Florestas Primárias de Faia dos Cárpatos e Outras Regiões da Europa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png MHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!! Cquote2.png
Faia sobre Florestas Primárias de Faia dos Cárpatos

As Florestas Primárias de Faia dos Cárpatos e Outras Regiões da Europa é como a UNESCO decidiu nomear um monte de florestas que ficam entre a Sováquia, Alemanha e a Ucrânia. Incrivelmente, a única árvore que existe por lá são faias. Não existe outro tipo de plantas e vegetais por lá, apenas faias, faias, e mais faias. Os humanos não a exploram porque lá só sobrevivem faias. Nenhum outro ser vivo de qualquer espécie consegue sobreviver por mais de 3 segundos dentro da área florestal.

Florestas Primárias de Faia dos Cárpatos[editar]

Uma faia morta na batalha contra a aliança entre plantas e animais.

Como não existem bactérias, protozoários ou fungos, as faias não entram em decomposição e permanecem por lá para sempre. A história da região é muito estranha. Depois da Era do Gelo, em que todo mundo morreu, a área ocupada pelas montanhas dos Cárpatos estava vazia. Foi nesse momento que as faias planejavam dominar o universo. Elas tramaram um plano de ocupação de territórios, e a primeira fase do plano acontecia na divisa da Eslováquia com a Ucrânia.

A operação era simples. As faias, antes da Era do Gelo, foram informadas por Chico Xavier que uma grande catástrofe aconteceria. Elas se refugiaram nos trópicos, enquanto o resto do mundo virava picolé. No final da Era Glacial, enquanto as outras espécies de plantas e animais estavam demasiadamente enfraquecidos, as faias estavam muito bem. Aproveitando o enfraquecimento dos concorrentes, as faias se dirigiram à divisa Sováquia-Ucrânia e lá soltaram várias sementes.

As faiazinhas nasceram e dominaram a região. Como as outras espécies ainda se recuperavam dos danos causados pela Era Glacial, elas não ofereceram resistência à ocupação. Rapidamente uma grande floresta de faias se formou e ocupou a região. Agora era a vez da segunda fase do plano, que era se espalhar pela Europa, dominar todo esse continente, e depois dominar o mundo!

Mas as outras espécies de vegetais e animais perceberam o plano e se uniram para derrotar as faias. Numa batalha alucinante com uma galerinha da pesada que é pura confusão, as faias foram derrotadas pela coalizão, sendo aprisionadas na fronteira da Eslováquia com a Ucrânia. A única área que as faias conquistaram nesse plano foi essa.

Essa floresta primária é muito importante para a compreensão do período de guerras territoriais entre o Fim da Era do Gelo e o surgimento das primeiras civilizações acreanas, e por isso a UNESCO a transformou em patrimônio mundial. Recentemente, um pequeno acidente em Chernobyl destruiu parte da floresta e causou mutações nas espécies de faias, tornando algumas árvores carnívoras comedoras de gente, mas nada muito perigoso.

Antigas Florestas de Faia da Alemanha[editar]

São antigas porque foram todas destruídas durante a Segunda Guerra Mundial, hoje restam apenas uns poucos arbustos. Considerada o último resquício de natureza na Alemanha, a UNESCO correu em proteger a área para que ela não fosse devastada de vez para virar um estacionamento.

Expansão em 2017[editar]

Em 2017 a UNESCO descobriu que existia mais florestas na Europa do que se imaginava, bem verdade que todas essas florestas não eram aquelas coisas que se diga "nossa, que florestas frondosas com rios caudalosos e árvores enormes", mas para um continente já devastado sem muito o que se orgulhar em termos de natureza, aquilo era o que eles tinham, então uns bosques da Albânia, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Itália, Polônia, Romênia, Eslovênia e Espanha foram incluídos.