Diógenes de Sínope

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Pensador trabalhando.jpg Diógenes de Sínope é um filósofo
Portanto também é um deficiente mental...

Este é mais um desocupado que não tinha porra nenhuma pra fazer além de contemplar a empolgante vida sexual dos caramujos-de-jardim. Se você é uma pessoa provida de um pouco de sanidade mental, vá procurar algo melhor para ler, como uma bula de remédio!

Diógenes (Sínope, 404 a.C.Corinto, 323 a.C.) é um filósofo cínico da antiguidade grega, que na verdade era um mendigo folclórico da antiga Atenas que um dia bateu a cabeça e começou a ter as ideias malucas pelas quais ficou conhecido para sempre.

Vida[editar]

Diógenes defendia que toda mulher deveria ser uma puta para o mundo ser um lugar melhor de se viver.

Diógenes foi ainda jovem exilado de sua terra natal, uma bucólica cidade do interior, por ser muito chato e ter sodomizado sexualmente o ânus de algumas cabras. Perdido na estrada foi sequestrado por alguns piratas durante as Guerras Ninjas vs. Piratas. Diógenes foi vendido como escravo para Xerxes que decidiu o abandonar em Atenas.

Em Atenas Diógenes passou a viver como mendigo. Revoltado contra a sociedade por tudo o que passou, palestrava dizendo que era discipulo de Antístenes, e todo mundo acreditou, já que Diógenes era meio malucão.

Diógenes não era uma pessoa que poderia ser considerada a mais sã do mundo, ele andava de dia carregando uma lamparina acesa, dizendo que estava procurando homens (que gay). Além disso pedia esmola apenas à estátuas e ser amantes de cães.

Tinha como bens apenas um alforje, um bastão e uma tigela, além de morar num barril. Para justificar sua vida miserável dizia que a pobreza era uma virtude. Só ele mesmo acredita nisso. Durante toda sua vida combateu os costumes da sociedade de forma empírica, cagando na meia de quem as pendurasse nas janelas.

O encontro de Diógenes com Alexandre, o Grande ficou famoso, quando o filósofo chamou Alexandre de gordo.

Filosofia[editar]

Um dos seguidores da Filosofia de Diógenes Moderna, morando num barril.

Assim como Sócrates, Diógenes tinha a habilidade de fazer a cabeça das pessoas explodir apenas usando uma confusa retórica e lógica ilógica. A diferença é que Diógenes era mais empírico e praticava todas aquelas merdas que pensava nas ruas de Atenas.

Destaca-se a sua corrente filosófica sobre o cinismo como a melhor arma da retórica. Se não houver empatia com suas ideias, você pode argumentar igual um kamikaze e vencer o discurso. Ficou famoso por suas atitudes radicais para alcançar seus ideias de anarquismo. Frequentemente andava pelado, roubava pão e chamava todo mundo de Playboy.

Por fim, defendia que o amor era um absurdo (filosofia de corno).

Diógenes considerava a sociedade hipócrita, e defendia que o mundo deveria ser uma grande orgia, e várias instituições como casamento, cidades e nações deveriam ser extintas. Defendia as práticas de canibalismo, bacanais sexuais ao ar livre, zoofilia, pederastismo, liberdade de cagar e mijar onde quiser, indiferença à sepultura, fim do dinheiro, fim das armas, fim do trabalho, ou seja, uma grande festa 24 horas por dia todo dia.