Empreendedorismo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Empreendedor de sucesso, faturando mais com conversa mole que trabalhando.

O empreendedorismo é a religião mais difundida entre jovens que sempre viveram em apartamentos alugados às custas dos pais e ainda assim acreditam cegamente que são bem sucedidos ,devido a palestras de auto-ajuda (multinível não é empreendedorismo)

Ao contrário do que seu nome deixa a acreditar, os empreendedoristas não crêem no empreendimento como ferramenta para alcançar o sucesso. Na verdade, empreendedoristas acreditam que falar sobre empreendedorismo é mais importante que empreender, por isso se reúnem em cultos denominados "palestras" onde um um líder vestindo terno passa horas falando sobre como ter um empreendimento de sucesso sem ter que empreender em nada além de falar sobre empreender.

A verdade é que palestras de empreendedorismo equivalem aos spams de aumente seu pênis: ambos te atraem com uma promessa furada de tornar sua vida melhor, mas no fim você percebe que só te fizeram de otário.

Os cultos[editar]

Como dito no parágrafo anterior, mas o autor foi muito burro e teve que escrever de novo nessa seção, os empreendedoristas reúnem-se em palestras ou "rodadas de debates" onde todos discutem o empreendedorismo e como os impostos são malvadões, porém nenhum dos participantes tem noção de como abrir uma empresa ou declarar impostos. Geralmente nos cultos empreendedoristas apenas discutem temas ligados a posts de Facebook [1].

Cultos empreendedoristas também são muito disseminados em ambientes com aura mística, geralmente esses locais são organizados virtualmente em várias camadas (ou níveis) onde pode ser observado que os novos participantes do ritual, sempre situados nas camadas mais baixas, se emprenham em tarefas hercúleas para enviar seu poder espiritual aos sacerdotes de níveis mais altos, visando assim que em um futuro próximo, essas energias e a entrada de novos membros ao culto os levem a ser promovidos.

Estes rituais costumam inclusive usar elementos visuais, como cores, pedras ou palavras em inglês para distinguir os membros de cada nível do ritual. Além disso, para aumentar a carga mística do culto, empreendedoristas destas correntes de culto claramente empregam influências egípcias em seus dogmas, apesar de sempre negarem a forma de pirâmide de suas organizações.

Idiomas e dialetos[editar]

Exemplo de empreendedorismo numa galáxia distante.

Nos cultos empreendedoristas é muito provável que apenas o domínio da língua portuguesa não seja o suficiente para entender o que está sendo discutido. Um mero iniciante no empreendedorismo logo precisa compreender o básico do inglês brasileiro (ou publicitarês), um dialeto complexo com estrangeirismos adaptados (e corriqueiramente mal traduzidos). Para quem deseja estudar ou observar o empreendedorismo de forma científica, cabe, além dos já citados, também o conhecimento aprofundado dos idiomas lero-lero e blablablá.

Teóricos linguísticos das Faculdades Universitárias de Massachussets, em estudos recentes, afirmam que empreendedoristas mais avançados desenvolveram uma linguagem própria, o High-Stakes; este idioma, tal qual a fala dos pokemons, consiste em flexionar a mesma expressão (high stakes) com diversas entonações vocais, o que daria sentido (ou não) ao que se comunica.

Principais correntes teológicas do Empreendedorismo[editar]

Vida de um empreendedor de sucesso...


Como toda religião (ou qualquer coisa que a humanidade invente e comece a juntar gente em volta e no final acaba saindo todo mundo no tapa), o Empreendedorismo desenvolveu diversas vertentes de crenças e dogmas de fé, que vão evoluindo de acordo com a conveniência. Entre elas, destacam-se:

  • Self-made Man (ou Woman): Empreendedor(a) com menos de 25 anos que superou todas as dificuldades da vida, largou o emprego de "gerente de qualquer coisa" na firma do pai, viajou o mundo em busca de novas experiências e agora serve de guia para os mais jovens, ensinando como ser milionário usando apenas a estratégia de não gastar 800 reais por semana em balada.
  • Criptogeoegipitismo em rede: Popularmente conhecida como Corrente das Pirâmides - denominação considerada ofensiva entre seus adeptos - o Criptogeoegipitismo é definido pela sua estrutura vertical onde uma base larga de integrantes fornece todo o sustento necessário para os membros das camadas superiores (por vezes conhecidas como Top).
  • Coachivarianismo Messiânico: Esta corrente é bem definida pela figura onipresente de seu líder, o Coach, uma figura que viveu uma vida humilde até que, em determinado momento de sua biografia, viu-se diante de todo tipo de desafios e então, na forma de um milagre, todo o conhecimento sobre como ter sucesso na vida e carreira lhe foi dado.
  • Gourmeterismo: Corrente que prega a conversão de toda sorte de estabelecimento comercial ou produto em gourmet (do francês, "coisa inútil e arrombada"). É comum identificar um estabelecimento gerido por um gourmeterista pelo nome do local apresentar o sufixo "-ria", além de todas decorações serem coerentes com o estilo hipster.

A Fama[editar]

No empreendorismo, a percepção é primeiramente empregada cautelosamente, ao perceber-se prisioneiro no planeta Terra, onde estrelas brilham ao longe, escondidas nos dias em que queimam alfaltos o calor infernal. Nessas noites de brisas suaves, onde estrelas fogem a atenção aos dizeres de outros condenados, o empreendorismo faz a fama com belos contos ilustrados e propagandas em placas, carros alegóricos e particulares, causando confusões entre empreendedoristas e os ilustres uberistas, entre as conquistas do empreendedor familiar e seus passeios urbanos.

Uma gama de dizeres é enviada ao mundo, apreendendo os afazeres a fim de ceder atenção para não ser atropelado nas ruas, assim empreendendo a fama onde são percebidos e vistos os compartilhamentos de satisfações de elegância e civilidade, o companheirismo sendo exemplificado e percebido em sociedade aos belos sorrisos de suas atuações.

Grandes empreendedoristas[editar]

No mundo do empreendedorismo existem casos de grandes picaretas empreendedores que ficaram famosos na internet por gozar com o pau dos outros espalhar a Palavra.

Bel Pesce[editar]

"A menina do Vale", como é conhecida, é um grande caso de sucesso pela sua notória capacidade de fazer 50 graduações, 20 mestrados e 2 kamehamehas seguidos, num período de seis meses. Além disso, Bel é conhecida como Sacerdotisa grã-mestra da gravata dourada, ordem dada aos maiores empreendedoristas do mundo do empreendedorismo.

Eike Batista[editar]

Empreendedor que passou a perna em meio mundo vendendo a conspiração de haver petróleo no fundo do mar. No fim o que encontraram no fundo do mar foi a sua reputação.

  1. Tudo que é encontrado no Facebook é verdade, exceto em páginas esquerdopatas de pessoas que são contra a liberdade