Dragon Ball Z: The Legacy of Goku

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg Dragon Ball Z: The Legacy of Goku é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, o Link está puto porque chamaram ele de Zelda.


Dragão Bola Z: O Legado do Gugu
Dbz-legacy-of-goku1.jpg
Informações
Desenvolvedor Webfoot Technologies
Publicador Infogrames
Ano 2002
Gênero Action RPG
Plataformas Game Boy Advance
Avaliação Pior que qualquer fangame brasileiro feito no RPG Maker.
Idade para jogar Nenhuma

Cquote1.png Experimente também: ignorar essa merda e ir jogar o II ou o Buu's Fury Cquote2.png
Sugestão do Google para Dragon Ball Z: The Legacy of Goku

Cquote1.svg Fomos despejados! Cquote2.svg
Saibamen, Dodoria, Zarbon, Gurdo e Dende sobre esse jogo

Cquote1.svg É um oponente digno, mas nunca irá me superar! Cquote2.svg
Superman 64 sobre Dragon Ball Z: The Legacy of Goku


Dragon Ball Z: The Legacy of Goku é um Action RPG mal-feito, curto, tosco e cheio de erros de roteiro criado pela Webfode Technologies no computador do Doutor Maki Gero para matar os jogadores de GBA de tédio e falir a Nintendo... e aproveitar para ganhar uns trocados em cima dos fãs trouxas para financiar as férias dos desenvolvedores dessa bomba.

Jogabilidade[editar]

A melhor parte do jogo sem dúvida é a jogabilidade. Você só joga com o Goku, que anda em câmera lenta pelos cenários matando animais silvestres e pegando bolas com asas para poder voar por uns cinco segundos e poder fugir dos lobos, dinossauros e chefes. Por ser um jumento, Goku recupera vida comendo o capim que ele acha debaixo de pedras.

Como nas histórias de DBZ o Goku passa a maior parte morto, treinando ou internado num hospício (para dar destaque aos personagens secundários), aparecendo apenas no final das sagas para vencer os vilões e salvar o mundo, o RPG dura umas três horas e corta mais de 60% do contudo da obra original.

Pensando sempre no mal-estar bem-estar do jogador, os desenvolvedores colocaram os mesmos movimentos e ataques em todos os inimigos do jogo para ninguém precisar pensar em estrategias diferentes na hora da porradaria: eles socam quando estão perto e atiram lêiser colorido quando estão longe. Os chefes nem usam suas técnicas especiais como Garlick Ho e Death Ball, por isso a única diferença entre a luta com um lobo genérico e a com o Freeza é a duração da batalha. Só o Goku tem poderes diferentes por ser o protagonista: um Kame Hame Ha com efeito sonoro ripado do anime (e que demora para carregar, sendo menos eficaz que os tirinhos de ki genéricos) e um Taiyouken (que não cega, mas paralisa o inimigo por 3 segundos pro Goku poder fugir da briga sem precisar voar).

Roteiro[editar]

Goku pega no rabo do irmão para enfraquece-lo e força-lo a comprar essa bomba. Uma cena com gráficos in-game desse fabuloso exclusivo de GBA.

A joça começa com Goku indo de fumace amarelo até a ilha do presunto vivo que é o Mestre Kame para apresentar seu filho nerd chorão, Gohan. Kame diz que largou 3 playboys espalhadas pela ilha e pede para Goku achá-las antes que Gohan seja apresentado ao nudismo e siga para o mal caminho. Ao coletar todas, Raditz (o irmão subaproveitado de Goku) surge e revela aquela manjada história sobre Goku ser um babuíno mutante de Plutão que veio conquistar a Terra. Raditz ordena que o irmão mate seus amigos terráqueos e venha com ele babar os ovos do grande Nappa e do Vegeta. Goku se recusa, então Raditz sequestra seu filho e foge. Piccolo Júnior aparece e diz que vai ajudar Goku a derrotar o Raditz, mas secretamente planeja matar os dois para vingar a morte de seu pai, Satanás.

Apesar de já poder voar no começo do jogo (antes mesmo de conhecer o Senhor Kaio!), Goku pega sua Nuvem Voadora e volta pra casa para levar bronca da Chichi; depois ele decide ir a pé até o local onde caiu a nave do seu irmão, matando vários esquilos, cobras e lobos (com dificuldade!) que cruzam seu caminho. Ele vê Tenshinhan e Chaos (um casal de skinheads) se pegando atrás da moita e ganha 500 pontos de experiencia de cada para ficar de bico calado, além de colocar três pedras num riacho para fazer uma ponte e desencalhar um NPC qualquer.

Depois, Goku chega a uma vila e é morto por um lobo na entrada fala com seu cacique, que Goku só poderá prosseguir se ele fizer umas side-quests mandatárias: salvar uma menina e um gato que se perderam no morro, colher flores para um moleque e pegar um barquinho encalhado de outro pirralho (tudo a ver com Dragon Ball!). Goku também flagra Yamcha e seu gato falante vendendo drogas no morro, e ganha mais 1000 pontos de experiencia e um cachimbo da paz para fazer vista grossa. Depois disso, Goku entra na boca de um fóssil de Enormossauro na casa do cacique, aprende a usar Taiyouken do nada e é inexplicavelmente levado até a nave do irmão. Ele o enfrenta enquanto Gohan e Piccolo só assistem, mas no fim é o malandro do Piccolo que mata os dois com seu Special Beam Cannon e sequestra o menino para pedir resgate do Rei Boi.

No purgatório, Deus diz a Goku que mais dois Sayajins rabudos estão vindo e ele deve treinar com uma barata azul para salvar a Terra. Porém, para chegar até a barata, Goku deve atravessar um corredor fantástico que o derruba num precipício mesmo quando ele está voando, além de ter que bater numa prostituta verde na entrada. No meio do caminho, Goku é golpeado por uma screenshot aleatória do anime e cai no inferno. Para sair de lá, ele deve capturar gases falantes e dar pro frentista entrega-los a um frentista. Com muito esforço, Goku realiza os Doze Trabalhos de Hércules e chega voando ao o planeta do Senhor Kaio, que ao invés de Kaioken e Genki Dama, o ensina a soltar Kame Hame Ha mesmo.

Goku é ressuscitado e surge na bunda do Senhor Popo, depois decide ir a pé até o local onde Vegeta e Nappa estão. Chegando a uma cidade, ele é forçado por uma parede invisível a achar mais um pentelho desaparecido, alem de enfrentar três ladrões de pastel mais fortes que o Raditz. Depois disso, a parede invisível desaparece e o cobrador de pedágio deixa Goku prosseguir. No campo de batalha, Kuririn e Gohan revelam que todos os Guerreiros Z morreram, mas Goku os elogia por terem feito o que fazem de melhor: apanhar até ele aparecer. Goku vence Nappa e Vegeta, mas é pisoteado pelo King Kong e hospitalizado.

Ao ver Kuririn morrer, Goku coloca uma peruca punk e soca Freeza.

Como Piccolo morreu, as Esferas do Dragão viraram peso de porta, obrigando Kuririn e Gohan e a Bulma a irem até o planeta Namekusei para achar outras bolas magicas para reviver a galera que não cansa de morrer. Depois de receber alta no SUS, Goku vai ao dito planeta num disco voador e aterrissa numa aldeia que foi destruída pelos soldados do Freeza. Um nativo do planeta comove Goku com sua impotência e pede para que ele desmate três arvores e às replante nos buracos de bala perto de sua casa para alegra-lo; outro nativo diz que Goku deve entrar no barracão atrás da aldeia e colocar três pedras coloridas perto da estatua do Papu-Papu para ativar um teleporte que o leve até o cafofo das Forças Especiais Ginyu. Goku vence todos sozinhos e invade a nave do Freeza para tomar banho, mas descobre que Vegeta foi morto pelo Freeza (ainda na primeira forma) enquanto ele cagava. Goku, que pintou o cabelo de amarelo mas sua força não muda nada, derrota as quatro formas do vilão e morre com a explosão do planeta, deixando esta merda de jogo como seu legado. Fim.

Ver também[editar]