente 60% do país e em grande parte desabitadas desde então depois que seus ex-residentes souberam como funciona uma mina terrestre) são visitadas por esportistas intrépidos que andam a pé pelos campos minados devendo detectá-las antes delas explodirem. Após detectadas colocam uma bandeirinha vermelha em cima, sinalizando uma pontuação. Claro, ninguém sabe onde as minas estão escondidas, afinal os sérvios foram preguiçosos demais para fazer mapas apropriados, mas é esse mistério que faz todo o charme do jogo, sempre garantindo uma certa emoção de que o próximo passo poderá ser o último. Estes jogos são particularmente populares entre genros que organizam campeonatos especialmente para as suas sogras, ou entre pessoas simpáticas que querem herdar algo dos seus familiares o mais rápido possível.

Em 2018 a Croácia chegou na Final da Copa do Mundo da FIFA, onde enfrentou a Seleção da Pepsi e perdeu por 4x2.

O futebol move as multidões croatas aos estádios. Nenhuma equipe croata ganhou alguma coisa expressiva fora do país, mas isso não significa muita coisa, pois a torcida apenas comemora efetivamente uma vitória quando esta ocorre em cima de alguma equipe de Belgrado. Antes que você fique pensando que tudo o que ocorre na Croácia visa destruir a Sérvia e seus cidadãos, está redondamente enganado. Avacalhar os albaneses e sacanear eslovenos também é bastante usual. Enquanto Sérvia ou Eslovênia não ganharem uma Copa do Mundo os croatas estarão eternamente satisfeitos com seu vice do mundo de 2018 e com o terceiro do mundo de 1998.

Idioma[editar]

A língua oficial da Croácia é a língua croata. Este idioma se baseia, na maior parte do tempo, em evitar as vogais nas palavras (smrt, vrt, trk, krv, skrt, drkv) ou então usá-las o mínimo necessário (hrvat, brdo), tornando impossível para um estrangeiro aprender a língua. De acordo com outras afirmações populares, o croata é completamente diferente da língua sérvia por ter ojeriza ao alfabeto cirílico, é inclusive crime adaptar a língua croata para o cirílico, mesmo que, por exemplo, a palavra "chá" em croata seja "ćaj", enquanto em sérvio se diga "čaj" (чај). Estatisticamente falando, a palavra "kurac" ocorre uma vez em cada frase croata - e dependendo da situação, pode significar quase tudo.

Se você já fala sérvio será fácil aprender croata. Basta adicionar "J" sempre que possível, omitir vogais no final das palavras, transformar todo "Č" em "Ć", finalizar todas as perguntas com "ne?" a, acima de tudo, falar de forma afeminada. Alguns croatas falam esloveno e é fácil reconhecê-los se fingindo de eslovenos, estes apenas murmuram "kaj" e agem como fazendeiros bêbados.

Flag-map Croácia.png Croácia
HistóriaGeografiaDemografia
PolíticaSubdivisõesEconomia
MoedaTurismoCultura
BandeiraBrasãoHino
Ex-Repúblicas Iugoslávas
Bósnia e Herzegovina ~ Croácia ~ Eslovênia ~ Macedônia ~ Montenegro ~ Sérvia (Kosovo - Vojvodina)
Bandeira da União Europeia.png
Europa
v d e h

Países: Albânia | Alemanha | Andorra | Armênia | Áustria | Azerbaijão | Bélgica | Bielorrússia | Bósnia e Herzegovina | Bulgária | Cazaquistão | Chipre | Croácia | Dinamarca | Eslováquia | Eslovênia | Espanha | Estônia | Finlândia | França | Geórgia | Grécia | Hungria | Irlanda | Islândia | Itália | Letônia | Liechtenstein | Lituânia | Luxemburgo | Macedônia do Norte | Malta | Moldávia | Mônaco | Montenegro | Noruega | Países Baixos | Polônia | Portugal | Reino Unido (Escócia - Inglaterra - Irlanda do Norte - País de Gales) | Romênia | Rússia | San Marino | Sérvia | Suécia | Suíça | Tchéquia | Turquia | Ucrânia | Vaticano

Territórios: Abecásia | Açores | Akrotiri e Dhekelia | Åland | Chipre do Norte | Crimeia | Gibraltar | Ilha da Madeira | Ilha de Man | Ilhas Canárias | Ilhas do Canal | Ilhas Faroé | Jan Mayen | Kosovo | Ossétia do Sul | País Basco | República de Artsaque | Svalbard | Transnístria

OTAN
Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN)
v d e h

Países Membros: AlbâniaAlemanhaBélgicaBulgáriaCanadáCroáciaDinamarcaEslováquiaEslovêniaEspanhaEstôniaEstados UnidosFrançaGréciaHungriaIslândiaItáliaLetôniaLituâniaLuxemburgoMacedônia do NorteMontenegroNoruegaPaíses BaixosPolôniaPortugalReino UnidoRomêniaTchéquiaTurquia