Figueirópolis

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Figas Cquote2.png
Google sobre Figueirópolis

Figueirópolis é uma corrutela, ou cidade-fantasma, situada no sul do Tocantins, sendo a única cidade do mundo com apenas um CEP (Cadastro de Endereçamento Postal). Localiza-se a uma latitude "tanto faz" sul e a uma longitude "não importa" oeste, estando a uma altitude de "não interessa" metros. As avenidas da cidade têm os nomes dos estados brasileiros e de engenheiros aleatórios que contribuíram para a construção da BR-153, sendo a principal a avenida Eng. Bernardo Sayão, enquanto as ruas, apesar de renomeadas para homenagear personalidades históricas, ainda são chamadas de acordo com sua numeração.

Geografia[editar]

Quem vê a cidade de uma vista aérea, pensa que Figueirópolis não possui casas, pois o que se vê lá do alto é apenas uma floresta de pés de manga.

A vegetação de Figueirópolis é o cerrado, mais conhecido como mato. Onde os roceiros habitantes da cidade insistem em queimar toda mata seca que cobre a cidade.

Economia[editar]

Principal produto de exportação da cidade.

Cidade de elevado IDH (Índice de Droga por Habitante) pois está cheia de maconheiros e cheiradores de gatinhos, devido a ser cortada pela Rodovia BR-153 que ainda tem o único posto de combustível na estrada, onde rola a maior boca de fumo do sul do Tocantins

Apresenta como principal fonte de renda a pecuária e agricultura de figo roxo.

Clima[editar]

O clima predominante é o calor escaldante. Há duas estações durante o ano, o período da seca e o período da chuva de verão. Calor o ano todo é o melhor que a cidade oferece. No inverno, estação que na verdade é verão também (mas com chuvas), as patricinhas desfilam os seus modelitos de invernos comprados na Feira da Hippie de Goiânia.

População[editar]

Segundo Censo do IBGE, sua população estimada em 2004 era de 5.323 habitantes, mas quem mora e reside na cidade não acredita que existe esse total, pois a cidade parada e sem movimento lembra qualquer cidade fantasma devastada por um vulcão ou coisa do tipo.

Os únicos seres vivos avistados nessa cidade são os caminhoneiros e ônibus que passam a toda velocidade na BR-153.

Saúde[editar]

Figueirópolis possui a mais alta incidência de dengue do Brasil devido seus inúmeros lotes baldios e cheios de matagal e água parada acumulada.

Cultura[editar]

Ginásio da cidade, lotada de fantasmas, para a realização de algum evento importante.

Não há, ou melhor, como toda cidade tocantinense, existe uma mistureba de culturas de vários estados como o "uai" e "trem" de Minas Gerais, o "Banhá" do Nordeste, o "refri" dos gaúchos, o "galfo" dos goianos e assim por diante.

Mas esta humilde cidade possui algumas tradições próprias quando se tratando de cultura, como por exemplo a prática de corrida de argola, a missa dos vaqueiros (que se transformou em missa de carros e bêbados) e a grande Figueirofolia, que de grande tem só o nome, sendo legalzinho apenas para os entediados habitantes locais.

Lazer[editar]

Famosa por suas boates antigamente, hoje todas estas casas viraram ruínas, até mesmo os cabarés na beira da estrada e point de caminhoneiros também faliram. Hoje não tem nada mais disso, e então, se antes era ruim, agora imagina como os jovens vivem na pacata cidade.

Isso vem consolidando a cidade como um palco de brigas, drogas e sexo (não... nada de Rock'n'Roll, ali o lema é Ssxo, drogas e risca-faca) não sendo raro a população se reunir para assistir grandes duelos de risca-faca, o que explica porque esta aldeia possui o maior índice de criminalidade e óbitos por armas branca (vulgo, peixeira) de Tocantins.

Hoje em dia o melhor evento da cidade é se embebedar no único bar da cidade, que a cidade inteira se manifestou através de orgãos federais em manifestos depois de passar por algum tempo fechado devido decisão do Governo Federal Que Foi Criada Em 19 de junho de 2008 e aprovada a Lei 11.705. São nestes bares aonde o pessoal vai rever todos mesmos 50 habitantes da cidade, fazendo um verdadeiro Networking pessoal.

Turismo[editar]

Figueirópolis é pobre de shows como de todo mais resto. Pois após decreto do TSE de não ter mais "ShowMissios" a cidade não pode ter mais shows grandes. Em tempos antigos houve algumas banda regionais tocando na Praça da Matriz, mas agora estes megas-eventos na cidade acontecem no Salão Paroquial que na verdade é um galpão coberto sem mais nada.

No verão, ou melhor, no inverno de verdade as pessoas migram para as margens de rios que existem na região, que costumam ser chamadas de "praia" pela população local (verdadeiras praias, com ondas de até 5 centímetros). Abaixo as principal praias:

  • Praia do Rio Javaes (Recanto da Ilha) ou Recanto dos Índios - Ali é um perigo total para os turístas que frequentam o lugar, que se deparam com uma cena desumana nunca vista, falta tudo nessa praia. Para os visitantes a experiência é sempre um lixo, o que para os habitantes do lugar acham um luxo. Banhar-se, isso não pode, não tem água no rio, você anda o leito do rio todo e só encontra restos de comidas boiando, pois é ali onde vai parar todo o saneamento de Figueirópolis. Atualmente está interditado pela ONU.
  • Praia do Peixe - Já para quem frequenta essa "praia", quando vão à Praia do Peixe se sente em Copacabana, outra vida, estando junto a corpos sarados civilizados, turistas vindo de várias partes do Brasil, principalmente de Brasília e Goiânia.
  • Praia do Real Baiano - Para aqueles que não podem ir ate essas "praias", há também uma terceira opção que cabe àqueles que desejam um lugar mais privativo, assim podem optar pela Praia do Real Baiano, situada nas margens do Rio Santo Antonio, uma ótima opção de ser picado por mosquitos e nadar ao lado de lixo e farofa.

O Carnaval de Figueirópolis é bastante visitado da região, sendo considerado o melhor, mais divertido, e com mais riscos de DST de todo o estado. Cada vez mais pobre e cheio de malas, o carnaval de Figas é caracterizado por seus blocos com nomes gays e pitorescos como "Pau de Cana", "Pau que Chora", "Tropa de Elite", "Carrapicho" e "Empolgas as 5" ou se preferir "Os Indecentes". Para entrar num bloco é fácil, basta ver quanto está o salário minimo atual, não que o valor seja esse, juntar a grana e entrar para o bloco e curtir as noitadas de carnaval. O carnaval goza de uma infra-estrutura de outro mundo, montada na praça da matriz com 4 tendas e um hiper e mega ultra palco esperando as tais bandas renomadas nacionalmente que muitas das vezes são bandas desconhecidas e iniciantes do interior do interior da Bahia ou de qualquer outro estado nordestino.

Transportes[editar]

De carro ou ônibus. Desista.

De avião. Compre uma passagem Brasília-Belém e pule de para-quedas no meio do trajeto. Esta linda cidade até possui uma "pista" de pouso para aviões, mas na prática é utilizada apenas para a arruaça do povo local, sendo um ambiente pior que motel, e de dia muitas vezes é usada para fechar as vacas leiteiras das fazendas ao lado da "pista".