Eduardo Spohr

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Escritor.jpg Este artigo é sobre um(a) escritor(a)!

Ele(a) talvez tenha heterônimos, sua "inspiração" vem de um copo de whisky e sua obra só ficará boa quando morrer de tuberculose.

Trabalhar, que é bom, nada! Clique aqui e vire a página.


Cquote1.png Você quis dizer: H.P. Lovecraft brasileiro Cquote2.png
Google sobre Eduardo Spohr

Eduardo Spohr em seu trono no sétimo céu.

Eduardo Spohr é um carioca que foi no uma vez no Jô Soares e que faz parte de um blog de gordões chamado Jovem Nerd. Escreveu alguns livrinhos de fantasia e fez um pouco de sucesso por aí no Brasil.

Biografia[editar]

Eduardo Spohr, Duduzinho para os íntimos, nasceu no Rio de Janeiro, filho de um ator pornô que acabou engravidando a outra atriz durante um filme em que ele se fantasiavam de piloto de avião e ela de comissária de bordo. Durante sua juventude Eduardo ficou louco e começou a escrever umas maluquices sobre demônios e sobre o fim do mundo. Um belo dia Eduardo leu a Bíblia e não entendeu porra nenhuma, então resolveu escrever sua própria versão da mesma com todo o tipo de blasfêmia e heresia que ele conseguisse imaginar, foi aí que surgiu o livro A Batalha do Apocalipse.

Eduardo resolveu entrar para o blog Jovem Nerd para divulgar seu humilde trabalho, já que vender cópias impressas do livro que ele escreveu por 1,99 no semáforo não estava dando muito lucro, além de que estava gastando tinta da sua impressora. Depois disso ele conseguiu uma editora para publicar seu livro e começou a vender bastante, daí ele viu que estava dando lucro e resolveu fumar bastante maconha para inventar um monte de histórias malucas sem pé nem cabeça envolvendo anjos, demônios, dragões, nefilins, mafagafos e outros seres mirabolantes, gerando várias sequências do livro que ele havia escrito, e escreveu até mesmo uma enciclopédia explicando como o universo que ele criou na cabecinha funcionava, e essa enciclopédia serve como um jogo de RPG também.

Críticas[editar]

Eduardo só tomou esculacho da crítica especializada, porém, fez bastante sucesso com nerds gordões fãs de RPG e com gurias retardadas fãs de Supernatural, conseguiu também arrancar alguns elogios daquele vampiro careca que escreve coisas que ninguém entende.

Publicações[editar]