Eslovênia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Slovenski kmetje
Slovenian Farmers
Grande Fazendão Eslovênia
Bandeira da Eslovênia
Brasão de Armas da Eslovênia
Bandeira Brasão
Lema: "Você está bombardeando a Eslovênia? Por que está perdendo munição à toa?"
Hino nacional: Sai pra lá Sérvia

Localização de Grande Fazendão Eslovênia

Capital Liubliana
Cidade mais populosa Pasto
Língua Esloveno, russo e putaquepariu
Religião oficial Eslovenos adoram a mãe-natureza
Governo Fazenda manda
 - Dono da Fazenda Boruto Pavor
Heróis Nacionais Valter Birsa Kekec, o boiola, Melania Trump, Samir Handanovič, Eslovênia Marques
Área  
 - Total Números Insignificantes km² 
 - Água (%) Números Insignificantes
Analfabetismo 80 
População Números Insignificantes 
PIB per Capita 35 
IDH 67 
Moeda Álcool
Fuso horário O tempo na Eslovênia parece parado
Clima Propício a pastos
Website governamental Terras eslovenas


Cquote1.svg Você quis dizer: Eslováquia Cquote2.svg
Google sobre Eslovênia
Cquote1.svg Na Holanda a Eslovênia não sabe onde ela mesma fica, não precisa de VOCÊ!! Cquote2.svg
Reversão Holandesa sobre Eslovênia
Cquote1.svg Passei minhas férias de verão lá Cquote2.svg
Mentiroso sobre Eslovênia

Eslovênia é um país pobre da Europa mas que consegue muito bem se fingir de rico, e também uma ex-república da Iugoslávia que ninguém se lembra já que as pessoas só lembram da Sércia e da Croácia.

A Eslovênia está para os Estados Unidos assim como o Acre está para o Brasil. Mas desde quando George Bush esclareceu que na verdade Eslovênia é um sinônimo redundante de Eslováquia fazendo com que grande parte dos americanos se esclarecesse um pouco mais e chegasse à conclusão que a Eslovênia não ficava na África, mas sim em algum lugar entre Singapura e a Groenlândia se você traçasse uma linha reta entre esses dois lugares. No mais, a Eslovênia é um país muito famoso por ter sido cenário do filme O Albergue. Ou será que foi na Eslováquia?

História[editar]

Ilíricos[editar]

Surpreendentemente, a história da Eslovênia não está muito conectada com a história da Eslováquia. O reino de Chlpák Umch Gulu (atual Eslovênia) nada tinha a ver com o Reino Tlapák Umba Gulu (atual Eslováquia). Ambos os reinos foram esquecidos porque nunca houve registro histórico deles, sobrando apenas alguns sítios arqueológicos. Mas Chlpák Umch Gulu deu origem aos ilíricos, que são o que podemos chamar de "primeiros eslovenos". Os ilíricos são assim conhecidos porque são eles que criaram a lenda da criação da Eslovênia. Na Epopeia de Marika, lê-se o seguinte trecho:

Cquote1.png Era uma vez a Slovenija... Infelizmente não há histórias sobre nossa Slovenija. "Slovenija", aliás, é uma palavra inventada por Slovo Venija, um agricultor peruano de framboesas que desejava pantentar o cultivo de framboesas radioativas com o seu nome. Devido à contaminação radioativa, o campo de framboesa do Seu Venija foi interditado , murado e simplesmente apagado de todos os mapas. Venija tragicamente tirou a própria vida de tanto desgosto, e o seu campo de framboesas que brilhavam verde à noite, foi esquecido. No ano de 1300 a.C., um funcionário esloveno do Google Street View esloveno chamado Flattus Lenzus, encontrou a mancha borrada e foi investigar o local, encontrando a plantação secreta de Slovo Venija. Em homenagem ao cultivo de framboesa do fazendeiro peruano Slovo Venija, ele chamou aquela fazenda de Slovenija, e a partir dali se expandiu a lenda da criação da Eslovênia
Epopeia de Marika sobre a origem da Eslovênia

Romanos[editar]

Os ilíricos, todavia, nunca criaram uma unidade coesa, a Eslovênia foi oficialmente fundada apenas pelos romanos no ano de 27 a.C. Afinal os eslovenos não sabiam se governar muito bem e precisaram desse grupo de pessoas chamadas de "Império Romano". Os romanos dividiram a Eslovênia em quatro províncias diferentes: Ilírico, Itália romana, Nórica e Panônia. Sim, é incrível que um território tão pequeno possa ser dividido em tantas partes, mas ei, existem vídeos na deep web em que eles pegam bebês muito pequenos e os desmembram ainda no útero da mãe, algo sobre "meu corpo, minhas regras", e o mundo continua girando. Eu colocaria links para esses vídeos, mas o Departamento Jurídico da Desciclopédia desaconselha, então não.

Assentamentos Eslavos[editar]

Kekec, o herói afeminado e bissexual esloveno.

Com a queda dos romanos, ficou na região da Eslovânia um vácuo que eventualmente foi ocupado por eslavos. A mistura de eslavos e ilíricos é que podemos dizer que forma o esloveno atual. Nessa época da história eslovena só existem contos de fazendeiros bêbados, já que tudo o que os eslovenos basicamente fazem é cultivar, beber, reclamar de seus micro-problemas e serem ignorantes sobre tudo que fosse maior do que suas vidinhas enfadonhas. Mas é nessa época que viveu o maior herói nacional da Eslovênia, Kekec, que foi o pastor dos alpés eslovenos mais famoso e mais elogiado dentre todos os pastores eslovenos até hoje.

Nos contos de Kekec, o seu maior inimigo era Bedanec, conhecido por ser o último homem real, cabeludo e heterossexual a viver na Eslovênia, da linhagem dos eslavos russos e homofóbicos. Bedanec sempre queria bater em Kekec, mas os eslovenos decidiram que a Eslovênia não tem lugar para homens assumidamente heterossexuais e expulsaram Bedanec, momento esse considerado o ápice da cultura eslovena, até porque os eslovenos orgulhosamente retratam Bedanec como uma vergonha para tudo o que os eslovenos representam. Como modelo para as mulheres eslovenas, a história ainda narra a companheira cega de Kekec, Marinka Mojca, não tanto mencionada ao longo da história eslovena, mas de grande importância pois ela sempre fez vista grossa para as viadagens de Kekec e nunca reclamou dele ter pau pequeno e não ser bom de sexo, mantendo uma vida fiel mesmo com um marido que prefere sexo anal passivo.

Eslovênia medieval[editar]

O primeiro estado medieval esloveno foi fundado no ano de 666 por um príncipe de cabelos brancos que vivia atrás de uma montanha e se chamava Samo no que ficou conhecido como Império de Samo, que muitos acham que era na verdade na Eslováquia, e realmente era também. Os eslovenos foram então por muitos anos um povo pagão democrático que aderia ao culto do bissexualismo e da não reprodução sexuada. Isso fez com que o Papa Alexandre VI perdesse a calma e - completamente desgostoso com a imoralidade desses bárbaros - enviasse um exército de padres para converter os eslovenos a única religião verdadeira e eterna, o catolicismo, e a única forma possível de governo, a teocracia.

Nos séculos seguintes, a história da Eslovênia foi uma sucessão de eventos e reviravoltas incríveis até 1848, quando algo finalmente aconteceu. Os eslovenos se viram sem perceber sob o domínio do Império Austro-Húngaro, sob a sábia liderança do grande Kaiser, Seu Francisco Ferdinando.

É nesse época de apogeu cultural que surgem figuras como France Prešeren, o escritor bêbado do hino esloveno, que é basicamente uma canção sobre beber álcool o dia todo e ficar deprimido porque nenhuma mulher decente quer fazer sexo com você, tornou-se o poeta esloveno mais famoso da história da Eslovênia.

Segunda Guerra Mundial[editar]

Na Segunda Guerra Mundial a Eslovênia foi mais invadida que os orifício da Adriana Chechik num gang-bang triplo. Mesmo sendo um território minúsculo, a Alemanha Nazi, a Itália Fascista e o Reino da Hungria invadiram ao mesmo tempo. Os eslovenos, acostumados a séculos de falta de masculinidade, pouco puderam fazer para evitar a invasão a não ser fazer notas de repúdio e reclamar muito da truculência dos invasores estrangeiros.

Os eslovenos ajudaram quase nada na guerra, e se não fosse pelos outros que tiveram que agir para tirar a Itália e a Alemanha de lá, a Eslovênia ainda estaria ocupada até hoje. Não que a União Soviética e os Estados Unidos tenham dizimado a Alemanha pensando em libertar a Eslovênia, foi apenas uma coincidência.

Iugoslávia[editar]

Durante o domínio iugoslavo a Eslovênia foi apenas um pedaço qualquer de montanhas. Não há muito o que dizer dessa época porque em nenhum momento Josip Broz Tito foi avisado que a Eslovênia havia sido anexada à Iugoslávia.

Ao contrário dos croatas e bósnios que ficaram bem putos com essa unificação, os eslovenos apenas se mantiveram reclusos em suas montanhas em seus casebres insgnificantes e deixaram o problema da Iugoslávia para os sérvios e croatas e se entenderem.

Independência[editar]

A Eslovênia separou-se em 1991 da Iugoslávia, mais uma vez graças ao esforço dos outros e não por esforço próprio, conquistando assim a sua independência. O país assumiu um nome, uma bandeira, e um idioma idêntico à Eslováquia propositadamente para causar confusão em prováveis sérvios que porventura quisessem recriar uma Iugoslávia.

Desde a declaração de independência da Eslovênia em 1991, os eslovenos passaram a ficar paranoicos com todos ao seu redor. Isso inclui os croatas que são acusados de quererem ter a banheira eslovena para eles, os austríacos que são acusados de quererem roubar a música folclórica eslovena com sua própria música folk e os italianos com seus cabelos com gel que frequentemente roubam eslovenas de eslovenos cornos bêbados. Em desespero, a Eslovênia rapidamente se juntou à OTAN e à União Europeia.

Eventos recentes[editar]

Desde então, a Eslovênia é o menor, porém mais ambicioso país do mundo. A audácia eslovena é ainda maior do que a americana pois a Eslovênia se acha o chefe da UE desde o início de 2008. O herói nacional dos eslovenos e o então primeiro-ministro Janez Janša afirmou que assim seria para sempre.

Alem disso, uma fábrica de chocolate se sucedeu muito bem após a independência da Eslovênia o que transformou aquele no maior país produtor de chocolate do mundo. Infelizmente tudo foi comido pelo Sherek... Ou foi o Shurek... Shurex... Uma coisa assim... Mas ele comeu e pronto... Assim o chocolate foi processado na barriga do bichano e saiu em forma de salgado marrom, ou seja, era semelhante a chocolate mas com gosto de Cheetos novinho da fábrica.

Geografia[editar]

A praia eslovena que seus habitantes tratam como se fosse grandes coisas.

A Eslovênia é a mistura de Mediterrâneo, Alpes e Toscana. A razão para isso é a localização geográfica que abrange os Alpes Suíços até a costa norte do Adriático. Assim os eslovenos podem passar calor e morrer de frio após apenas 20 minutos de viagem de carro. A praia da Eslovênia é uma área considerada de suma importância para os habitantes de seu país, pois é a única opção que os eslovenos tem para realizar sua higiene pessoal no verão. Depois disso, os eslovenos geralmente ficam malcheirosos e sujos até o próximo verão. Apesar de ter o segundo litoral mais curto do mundo (a frente apenas daquele litoral ridículo da Bósnia e Herzegovina, as ambições da Eslovênia em controlar todo o Adriático são inegáveis, havendo inclusive universidades inteiras dedicadas apenas ao estudo da geometria, para que eslovenos capacitados possam fazer triangulações e assim requerer mais quilômetros quadrados de águas internacionais na confusa fronteira aquática que a Eslovênia tem com a Itália e com a Croácia.

A Eslovênia é tão pequena que quase ninguém no mundo sabe onde está. Como resultado, muitas pessoas pensam na Eslováquia quando ouvem sobre a existência da Eslovênia pela primeira vez. A Eslovênia basicamente é conhecida apenas por seus países vizinhos que veem a Eslovênia basicamente como um estacionamento semi-decente, embora não haja uma vaga de estacionamento real quando você realmente deseja estacionar na Eslovênia.

População[editar]

Um típico garoto esloveno.

Com meros 2 milhões de habitantes, o povo esloveno claramente não é adepto do sexo heterossexual (reprodutivo) e por isso o crescimento populacional é negativo. Os eslovenos são um povo manso e trabalhador, desde que você não fale com eles, não olhe para eles, e não os chame de eslovacos. O que se tende como "esloveno" pode ser descrito como uma espécie de "sérvio da montanhas" filhos de um mesmo ancestral chamado Jánez, que veio da Bósnia.

Um esloveno médio é facilmente identificável por se parecer uma garota bonita, ou seja, o que culturalmente é denominado no exterior como "femboy", ou no Brasil como "viadinho' ou "bixinha do bumbum liso". A Eslovênia rapidamente se tornou a capital mundial dos femboys e o motivo disso é que para todo ativo tem que haver um passivo, e como todos os outros povos eslavos são machões homofóbicos, os eslovenos quebram essa tradição.

Política[editar]

Existe um sistema político incomum na Eslovênia chamado Jánezokacie que consiste em tratar Janez Janša como um Deus por ter colocado a Eslovênia na União Europeia, ignorando todos os escândalos de corrupção dele. Nesse sistema de governo ainda há um parlamento (Coro Nacional) e um presidente (geralmente um turco). Ambos têm uma função mais ou menos simbólica. Este sistema é baseado no nacionalismo esloveno, triglavofilia (amor doentio pelo Monte Triglav) e discriminação contra a minoria croata, que não tem direito a uma participação no governo, embora seja provavelmente a mais numerosa população no país (1/2 no inverno e 3/5 no verão). A política eslovena é fortemente anti-italiana e anti-croata e os eslovenos estão prontos para usar sua frota de guerra (3 mesas de carvalho com um motor de navio e uma Kalashnikov AK-47 acoplada) para lutar pelo controle de todo o Mar Adriático.

A Eslovênia tem seu governo disputado por dois partidos políticos - pelos Hlapci (Servos) e pelos Lastnik (Donos). As origens destes partidos remontam aos tempos de domínio da Áustria-Hungria sobre o seu país. Naquela época, ser um Hlapci (servo) era a profissão mais comum dos eslovenos e aqueles mais bem-sucedidos e brilhantes poderiam ser promovidos para a posição de lastnik (donos).

Ambos os partidos têm o mesmo programa político - que pode ser descrito resumidamente desta forma: "Sirva o seu mestre com zelo e humildade, seguindo a boa doutrina católica romana: seja servil, sofra e ouça; Afirme regularmente que a Eslovênia é um país europeu (não um balcânico), independente e soberano; Peça emprestado aos estrangeiros o máximo que puder - em nome do povo esloveno - então coloque no próprio bolso o dinheiro que pegou emprestado, o máximo que puder. As diferenças entre os dois partidos são basicamente nenhuma.

Subdivisões[editar]

Por ser um país diminuto e quase imperceptível, é uma tarefa difícil dividi-lo, pois é o mesmo que tentar cortar um coração de galinha em 12 pedaços. Mas fizeram isso no território da Eslovênia e temos 12 condados, mas como isso são só montanhas e bosques, foi necessário separar as 11 únicas cidades da Eslovênia numa subdivisão a parte de municípios urbanos.


Economia[editar]

A economia eslovena baseia-se na prática de trabalhar em repartição pública. Basicamente todo esloveno é concursado porque na cultura deles é importante haver um Estado para proteger o cidadão feliz. Nos primeiros anos da independência da Sérvia, datilografar era uma das ocupações mais comuns das pessoas que trabalhavam para o Estado e o salário de datilógrafo representava 95% da renda do país. Com o surgimento da era digital, entretanto, tornou-se cada vez mais difícil obter peças sobressalentes para máquinas de escrever, e a maioria desses antigos funcionários públicos precisou ser treinado para aprender a cortar grama ao redor das casas dos políticos locais. Essa prática foi rapidamente abolida quando os políticos perceberam que é muito mais confortável ter seu gramado aparado ao usar a força de trabalho servil fornecida a eles pela classe mais rica, geralmente em troca de alguma engenharia jurídica. Esses trabalhadores mostraram-se muito mais engenhosos do que sua alternativa empregada pelo Estado e também podiam ser usados ​​para obras de construção e limpeza.

Turismo[editar]

Estátua da Melania Trump eme stilo Ecce Homo na Eslovênia.

O turismo na Eslovênia é o setor mais forte da economia desse país e são ofertadas diversas opções aos visitantes, como passeios em bosques, passeios de pedalinho em lagos, e muita caminhada no mato. Devido ao seu tamanho incrivelmente pequeno, são poucas as coisas para se ver na Eslovênia, e você pode ver todas elas em um dia. As principais atrações são as muitas vacas, galinhas e cavalos, como seria de esperar de um país que consiste basicamente em fazendas. Consequentemente, há muita merda de cavalo por aí, e também muita merda de vaca, além de titica de galinha. Portanto, quando você, por qualquer motivo insano, decidir visitar a Eslovênia, certifique-se de não pisar em um monte de estrume.

Quando se cansar de cheirar todo o esterco que aguentar, você pode seguir em frente e observar algumas árvores enfadonhas, ou abraçá-las, caso seja um hippie, já que mais da metade da região eslovena é coberta apenas por árvores, o que torna a população de árvores facilmente maior do que a população de residentes na Eslovênia. Combine todas as árvores com todo o gado, e a proporção torna-se astronômica à medida que a população residencial se torna quase imperceptível em comparação. Mas você ainda pode flagrar um fazendeiro bêbado de vez em quando, e quando o fizer, certifique-se de tirar uma foto, pois não há nada mais interessante para ver na Eslovênia.

O turismo odontológico também floresceu recentemente, sendo este uma evolução do turismo sexual que não existe mais na Eslovênia. Italianos de meia-idade, depois de terem gasto todas as suas economias em cassinos e em prostitutas eslovenas, não tendo mais dinheiro para tratar os dentes na Itália onde os planos de saúde são extorsivos, organizam viagens que levarão à completa devastação final de seus dentes pelos dentistas eslovenos. Cerca de 3 em cada 4 eslovenos dizem praticar odontologia e destes, 0,8% são realmente dentistas e outros 33,2% ainda possuem habilidades mínimas de revendedor de perfume. Os restantes 66% exercem a atividade como hobby, o que lhes permite levar um padrão de vida que lhes permite comprar carros de luxo na Itália com o din heiro que ganham dos turistas italianos.

E tem ainda estátua Melania Trump totalmente esculpida em dadaísmo e revisada pela artista plástica Elías García Martínez. Por algum motivo essa estátua é vandalizada 5 vezes por semana, talvez essa linda modelo eslovena tenha casado com um cara errado? Não parece ser esse o motivo de tanto ódio contra essa estátua, certamente é o mau gosto do artista que fez aquela cara amassada. A estátua foi isolada no meio de um pasto, longe da cidade e de todos, para que o menor número de pessoas possam presenciá-la.

Infraestrutura[editar]

Transportes[editar]

Um passatempo local muito popular: Tentar encontrar no mapa rodoviário do país uma estrada que não leve a Ljubljana.

A Eslovênia tem uma rede de rodovias e ferrovias muito bem desenvolvida , afinal, é o estado de trânsito mais importante para viajantes de, por exemplo, quem deseja ir de carro de Istambul para Veneza. Um problema com isso é que nenhuma estrada eslovena leva a qualquer dessas duas cidades, todas rodovias levam à capital Ljubljana.

Atualmente a Eslovênia encontra-se interligada por uma densa rede de estradas e rodovias. O novo sistema de pedágio eletrônico automático aumentou as receitas da economia eslovena quase que 500%. Sempre que um austríaco ou croata paga €35 a cada 5 quilômetros (não existe outra opção para atravessar o território além dessas estradas lotadas de pedágios), cada passageiro estrangeiro contribui para um nível de vida mais elevado para todos os eslovenos. O fascinante nessa estrutura de tráfego é o seu conforto, pois ao longo de sua extensão essas maravilhosas rodovias sem acostamento ficam próximos a fazendas eslovenas, o que faz com que o limite de velocidade máxima seja sempre de 60 km/h devido ao grande número de animais na pista. Isso torna as rodovias eslovenas as mais lentas da Europa. A cada dois quilômetros há uma placa com um recado relembrando que aquela rodovia foi construída por muito tempo com o dinheiro dos pedágios.

Nas cidades, como parte de um programa nacional para melhorar o tráfego e permitir um maior fluxo de veículos, os eslovenos são fanáticos por rotatórias e as colocam em todo lugar possível, e ainda tem a regra que o veículo fazendo a rotatória tem preferência.

Cultura[editar]

A Eslovênia oferece uma ampla variedade de cultura europeia, desde que você esteja na cidade - na única cidade do país. Porque fora de Ljubljana o máximo de cultura é saber contar as vacas no pasto. Fora isso, os eslovenos são preguiçosos e bagunceiros e não sabem se vestir. Eles chamam isso de "estilo alternativo".

Um destaque especial fica para a minúscula cidadezinha de Tolmin, onde ocorre o festival de metal chamado MetalCamp. Tolmin fica há uns 125 km de Veneza e por causa do Metalcamp e das mulheres que lá frequentam é que vale a pena conhecer esse país pequeno. A mulherada eslovena é bonita mas não dá fácil. O pais é constituído basicamente por montanhas e, no meio disso, ficam as cidadezinhas.

Esportes[editar]

Os eslovenos são muito competitivos, e os esportes tradicionais são a caça de faisão, a colheita de cogumelos, e o cuspe a distância. Embora atualmente tenham começado a praticar alguns esportes radicais, como evasão fiscal, rafting nos rios de dinheiro que os italianos perdem nos cassinos locais, e esquiar nas montanhas de notas de Euro que os italianos trocam por pedaços de papel chamados multas. Além de oferecer jogador menos conhecidos para a NBA.

Ex-Repúblicas Iugoslávas
Bósnia e Herzegovina ~ Croácia ~ Eslovênia ~ Macedônia ~ Montenegro ~ Sérvia (Kosovo - Vojvodina)
Flag-map-Eslovênia.png Eslovênia
HistóriaGeografiaDemografiaPolíticaSubdivisões
EconomiaMoedaTurismoCulturaBandeiraBrasãoHino
Bandeira da União Europeia.png
Europa
v d e h

Países: Albânia | Alemanha | Andorra | Armênia | Áustria | Azerbaijão | Bélgica | Bielorrússia | Bósnia e Herzegovina | Bulgária | Cazaquistão | Chipre | Croácia | Dinamarca | Eslováquia | Eslovênia | Espanha | Estônia | Finlândia | França | Geórgia | Grécia | Hungria | Irlanda | Islândia | Itália | Letônia | Liechtenstein | Lituânia | Luxemburgo | Macedônia do Norte | Malta | Moldávia | Mônaco | Montenegro | Noruega | Países Baixos | Polônia | Portugal | Reino Unido (Escócia - Inglaterra - Irlanda do Norte - País de Gales) | Romênia | Rússia | San Marino | Sérvia | Suécia | Suíça | Tchéquia | Turquia | Ucrânia | Vaticano

Territórios: Abecásia | Açores | Akrotiri e Dhekelia | Åland | Chipre do Norte | Crimeia | Gibraltar | Ilhas Canárias | Ilhas do Canal | Ilhas Faroé | Ilha da Madeira | Ilha de Man | Jan Mayen | Kosovo | Ossétia do Sul | País Basco | República de Artsaque | Svalbard | Transnístria

OTAN
Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN)
v d e h

Países Membros: AlbâniaAlemanhaBélgicaBulgáriaCanadáCroáciaDinamarcaEslováquiaEslovêniaEspanhaEstôniaEstados UnidosFrançaGréciaHungriaIslândiaItáliaLetôniaLituâniaLuxemburgoMacedônia do NorteMontenegroNoruegaPaíses BaixosPolôniaPortugalReino UnidoRomêniaTchéquiaTurquia