Declaração Universal dos Direitos Humanos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Direitos dos Manos Cquote2.png
Google sobre Declaração Universal dos Direitos Humanos

Uma velha cega e seu direito humano de ter documentos extragrandes para compensar sua cegueira.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos (LEPM[1]) foi uma declaração adotada pelo Conselho da Assembleia Geral das Nações Unidas Capitalistas (10 de dezembro de 1945) criado para dar embasamento legal a condenações e humilhações em geral que os Aliados queriam dar a todos nazistas, fascistas, emos e japoneses derrotados em guerra justa (com exceção da apelação do uso das bombas nucleares).

As descrições do documento da Declaração Universal dos Direitos Humanos, segundo o Guinness Book of Records, o tornam o "Documento Mais Violado do Mundo em Todas as Línguas" (2008, e desde a sua criação).

A Declaração Universal dos Direitos Humanos consiste na Convenção Internacional dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais (MTA[2]), na Convenção Internacional dos Direitos Civis e Políticos (PME[3]) e mais dois protocolos opcionais que ninguém se importa mesmo...

História[editar]

A Declaração Universal dos Direitos Humanos não é o primeiro documento que buscou (sem sucesso) garantir os direitos humanos e não será o último. Idealizado por Jesus e criado por Tom Hanks, a declaração foi aperfeiçoada e legalizada pela comunidade mundial[4] quando esta, reparou que a Carta das Nações Unidas não seria suficiente para condenar desumanamente os nazistas que cometeram crimes de guerra durante a Segunda Guerra Mundial. Nesse documento foi misturado coisas da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, da cartilha do bom samaritano, do Protocolo de Exploração Sutil e adaptações da Declaração Universal dos Direitos Marcianos.

Escrita pelo Conselho (Canadá, Estados Unidos, França, China e Líbano), a declaração foi aprovada em votação, com 48 votos a favor, 0 votos contrários, e 8 abstenções (todos do bloco soviético, Arábia Saudita e África do Sul[5]).

Durante a história do documento, os países foram aos poucos acrescentando incisos e observações para adaptar crueldades contra o ser humano em geral que cometiam. Sabe-se que em 1991, Gargamel certa vez tentou queimar o documento para conseguir conquistar a terra dos Smurfs (aka Camboja).

Estrutura[editar]

Os direitos humanos visam proteger legalmente esse tipo de pessoa (humano).

Escrito em latim pelo papa em pessoa, com tradução oficial para sânscrito, a declaração visa garantir privilégios humanos sobre outros animais em 30 artigos de poucas palavras.

O grande objetivo do documento é pressionar e constranger governos tiranos de países como Brasil, quebrando a sua autoestima, levando ao ridículo e impedindo assim, que estes se tornem ricos algum dia.

Vale lembrar que a declaração como o nome diz, se aplica para todo humano, ou seja, você, sua mãe, sua irmã, eu, seu gato, a mesinha de centro da sua sala, jupterianos,as putas, até mesmo o mouse na sua mão, tudo, tem seus direitos previstos na Declaração. Para tanto, é necessário fazer um cadastro para provar a sua humanidade, venusiano e marcianos não tem direitos previstos nessa declaração.

Neste documento são previstos todos direitos civis (de casar e ter sexo), direitos econômicos (de pagar impostos), direitos de emprego (para trabalhar para pagar impostos) e direito de ter filhos (para que paguem impostos quando você tiver aposentadoria).

Implicações Legais[editar]

Os direitos dos animais não estão previstos na Declaração Universal dos Direitos Humanos, logo, a prática de zoofilia tem uma brecha jurídica.

Lembre-se que a declaração é universal, ou seja, ele vale para humanos de qualquer parte do universo, isso foi importante para terminar com a escravidão humana em Plutão. Porém, os oposicionistas (que mantinham os escravos) resolveram rebaixar esse planeta a um planeta anão.

Todos os artigos na declaração são intransferíveis, não importa o quanto você precise de direito a intimidade, apenas o direito a saúde é previsto no documento, e por isso o House precisa que você tire as roupas[6].

E além desses aspectos, a declaração representa a supremacia dos direitos humanos, colocando o ser humano acima de todos outros animais e de tudo que não seja humano, seja o Superman, os jumentos, ou o presidente.

Repercussão[editar]

Você sabe com quem está falando?

Assim que o documento foi criado, os países que assinaram a declaração [7] saíram saltitando em campos floridos, abraçados e sorrindo, comemorando que essa declaração era maravilhosa, perfeita, linda e perfumada. E assim, passando alguns minutos, todos começaram a ignorar cada um dos artigos e direitos humanos previstos.

Entre os países islâmicos, alguns artigos repercutiram mal e o documento foi considerado herege, pois defendia coisas absurdas como liberdade de expressão, liberdade de crença religiosa, liberdade de opção sexual, liberdade de se vestir e a principal afronta, que foi colocar os direitos humanos acima dos direitos dos camelos. Após violar tantas tradições do mundo árabe, foi criado o Jihad para combater essa tal de Declaração Universal dos Direitos Humanos.

O documento também não foi bem aceito por crianças de toda parte do mundo (principalmente do Brasil), pois o direito a educação, lhes tirou a opção de poder vadiar, pedir esmola, ou trabalhar para sustentar a casa. Agora, as crianças devem perder seu tempo indo à escola e fazer trabalhos medonhos de matemática.

A Declaração[editar]

Artigo I

Todos humanos nascem iguais e tem o direito de limpar a bunda com a mão esquerda.

Artigo II

Homossexualismo interracial. A melhor expressão de liberdade da aplicação dos Direitos Humanos.
Todos artigos nessa declaração contidas, se aplicam a todos humanos[8]. Sem distinção se você, se humano, for gay, mulher, árabe, grávida, deficiente visual, velhinho que comeu e não pagou, metaleiro, drogado, assassino, seu tio engraçadão, crente, indígena, morto, zumbi, capitalista, católico, soviético, prostituta, imbecil, otaku ou traficante.

Artigo III

Cquote1.png Eu prefiro morrer do que perder a vida Cquote2.png
Seu Madruga sobre Artigo III da Declaração Universal dos Direitos Humanos
Todos tem direito a viver por mais desgraçada que seja a vida.

Artigo IV

Ninguém pode ser submetido a trabalho escravo. Esse tipo de ação deve ser feita de forma mais sutil, cobrando em impostos o salário inteiro do trabalhador.

Artigo V

Ninguém pode ser submetido a tortura ou tratamento cruel, chame o Rambo.

Artigo VI

Todo ser humano tem direito de ser humano[9].

Artigo VII

Todos seres humanos são iguais[10].

Artigo VIII

Todos tem direito a um clínico geral, até mesmo os hipocondríacos, de serem atendidos pelo Dr. House.

Artigo IX

Todos tem direito de ser preso.

Artigo X

Todos tem o direito de editar a Desciclopédia.

Artigo XI[11]

1.Todos humanos são inocentes perante a lei.
2.Ninguém pode ser condenado a morte na guilhotina.

Artigo XII

O porteiro é proibido de abrir suas correspondências. A ABIN não pode fazer grampos telefônicos na sua casa. O governo não pode abrir seu sigilo bancário na Suíça.

Artigo XIII

Agora todos tem o direito de escolher a cachaça que quiser.
1.Todos tem o direito de ir e vir (ser vagabundo).
2.Todos tem o direito de entrar em qualquer país[12].

Artigo XIV

1.Todos tem o direito de pedir asilo político em outros países quando a coisa fica preta.
2.O asilo político não impede que o bandido seja preso, perseguido e humilhado.

Artigo XV

1.Todos tem o direito de nascer em algum país.
2.Ninguém por mais idiota que seja, e vergonhoso para a nação, pode ter sua nacionalidade modificada arbitrariamente.

Artigo XVI

1.Todos adultos tem o direito de casar e se separar, quantas vezes quiser, com quiser, sem distinção de mulher e homem.
2.Todos tem direito a participar de orgias com quem bem entender.
3. Todos tem direito a família.

Artigo XVII

1.Todos tem direito a moradia. Seja uma mansão ou embaixo de uma ponte.
2.Ninguém pode ser desapropriado de seu barraco. Cada um mora onde quiser.

Artigo XVIII

Todos tem direito a expressão livre e espontânea de crença e religião, até os ateus.

Artigo XIX

Todos tem liberdade de fazer o que quiser.

Artigo XX

1.Todos são livres para votar no partido que quiser
2.Ninguém pode comprar votos.

Artigo XXI

Todos tem direito a segurança e uma polícia que zele pela paz.
1.Todos tem o direito de assistir na televisão as votações tediosas no congresso de seu país.
2.Todos tem direito a acesso gratuito aos serviços do governo (em caso de terceirização, experimente pedir seus impostos de volta).
3.Blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá.

Artigo XXII

Todos tem direitos de serem o quiser, nem que seja uma patricinha, um playsson, ou até mesmo um emo.

Artigo XXIII

1.Todos tem direito a trabalhar, para assim ter condições de pagar impostos.
2.Todos devem receber salários que dê para pagar seus impostos.
3.Ninguém pode ser humilhado no trabalho (deixe isso para o happy hour).
4.Todos tem direitos de falir.

Artigo XXIV

Todos tem o direito de dormir com ursinhos.

Artigo XXV

Todos tem o direito de morrer obrigatoriamente e irrenunciavelmente.
Mulheres e crianças primeiro.

Artigo XXVI

Todos tem o direito inafiançável de ir e vir.
1.Todos tem direito a educação báscia, média e superior.
2.Toda universidade é obrigada a aceitar pagamento de mensalidades com notas promissórias.
3. Os pais tem o direito de escolher qual curso seus filhos vão estudar.

Artigo XXVII

1.Todos tem o direito de ter a cultura que bem entender.
2.Pesquisas científicas não podem detrimir culturas, como provar por exemplo que um gaúcho é gay.

Artigo XXVIII

Todos tem direito de fazer cosplay.

Artigo XXIX

1.Todos tem deveres previstos na Declaração Universal dos Deveres Humanos.
2.Todos tem direito de optar por jogar na loteria ou no bicho.
3.Todos tem o direito de acreditar em alienígenas.

Artigo XXX

Essa declaração se aplica a todos humanos, de todo o universo, e não deve ser violada.

Como Interrogar um Criminoso de Óbvia Altíssima Periculosidade com Informações Valiosas para a Segurança Mundial sem Ferir a Declaração Universal dos Direitos Humanos[editar]

Uma das formas de interrogar um criminoso de óbvia altíssima periculosidade com informações valiosas para a segurança mundial sem ferir a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Todos conhecem o Rambo e o Jack Bauer, mas ao contrário do que podem imaginar, seus principais inimigos não são terroristas e vietnamitas aloprados, o seu principal inimigo é a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que impede que eles consigam socar bandidos e marginais dentro das delegacias. Mas com experiência, adquiriram a famosa técnica de Como Interrogar um Criminoso de Óbvia Altíssima Periculosidade com Informações Valiosas para a Segurança Mundial sem Ferir a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Resumidamente, o interrogador deve entrar em um complicado e profundo jogo psicológico com o marginal, sempre abusando de artimanhas não previstas na Declaração Universal dos Direitos Humanos, se usando de muito blefe e tom de voz ríspido e sério, para caso dê merda, poder dizer na Suprema Corte Mundial que era apenas uma brincadeirinha e conversa saudável.

Entre as opções mais básicas, está a de amarrar o criminoso numa cadeira e criar um clima de intimidação física, moral e religiosa, além de expor o criminoso a todas suas fobias registradas nos arquivos do FBI. Se todas as pseudo-ameaças e humilhações sexuais ainda não forem o bastante, experimente engatilhar uma semi-automática e dizer que vai fazer roleta russa com o bandido, quando você disparar a arma (sem munição) ele com certeza já vai ter confessado tudo.

Veja Também[editar]

Notas e Referências[editar]

  1. De acordo com a revista Times: "Leia Essa P**** de Manuscrito".
  2. Também conhecido como: "Morte a Todos Ateístas"
  3. Também conhecido como "Piada Muito engraçada"
  4. Isso significa "Todos que possuem poder de veto no Conselho de Segurança"
  5. Os líderes dessas nações estavam, por coincidência e fatalidade, distantes de Genebra e não puderam comparecer.
  6. Caso você seja um dos países do Conselho, pode apelar para a criação de um inciso na Declaração Universal dos Direitos Humanos (não se esqueça de contratar um bom advogado).
  7. Referem-se a Lord Voldemort.
  8. Excluem-se os animais (Quico).
  9. Esse artigo apesar de óbvio e paradoxal, foi criado como prevenção, caso no futuro robôs dominem o planeta e obrigue humanos e se tornarem cyborgs.
  10. Artigo referente ao direito de criar clones.
  11. Artigo muito usado no Brasil chamado de "impunidade".
  12. exceção Coreia do Norte, lembre-se, aquilo não é um país.