Dmitri Mendeleev

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
St Basils Cathedral-500px.jpg РУССКАЯ ВОДКА

Estin artigovski é russki!

Karakovsk Tchaikovsky Dostoiévski.

Smirnoff.gif
ESTE ARTIGO É SOBRE QUÍMICA

Não estranhe se o 2,2,4-trimetilpentano for chamado de isoctano, só fique indignado.

SPDF.png

Cquote1.png Você quis dizer: Dmitri Medvedev? Cquote2.png
Google sobre Dmitri Mendeleev

Dmitri Ivanovich Mendeleev, mais feio que o nome.

Менделеев Иван$ович Э§ Üи wэфд&(em russo), ou Dmitri Mendeleev (São Petersburgo, 15 de Novembro de 1806 - Moscou, 23 de Fevereiro de 1874) foi um grande cientista maluco russo, grande charlatão, foi um dos primeiros cientístas a serem imortalizados por teorizarem algo mais que óbvio. Mendeleev contribuiu muito na área de química, sendo o pai daquelas explosões de laboratório. Foi o único cientista que já se atreveu a estudar a fundo todos os elementos da natureza e organiza-lo em uma tabela, o que a história não conta é que a sua ideia inicial na criação da tabela dos elementos químicos era apenas para classificar alguns queijos.

Mendeleev ainda foi o grande inventou do famoso Idioma Dmitriano, conhecido como o linguajar mais irritante que existe, falado em siglas, códigos e números que aparecem na tabela periódica, o dicionário da língua dmitriana. Lembre-se em Dmitriano a palavra Cu não é palavra feia, é apenas cobre!

Hoje, todo aluno na escola é obrigado a continuar estudando as teorias obsoletas e ultrapassadas de Mendeleev, já que as aulas de química na escola mais parecem aulas de "história do estudo da química" e por isso todos acreditam na bobagem que é a tabela periódica, até que algum outro gênio louco tenha coragem de desafiar a igreja e provar que a tabela periódica é totalmente errada.

Mendeleev em estado crítico de vegetação, quando ficou estudando por 10 anos sem comer, tomar banho ou levantar de sua cadeira.

Infância[editar]

Mendeleev esquerda em uma foto de infância na Sibéria.

Mendeleev nasceu na Sibéria em um dia antigo de um mês desconhecido de um ano há muito tempo atrás, rodeado de ursos polares, desde criança combateu krakens, pescou no gelo e observou auroras boreais, tudo para atiçar a curiosidade daquele garoto que nada tinha o que fazer a não ser ficar filosofando consigo mesmo as razões de ser da natureza e nessa loucura ululante ter a "Paciência de Jó" para estudar os elementos químicos.

Mendeleev era o mais jovem de seus 17 irmãos, entre eles o ilustre Hyoga de Cisne e o Druida Panoramix, e seu tio Mestre Cristal, Mendeleev se especializou no estudo dos átomos baseado na experiências de seu mestre que falava abobrinha sobre atingir o zero absoluto, o ponto aonde os átomos param de se mexer. Interessado cada vez mais por átomos, Mendeleev seguiu carreira na profissão de cientista maluco.

Mendeleev em uma conferência científica e seu jeito truculento costumeiro.

Seu pai era Ivan Pavlovich Mendelévo, um velho que comeu e não pagou, sofria de uma doença grave incurável além de ser cego, por isso só dava trabalho para seus 18 filhos e sua adorável esposa. A mãe de Dmitri era Maria Dmitria Mendelévia a maior cafetina do nordeste asiático, era dona de uma pequena fábrica de gelo também.

Desde jovem Mendeleev se destacava em ciências sociais, química, filosofia e outras matérias truculentas, mas era muito ruim nas matérias de português, tanto que não conseguia nem escrever o próprio nome corretamente, no futuro inclusive, sua dificuldade em escrever palavras, lhe fariam desenvolver uma tabela com siglas para listas os elementos químicos que ele tanto se dedicava a decorar os nomes.

Então, Mendeleev se disfarçou de Mago Merlin para tentar a sorte na cidade grande como filósfo, vidente e mendigo de semáforo/flanelinha. Com o dinheiro que juntou, e com a cara de sábio que tinha ganhou uma bolsa na Universidade Xenófoba de São Petersburgo depois de subornar o diretor "Alexander Voskresenki" se disfarçando de médico e dando um falso diagnóstico de tuberculose ao coitado e chantagear a sua entrada na academia.

Vida como químico[editar]

Cquote1.png Aonde estão minhas playboys? Cquote2.png
Dmitri Mendeleev

Ao se formar, Mendeleev recebeu a triste notícia da morte de seu pai, que morreu congelado até os ossos quando se perdeu do caminho de casa, terminou devorado por alguns ursos polares como manda a velha tradição siberiana para funerais. Se isso já não bastasse, a fábrica de gelo de sua mãe também pegou fogo, e seus 16 irmãos sumiram misteriosamente, ficando para trás apenas a sua única irmã, que vendia rosas nas esquinas de Moscou. Mendeleev até casou por pressão da irmã que não aguentava ter um encalhado na família.

Revoltado, Mendeleev se trancafiou em um laboratório secreto sinistro nas masmorras de Moscou financiado pelo governo com o objetivo de produzir diamantes através de carvão, e ouro através de urina. Ele estava lunático em descobrir essa alquimia, tanto que nunca perdia tempo com o que considerava frivolidades, tais como tomar banho, fazer a barba, urinar, se alimentar, se relacionar socialmente com as outras pessoas e até mesmo beber vodka.

Mendeleev gostava de se vestir de Papai Noel, porque os trajes típicos do bom velhinho, eram os mesmos de sua terra natal, Sibéria, e Mendeleev tinha orgulho de suas origens.

Colar nas provas de química ficou muito mais difícil!

Durante muito tempo Mendeleev foi presidente da IUPAC, sindicato de químicos fundado pelo próprio Mendeleev, esse sindicato visava expurgar os biólogos e outros sanguessugas que trabalhavam na área de alquimia. Mendeleev também inventou um bocado de prêmios de química para se autoconceder e também oficializou o "Prêmio Nobel da Excelência em Química" que existia não-oficialmente, inventado por Mago Merlin e Midas há muito tempo atrás.

Passou o resto de sua vida estudando química em laboratórios medievais e era conhecido como o "Homem do Saco", em versão "mago malvado da colina". A lenda ficou famosa em São Petersburgo aonde as criancinhas que não obedecessem seus pais seriam pegas por Mendeleev para executar nelas experiências com poções mágicas em teste.

Mandeleev faleceu em estado vegetativo depois de ficar 50 anos sem se alimentar dedicando seu tempo ao estudo da química.

Criação da Tabela Periódica[editar]

Rascunho original da tabela periódica dos elementos em um papel higiênico.

A Tabela Periódica (PДpзl Hiбiёиiсф em russo) foi o maior legado de Mendeleev e se tratava de um pequeno esqueminha divertido escrito em um pedaço de papel higiênico usado, criado em um "insight" de Mendeleev ao vaso sanitário. Essa maravilhosa tabela é responsável por ordenar, explicar todas as teorias estranhas da química. Nessa tabela descansa toda a sabedoria e raciocínio de Mendeleev. Teorias da Conspiração cogitam a existência de um Código de Mendeleev na tabela periódica, tal qual o Código da Vinci no quadro da Monalisa. Se você usar um pouco da imaginação, pode perceber que a tabela periódica tem vários cantos satânicos e mensagens subliminares (um exemplo bem claro é o elemento Cu, disfarçado de cobre na tabela).

O importante é saber que essa maldita tabela revolucionou o estudo da química, ela é o dicionário dos elementos químicos, agrupando todos os 600 elementos em quadradinhos numerados, rasurados e coloridos. Ninguém nunca teve a coragem de estudar e modificar essa tabela até mesmo porque ninguém nunca chegou a entende-la completamente. A tabela periódica foi aceita porque foi um russo que a confeccionou, e os russos são "cabeça". Somente Antoine Lavoisier meteu o bedelho na tabela colorindo ela para poder ficar mais acessível às crianças.

Rascunhos originais com os cálculos de Mendeleev na confecção da tabela periódica.

A tabela periódica foi confeccionada de uma maneira que qualquer criança possa entender. Isso foi tão ruim, que química deixou de ser algo difícil, estudado apenas por velhos caquéticos e loucos, e passou a ser ensinada para crianças na escola, sendo a matéria mais temida no ensino médio.

Popularizada, a tabela periódica passou a ser empregada em toda parte, no McDonald's ela é usada para enumerar os pedidos das refeições disponíveis com base nos elementos químicos estranhos da tabela periódica.

A tabela foi apresentada para a comunidade científica, que na época era toda católica e sempre achou a ciência coisa do demônio e logicamente o trabalho de anos de Mendeleev foi rejeitado, queimado e banido do conhecimento. Mendellev não esperava pela Inquisição Espanhola. Mas Mendeleev não desistiu, ele era maluco (clinicamente) e criou outra tabela periódica e dessa vez, ainda com mais dados, para confundir a cabeça mais ainda e a tabela começou a ser aceita pelos químicos. A tabela periódica conseguiu aceitação científica somente em um Congresso na Alemanha, depois que Mendellev explicou que suas pesquisas foram feitas em solo russo e por isso os cálculos davam errado no restante do mundo, já que as condições físicas e quânticas do terreno russo são diferentes de qualquer outro lugar no universo e o alfabeto cirílico também não ajudava a aparência da tabela. Assim a tabela foi universalizada aonde os cálculos de Mendeleev precisavam apenas de uma conversão para a realidade química dos outros lugares do planeta.

Resultado final da Tabela Periódica.

Após o congresso e a aceitação científica da tabela periódica, Mendeleev foi preso quando voltou a São Petersburgo, acusado de esconder do governo comunista patentes da Pedra Filosofal e a Mão de Midas que de fato ele havia inventado. Na prisão escreveu um livro de poesia baseado em seu elemento favorito, o carbono, O nome do livro era "Química Orgânica".

Em 1955, o elemento atômico Nº 101 da tabela periódica foi inventado em laboratório e recebeu o nome Dmitrio Mendelévio (MD), em homenagem ao criador daquela listinha.

Curiosidades[editar]

  • Mendeleev apesar de cientista louco, era humano.
  • Como humano, Mendeleev tinha passatempos, seus favoritos eram caçar borboletas, beber vodka e assistir telenovelas ucranianas
  • Em 1869 publicou a maior de suas obras, "Os Princípios da Química", famoso por ser o mais vendido livro ilustrado na Rússia no século XIX, e ainda trouxe uma e ainda trouxe a tabela periódica traduzida em mais de 450 idiomas, dialetos e variações.
  • Em 1861, Mendeleev comprou uma fazenda para pôr em prática os seus métodos científicos com o carbono e a química orgânica, no intuito de plantar carvão.
  • Em 1887, embarcou numa balão para analisar o eclipse solar de mais perto.
  • Em 1901, em oportunidade rara, saiu de seu laboratório nas colinas e visitou Chernobyl e Goiânia para estudar no ar os elementos radioativos de sua tabela periódica.
  • Em 2 de fevereiro de 1907 é considerado o Nostradamus dos elementos químicos.

Artigos Relacionados[editar]

Mad scientist.jpg
Alquimistas Químicos e cientistas loucos em geral
v d e h

Antoine Lavoisier - Alessandro Volta - Alfred Werner - Amedeo Avogadro - Berzellius - Dmitri Mendeleev - Doutor Roberto - Ernest Rutherford - Friederich Kekulé - Friederich Wöhler - Gay-Lussac - Geraldo Vicentini - Henri Louis Le Châtelier - Humphry Davy - John Dalton - Joseph John Thomson - Joseph Louis Proust - Linus Pauling - Louis Pasteur - Marie Curie - Niels Bohr - Otto Hahn - Paracelso - Pierre Curie - Robert Boyle - Stanley Miller - Svante Arrhenius