Everywhere at the End of Time

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Esse artigo tem a bênção do deus Hypnos!

Isso significa que ele fala sobre algo que dá muito sono. Vandalize e você será colocado para dormir eternamente.

06-hypnos.jpg
Images2332.jpg

Este artigo é sobre mais um daqueles trecos que viraram modinhas na internet.
E as pessoas nem sabem porque usam isso.


Cquote1.svg PORRRRA! Tudo isso? Cquote2.svg
Papaco sobre a duração de Everywhere at the End of Time

The Caretaker produzindo Everywhere at the End of Time

Everywhere at the End of Time, ou em portugays traduzido por Herbert Richers Em Qualquer Lugar até o Tempo ir pras Cucuias não é nenhum desses filmes tristinhos onde o mundo acaba nem nada disso. É um álbum do gênero música ambiente feito por The Caretaker (quem?), onde ele juntou uns seis álbuns que ele tinha lançado durante sua carreira (ui!) e criou um álbum inteiro com todos eles. É mais um desses álbuns onde é usado a velha mania dos músicos de criarem um álbum todo diferentinho com temas diferentinhos que acabam fazendo o maior sucesso com o povo.

Os tais outros seis álbuns aqui, são chamados de "estágios", mas não são estágios de videogame e nem estágio de emprego, mas sim, estágios da demência, mas dessa vez não é meme, é coisa séria, muito séria, muito séria mesma, seriamente, é a coisa mais séria de todas as seriedades que já vi na vida. A cada estágio, mais eles se tornam uma baita de uma loucura, loucura, loucura!

O álbum se popularizou mesmo quando criaram mais um desses desafios estúpidos na rede social cujo nome recuso repetir novamente, Tik Tok. Basicamente, o pessoal queria se aparecer criando um desafio onde você teria que ouvir todo o álbum e falar o que achou dele. O celular usado nas gravações das pessoas que fizeram esse desafio devia ter uma puta duma bateria boa, porque, se seu celular não for um desses Samsung Galaxy Xiaomi que só precisa ser carregado em 2077, a bateria acaba lá pros 40 e 10 segundos.

Enfim, vamos parar com essa enrolação toda aí e falar dos outros tópicos

Produção[editar]

Típica pessoa ouvindo Everywhere at the End of Time

Cquote1.svg PRODUÇÃO! PRODUÇÃO! Cquote2.svg
Ivo Holanda

Fazer as músicas foi a tarefa mais fácil para o Caretaker... peraí, eu disse "fazer as músicas"? Ele nem sequer criou uma única melodia! O que aconteceu foi o seguinte: o Caretaker deu uma pesquisada no Titio Google por umas músicas de 1900 e guaraná com rolha pra baixo, então, ele baixou umas dessas músicas e abriu um desses programinhas de editar áudio. Aí ele deixou essas músicas mais lentas que o Sonic e pegou uma parte específica delas para ficar repetindo, repetindo e repetindo até ficar que nem a maravilha[carece de fontes] que é a trilha sonora do Hong Kong 97, e assim ele fez as músicas dos cinco estágios. Para o último estágio, ele usou métodos não tão convencionais, mas isso será falado daqui a pouco.

Agora, para as capas dos estágios, ele recebeu uma ajudinha de um amigo, que por acaso era um pintor que pagava de poeteiro. Caretaker pediu para o amigo esse serviço, serviço esse que seria pago sem pagamento. Após a chamada de serviço de seu amigo, o cara foi à noite num beco escuro, comprar um produto de um mano da quebrada... e não, não era cocaína ou maconha, mas sim, um gatinho. Chegando em casa, ele cheirou o coitado do felino e quando percebeu que estava mais louco que o Batman, abriu o Paint e começou a desenhar os troços malucos que serviriam de capa para os estágios. No dia seguinte, ele entregou as pinturas para o Caretaker, mas como o serviço era pago sem pagamento ele não recebeu nada, na verdade ele recebeu uma moeda, mas era um cruzado.

Estágios[editar]

Capa Estágio Descrição
EATET-Stage1.png
Estágio 1 O Estágio 1 é o primeirão (O RLY?), e é o mais normal de todos, além de ser o único que todo mundo ouviu, já que eu acho que ninguém é louco o suficiente para ouvir quatro horas música, né não? Sua música mais conhecida é a A1 - "It's just a burning memory", aquela lá que parece uma música de pagode toda triste. Em sua capa, nós podemos ver uns pergaminhos gigantes num lugar mais vazio que a plateia do Pink Floyd naquele show em Pompeia... não naquela ruína lá, mas naquele bairro de São Paulo. Voltando ao assunto, nesses pergaminhos, podemos ver dois descendo a porrada, uma verdadeira obra-prima.
Capa Estágio Descrição
EATET-Stage2.png
Estágio 2 Agora no Estágio 2, as coisas ficam mais encapetadas. Nesse estágio, o tal cara com demência que é retratado no álbum começa a esquecer das coisas, ele por exemplo, se esqueceu qual é o nome da sitcom onde é usada as risadas do Chaves. As músicas começam a mostrar sinais de encapetamento então é melhor você chamar o exorcista das músicas. Na capa desse estágio nós podemos ver umas Piranha Plants esquisitonas num vaso sanitário mas esquisito ainda, e é claro, tudo num grande vazio.
Capa Estágio Descrição
EATET-Stage3.png
Estágio 3 Esse é o último estágio onde as músicas são "normais", já que aqui as músicas começam a ficar esquisitonas. As músicas daqui são tipo as músicas dos filmes mudos de 1900 e pouco, só que os caras usaram umas cinco pedras de crack antes de tocarem os instrumentos (Ui!). A capa do estágio é o seguinte: um vaso com a bandeira da Bolívia com umas plantas esquisitas, não só pelo tamanho, mas pelo formato também, e é claro, tudo num grande vazio.
Capa Estágio Descrição
EATET-Stage4.png
Estágio 4 Nesse aqui, o cara com a demência começa a ficar doidão, mas sem usar nenhuma droga. Ele começa a esquecer onde você pode assistir os programas de TV, ou o que vem antes do número 47... a resposta dessa aí é óbvia, é AK! As músicas ficam um tanto quanto fumadas, principalmente a G1 - "Post Awareness Confusions". Na capa a gente pode ver uma escultura de uma mulher que fez umas mil plásticas e que por causa disso está com o rosto desfigurado, além disso, ela têm uma baita mistura de cores malucas, enquanto ela escuta com fones de ouvido um desses álbuns do My Chemical Romance, enquanto diz sua opinião sobre uma das músicas do álbum, e tudo isso num grandioso VAZIO.
Capa Estágio Descrição
EATET-Stage5.png
Estágio 5 No penúltimo estágio, a loucura começa a PEGAR FOGO, BICHO! O cara começa a esquecer o nome dele e também o nome daqueles dois outros integrantes do Black Eyed Peas... na verdade, ninguém lembrava o nome deles, mesmo. As músicas, que eu nem sei se essas músicas desse estágio podem ser chamadas de "músicas", são tão bizarras que parecem que são gravações da vez em que tocaram o maior puteiro no inferno. E na capa, vemos uma mulher toda bugada descendo as escadas enquanto vemos o Sweet Bro soltando a célebre frase onde ele fala que avisou sobre as escadas, e tudo no maior VAZIO.
Capa Estágio Descrição
EATET-Stage6.png
Estágio 6 O último estágio. O Estágio 6 é o mais encapetado de todos, até parece que foi gravado no colo do Satanás... não, não estou falando daquele chifrudo que não é corno, mas sim, do cachorro da Bruxa do 71 Dona Clotide. Tem até umas músicas que não têm nenhum som, só um vazio imenso. Aqui, o cara esquece de literalmente tudo, até da senha do Wi-fi. Na capa, podemos ver um papelão grandão onde um jogo da velha foi desenhado nele, sendo que os Círculos ganharam do X, e é claro, você já sabe, tudo num grande vazio. E é nessa bizarrice encapetada que acaba Everywhere at the End of Time. Pior que o final de Game of Thrones.

Suas reações durante os estágios[editar]

Perca quatro horas da sua vida aqui![editar]