Engenheiro Coelho

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Carroca1.jpg Enxada-1.png Esti artigu é caipira, sô!! Enxada-2.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!

Cquote1.png Você quis dizer: Fim do Mundo Cquote2.png
Google sobre Engenheiro Coelho
Cquote1.png Provavelmente ele trabalhou nas obras da linha 4 do Metrô! Cquote2.png
Dr. Roberto sobre Engenheiro Coelho

Engenho de Engenheiru Cueiu
Coelho.jpg
Brasão Municipal
Localização Seguir o Tapetão quase até o fim. Fica além de cu do Judas, depois das lombadas e do retorno idiota que a Dersa fez.
Línguas Oficiais Caipirês Arcaico.
Prefeito Seu Zé Chico (décimo mandato)
População 100.000 jegues, 15.000.000 pés de cana e 1.000.000.000.000 toneladas de barro.
Área Total Difícil dizer. Os donos dos canaviais grilados mataram todos agrimensores da região.
Gentílico Cueiensse.

Engenheiro Coelho é uma cidade perdida entre Artur Nogueira e Conchal. Disputa com Artur Nogueira o título de Pé Vermeio (pé vermelho, em português) dado a intensidade de suas ruas enlameadas de barro.

É fácil descobrir um forasteiro na pitoresca cidade. Ele é o único que fala o LH no Coelho. Para seus habitantes, a cidade é Engenheiru Cueiu.

E claro, os engenheiros não cuidam de engenharia, cuidam de engenhos de cana de açúcar, especial os do Coronéis Nogueira e do maligno Barão Geraldo.

Vida e Obra do Engenheiro Coelho[editar]

Os engenheiros são uma classe desprezada na sociedade. Todo lugar do Brasil que se chame Engenheiro Alguma Coisa, pode contar que é um lugar escroto e sem sentido.

Na verdade, o Engenheiro Coelho trabalhava na estrada de ferro mogiana que ligava dois lugares, tipo Jundiaí e Santos, e suspeita-se que passa-se por Mogi (mas não se sabe se é Mogi das Cruzes, Mogi-Mirim ou Mogi-Guaçu ainda). O Engenheiro Coelho foi então contratado pelo Coronél Belarmino Nogueira, da vizinha Artur Nogueira, para a ampliação de seu engenho de cana.

Até então o engenho possuia apenas 100.000 escravos. A grande ampliação do Eng. Coelho iria libertar todos os escravos e instalar máquinas a vapor que fariam todo o serviço. Os escravos libertados iriam morar em Cosmópolis e trabalhar como mão de obra terceirizada barata na refinaria de Paulínia.

O Coronel gostou muito da ideia, porque sustentar escravos estava muito caro. Com a mudança, passaria a contratar os escravos por salário mínimo, e eles que se virassem com casa, comida e roupas.

Feliz, o Coronel deu a mão de sua filha, Odoacra Nogueira, a Coelho, e como dote concedeu todas as olarias a noroeste de Artur Nogueira como dote. Nesse barrão, a cidade fui fundada.

Finalmente, o profeta Elias desceu do céu numa carruagem de fogo e levou o engenheiro Coelho consigo (o local da ascensão atualmente é ocupado pelo UNASP - antigo IAE campus 2). As más línguas, contudo, dizem que um bando de jagunços contratados pelo maligno Barão Geraldo deram cabo de Coelho e o enterraram de cabeça para baixo sob a prefeitura de Conchal

E diz a lenda que o espírito do Engenheiro Coelho ainda hoje assombra todas as pessoas que vem da cidade,numa tentativa heróica de avisar aos mocinhos da cidade para não perderem tempo naquele lugar.

FIM

Principal avenida de Engenheiro Coelho. E ainda pensam em instalar uma lombada ai.
Arquivo:Coelho louco.jpg
Mascote da cidade
Arquivo:Socratesesqueleroarmarike6.jpg
Fantasma do Engenheiro Coelho assombrando as criancinhas da creche municipal

Cidadãos ilustres[editar]

Engenheiro Coelho gerou cidadãos ilustres, contudo