Georg Cantor

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Georg Cantor é conhecido como o único matemático e pessoa na Rússia que não possui uma versão com um nome grotesco. Cantor é conhecido por tentar seguir a profissão da Mãe (Cantora, óbvio SmileySmall.png) depois de ver que a carreira artística nunca ia decolar, Cantor decide largar essa vida e estudar logo algo de verdade, que seria a Matemática. Seja como for ele achou aquilo muito difícil mas foi o cara que conseguiu reunir todos os números em conjuntos. Isso até surgir os números orfãos de Bombelli.

Vida[editar]

"David Hilbert: um dos matemáticos mais lindos que existiu" (mas quem raios é esse David Hilbert?)

Cantor nasceu em São Petersburgo. Sua Mãe era cantora e seu pai era um comerciante dinamarquês que Cantor nunca tinha visto na vida. Cantor ficava sozinho em casa sendo cuidado pelos 4 irmãos enquanto a mãe trabalhava "cantando" fora, um dia Cantor descobriria que a sua mãe cantava enquanto fazia streep-tease.

A mãe de Cantor ficava o incentivando para que ele fosse em aulas de canto e conseguisse um futuro melhor que o dela seguisse profissão e ensinou os irmãos a contabilidade e a publicidade para conseguissem vender o irmão para os interessados na rua.

Cantor ficou entusiasmado mas ele tinha puxado uma coisa de seu pai dinamarquês: ele tinha uma voz horrível.

Cantor nunca desistiu e tentou cantar até os 25 anos, mas, em uma ópera que convidou a sua mãe ela teve os típanos estourados após ele tocar o si menor agudo, uma nota mortal e a mais fina existente. Cantort desiste da música e da ópera e tenta estudar alguma coisa que preste.

Ele decide estudar a Matemática e acaba sendo o "organizador da tabela periódica deles".

Trabalho[editar]

Georg fez um trabalho que foi organizar os números em inteiros (ou quase), racionais (os que eu consigo contar nos dedos), os irracionais (os que eu não consigo e que ficam aumentando o tempo inteiro) e deve ter mais algum mas eu tô pouco me lixando e os Reais.

Por não gostar de Bombelli, pois o achava feio e tinha sido acertado na cabeça por sua criação anos atrás (a bomba de água) ele deixa os complexos de fora dos reais pois "desrespeitam as regras básicas da Matemática, como aquela de raiz negativa", por isso complexos.

Cquote1.png Forever alone face.png Cquote2.png
Números Complexos

Cantor volta a organizar os números finitos, os infinitos e as potências dele e um monte de trabalhos matemáticos até que ele fica em depressão e a qualidade de seus trabalhos diminuem.

Fim da vida[editar]

Cantor acaba sendo diagnosticado como Bipolar e acharem que ele está sempre de TPM. Cantor acaba tendo a qualidade de seus trabalhos diminuído e acaba estourando os típanos de muitos outros médicos e funcionários de onde ele foi internado. Cantor morre em 1918, no fim da guerra.

Um pouco das palavras de seu admirador secreto:

Cita3.pngNinguém poderá expulsar o paraíso criado por cantor... O Motel Paraíso!Cita4.png
Admirador e cliente do paraíso motéis
Pitagoras grafite.jpg
Matemágicos Matemáticos, geômetras e outros nerds
v d e h

al-Khwarizmi, o impronunciável - Alan Turing - Albert Einstein - André Weil - Bombelli - Bhaskara - Cantor - Manuel Bento de Jesus Caraça - Euclides - Euler, our king! - Fermat, o príncipe - Ferrari - Fibonacci - Galileu - Galois, o rebelde - Goldbach - Gauss, o príncipe - Newton - Inácio do Amaral - Lambe Humberto - Tio Laplace - Tio Omar do Quibe - Veneno Poisson - Pitágoras, o largo - He Man Riemann - Tartaglia, o gago - Jacques Tetas - Recorde - Pascal - Abel, o azarado - Arquimedes - Paul Anônimo - Cardano, o mais azarado - Tales, o pioneiro - Filho duma tenda - Neumann, o atômico - Erdös, o sociável - Cauchy