Frida Kahlo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Marco Naty dentes.jpg Este artigo é sobre algo ou alguém com falta de beleza!

Não nos responsabilizaremos por qualquer dano em sua visão ou vontade de continuar a viver.
Alguma foto da Preta Gil pode estar neste artigo.

Wecancookit.jpg Este artigo é feminista!

Provavelmente ele se trata de alguém que não usa absorvente e foi criado por uma gorda com penteado de brócolis.

Mexeu com uma, mexeu com todas!

Nuvola apps core.png Frida Kahlou-se
Fridakahlo-self-portrait-with-thorn-necklace-1940.jpg
Frida em selfie fiel
Origem Bandeira do México México
Sexo link={{{3}}} Lésbica
Ocupação Em universidades federais (postumamente).
Profissional
Profissão anterior Pintora.
Maior aparição Em páginas feministas na internet.
Conchavo Comeu a putinha do fascismo
Maior escândalo Foi espancada até a morte e sobreviveu, mas teve mais de 8000 abortos múltiplos.
Perfil
Nível de inteligência Baixo, ruim, pobre... Trotskista
Plásticas Nunca fez, precisava muito, mas cagava pra isso...
Vícios Cheirar tinta e fazer umas suruba.
Emissora atual Televisa
Preferências
Livro Nuvola apps bookcase.png Sítio do Pica-Pau Amarelo.
Música Emblem-sound.svg.png Com homens calados.
Prato Costela quebrada de vaca desconstruída.
Filme O Diário de Maitê.

Cquote1.png Sua intenção era pesquisar: Não me Kahlo? Cquote2.png
Google dando uma de adivinho com a pesquisa de Frida Kahlo
Cquote1.png Já comi! Cquote2.png
Trotski sobre Frida Kahlo.
Cquote1.png Aí tem coragem! Cquote2.png
Serjão Berranteiro sobre a citação acima
Cquote1.png Frida Kahlo está para a arte assim como Sasha Grey está para a castidade. Cquote2.png
Oscar Wilde sobre Frida Kahlo.
Cquote1.png Ela era uma linda mulher e uma ótima pintora! Cquote2.png
Capitão Sarcasmo sobre Frida Kahlo.
Cquote1.png Olha, acho que até a Inês Brasil é mais comível que essa aí Cquote2.png
Alguém muito carentão sobre Frida Kahlo.
Cquote1.png Quem sabe, pode até ser... Cquote2.png
Papaco sobre citação acima.
Cquote1.png Bruxa do 71, é você? Cquote2.png
Chaves sobre Frida Kahlo.
Cquote1.png NININININI!! Cquote2.png
Cavaleiros que dizem ni sobre Frida Kahlo.

Magdalena Comen Mierda Kahlo y Calderón do Hulk (Coyotes, 6 de julho de 1907Coyotes, 13 de julho de 1954), mais conhecida pelo nome artístico Frida Kahlo, foi um tribufu que ficou conhecida depois que passou uma noite com o picareta do León Trotsky. Anos depois essa mexicana veio a se tornar um um ícone de inspiração, talvez até maior que Che Guevara, para jovens retardadas que adoram pagar de desconstruídões nas federais, quando na verdade são apenas doutrinados pelo marxismo cultural nas universidades públicas (isso segundo o professor e astrólogo fetólogo Olavo de Carvalho). Ela também se tornou um simbolo cultural do México, devido aquela taturana enorme que ela carregara naquela cara em toda sua vida. Conhecida em toda a extensão do méxico como el bigodón, Frida também desenvolvia telas onde ela expressava tudo o que tinha no interior de seu cérebro, ainda que ela se tornasse mais conhecida mesmo pelas horas de cama com várias personalidades mexicanas.

Biografia[editar]

Nasceu na famosa Boate Azul em 1907 em Coyacán, atualmente um distrito da capital mexicana. Seu pai era de origem alemã ou possivelmente algum judeu do ramo dos asquenazes nascido na Alemanha devido ao sobrenome do pai do pai dela ser Kaufmann, um dos sobrenomes que os judeus roubavam perdendo apenas para "Stein" no ranking. Sua mãe era de origem espanhola e indígena (cabocla ou castiza).

A pintora cresceu como toda feminista radical, em um ambiente cheio de mulheres e um pai pra cuidar e dar tudo que a menina queria naquela fase mais birrenta da vida. Apesar de todos os esforços de seu pai, Frida aderiu ao Partido Comunista mexicano, e a partir dali, seu pai não aguentou mais e passou a chorar todas as noites enquanto banhava, pensando aonde em que ele tinha errado na criação daquela garota que depois de crescida, passou de princesinha do papai à uma das maiores meretrizes de toda o Distrito Federal mexicano.

Diego Rivera pt. I[editar]

Assim que conheceu os degenerados mentais do Partido Comunista nacional, Frida conheceu um gordo judeu feio e virgem chamado Diego Rivera. Ele viu nela a grande oportunidade de conhecer o amor de sua vida[era cego, só pode...] já que haviam chances remotíssimamente remotas de que ela o traísse com alguém (o ruim mesmo seria alguém querer fazer isso).

Por sua vez, como toda mulher feia, ela também queria casar com um Frank Sinatra ou um Fred Astaire da época, mas ao mesmo tempo ela via nele alguém que poderia bancá-la em suas aventuras no mundo todo. Foi então que ela resolveu que seria uma boa tirar o cabaço daquela rolha de poço e em troca, viver no lucro como dona de casa pro resto da vida.

Como todo casamento de latino com latino, este também não durou muito tempo. Isso porque ela o pegou no flagra aquele poço de banha traindo com uma outra mulher da vida mexicana. Obviamente que na primeira oportunidade ela pediu o divórcio e com ele, a divisão de todos os bens dele.

León Trotsky[editar]

Como forma de dar o troco naquela gordura saturada, Frida resolveu trabalhar no centro da Cidade do México, quando de repente aparece Leônidas Trótiscano pedindo uma rapidinha em troca de alguns pesos. No começo Frida achou o valor irrisório demais, mas depois se Kahlou quando viu o quanto poderia ganhar como ex-ficante de León, O Trator (na verdade foi o Estalinho quem passou com o trator por cima dele).

Diego Rivera pt. II[editar]

Depois de encarar a vida como ela é (e contrair uma porrada de DSTs -- na época não existiam camisinhas), Frida Kahlo voltou para os braços gordurosos de Rivera, ficando semi-juntos até a morte dela, em 1954.

Abortos[editar]

Frida Kahlo sempre teve o aborto como hobby pessoal. Como na época não existiam anticoncepcionais, DIUs ou clinicas clandestinas e ela gostava (demais) de fazer sexo com o broxa de seu marido, só restou a ela recorrer a "pequenos acidentes" perdoáveis por Deus. Nessa brincadeira ela deve ter matado de futuras crias, umas setes Santiago de Querétaros...

Emices e morte morrida[editar]

Ao longo de toda sua vida, Frida sempre fez o tipo de feminista emponderada que odeia ômi, mas ao mesmo tempo, chora todas as noites pelo beijo de um deles (aquilo que dormia com ela não era gente). Isso a levou tentar o suicídio diversas vezes, como forma de chamar a intenção da mídia e ao mesmo tempo, ver se alguém sentia pena dela e compartilhasse ao menos alguns dos posts das cartas que ela escrevia e jogava no correio de Coyoacán todos dos dias da semana.

Frida Kahlo morreu Kahlada na noite de 13 de julho de 1954, às 23:56, em sua cama, causada por uma overdose de testosterona e progesterona.

Obras de "Arte"[editar]

Frida Kahlo costumava pintar após usar drogas como loló, e foi uma das principais artistas do surrealismo mexicano ou seja, era uma versão feminina de Pablo Picasso e um pouco menos cubista apesar de ser igualmente abstrata.