Fronteiras do Império Romano

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bismarckpre.jpg Desciclopëdia über alles in der welt!!!

Estä arrtigö é alemon! Issö querr düzerr que seu autorr suschtenta ö gerraçon interra com bratwurst e sauerkraut, serrvidös porr uma fräulein . Non faça scheiße, öu te porremos de quatrro nö Berliner Mauer.

Bandeira da Inglaterra.png GOD SAVE THE DESCIC£OPEDIA!!

The Merlim's Order First Class garante que este artigo é 100% inglês. Ele é industrializado, casto, vitoriano e tem a aprovação de £ewis Hamilton.

The £ondon Royal British Association of England vigia este artigo.
Rainhavitoriapre.jpg
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Eu poderia ter pintado uma linha, mas preferi ter mais trabalho em fazê-las Cquote2.png
Imperador romano sobre Fronteiras do Império Romano
Cquote1.png Bando de otários, acham que isso pode nos deter Cquote2.png
Tribo germânica sobre Fronteiras do Império Romano

As Fronteiras do Império Romano são, como o nome diz, umas linhas que separam o império Romano das outras tribos. Mas os romanos são tão burros que em vez de fazerem uma linha no chão, eles construíram um monte de negócios para representar as fronteiras, que foi um desperdício de grana. Podia ser uma estrada esburacada (que impedia os carros inimigos de atravessarem a fronteira), um rio (idem) ou uma mera linha pintada no chão.

A grande muralha que impedia os ataques ao Império Romano.

Mas a maioria das fronteiras (ou limes, para os que gostam de falar diferente) são casas ou fortalezas. Todos sabem que fortalezas não fazem uma linha, mais uma prova da idiotice romana. As fronteiras também existem em confins da África e Oriente Médio, mas o patrimônio só fica na Alemanha e Reino Unido porque os países europeus subornaram os juízes que decidem se algo é um patrimônio ou não.

Há que se notar que uma das mais notáveis fronteiras era composta por uma pequena aldeia de irredutíveis gauleses, mas ela era como se fosse um buraco em um pano - o Império a cercava por todos os lados, mas não tinha condições de, metaforicamente, "costurar o buraco".

Muralha na Inglaterra[editar]

A primeira parte é a muralha de Adriano e a de Antônio. Também conhecidas como cópia pirata da Grande Muralha da China, é um muro construído no meio do nada para separar o Império Romano dos outros povos. Tudo começou quando as tribos britânicas, que lutavam com faquinhas de plástico e estilingues, acharam que podiam derrotar os romanos. Estes, armados com espadas sinistras e machados irados, tiveram um ataque de riso.

Aí, as tribos invadiram e chutaram os traseiros dos romanos (ninguém sabe como conseguiram), que sentiram muito medo. Para se protegerem das tribos, os romanos fizeram um muro no meio do nada com cerca elétrica, já que as tribos não sabiam como pular muros. Depois de um tempo, as tribos viram que bastava contornar o muro pelo mar usando barcos que eles invadiam o Império Romano. Deu certo e novamente os romanos levaram um chute na bunda.

Limes germânicos[editar]

Na Alemanha, os romanos foram humilhados pelas tribos germânicas, que lutavam usando como armas de bolinhas de papel. O imperador, para não ser novamente humilhado, decide fazer buracos nas fronteiras. Os soldados de Roma cavaram buracos enormes. Tanto que a expressão "cú do mundo" foi inventada quando um desconhecido viu um buraco. Os germânicos por muito tempo não conseguiram bolar um plano para ultrapassar os buracos.

Até que um deles viu Adelir de Carli, o Padre Voador dando uma volta com seus balões. Então, numa ideia genial, os germânicos amarraram balões nos seus corpos e ultrapassaram a fronteira pelo ar. nem vou falar o que aconteceu com os Romanos de tão humilhante. Portanto, as Fronteiras do Império Romano não serviram para nada apenas para que os britânicos e alemães tenham.