Giancarlo Fisichella

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Marty McFly Cquote2.png
Google sobre Giancarlo Fisichella
Cquote1.png Puuta que pariuu, se não fosse ele minha equipe era de ponta Cquote2.png
Dono da Force India, após o fim da temporada
Cquote1.png E não é que o Fisichella era melhor Cquote2.png
Flavio Briatore (chorando) sobre Heikki Kovalainen e Nelson Piquet Jr.
Cquote1.png Mama mia! Cquote2.png
Fisichella sobre mais um de suas derrotas
Cquote1.png Ele quase ganhou aquela corrida meu!! Puta mundo injusto!! Cquote2.png
Boça, maior (e único) torcedor de Fisichella
Cquote1.png Até eu tenho mais vitórias que ele! Cquote2.png
Rubens Barrichelo sobre Giancarlo Fisichella

Fisichella justificando mais uma derrota.

Giancarlo Fisichella Corleone é um dublê de piloto de Fórmula 1 (não é mulher apesar do nome, age como mulher, mas não é mulher). Apesar de seu teste de aptidão profissional ter dito que ele seria um bom ator, Fisichella insistiu em seguir carreira no automobilismo. Hoje, ele segue a mesma linha de filosofia do Rubinho Barrichello - Cquote1.png Posso não ter ganho nada direito, mas dinheiro não me falta mais Cquote2.png

Nasceu na Itália, um país com tradição de ter pilotos bem penteados, mas ruins no volante, no início sua carreira parecia promissora, mas ao invés de treinar pilotar, ele sempre ficava fazendo propagandas de desodorante, hoje amarga um fim de carreira deprimente profissionalmente, mas dinheiro não falta a ele, é verdade.

Grande fã de Elvis Presley, Fisichella sempre se amarrou que seu ídolo conseguia tocar violão, rebolar e cantar tudo ao mesmo tempo enquanto penteava o cabelo. O sonho de Fisichella era um dia conseguir dirigir e pentear o cabelo sem perder o controle do carro e ganhar uma corrida assim, mas até hoje não conseguiu essa façanha. Toda vez que você vê Fisichella batendo sozinho ou indo para a brita, algo extremamente comum, foi porque ele tentou se pentear. Como ele é um dos figurantes nos circuitos, suas batidas só aparecem em imagens recuperadas, e os replays na Fórmula 1 são péssimos e nunca mostram todo o contexto dos acidentes do Fisichella, mas também, ninguém quer saber...

Fisichella aprendeu a pilotar com o Dick Vigarista, mas esqueceu de como trapacear, e só lembrou-se de como perder. Sua grande característica nas pistas é sempre bater levando pelo menos outro piloto consigo.

Antes da Fórmula 1[editar]

O início de carreira promissor.

Assim que nasceu, ganhou um kart de presente e começou a pilotar nos campeonatos de base do automobilismo italiano, aonde aprendeu a pilotar medianamente sem um mínimo de arrojo.

Fisichella nunca foi um bom piloto, a exemplo de personalidades masculinas como David Beckham, ele conseguiu sucesso por ser um modelo e ótimo garoto-propaganda de Gays cuecas e desodorantes.

Carreira na Fórmula 1[editar]

Fisichella possui o Record de mané que mais ferrou com os próprios companheiros de equipe.

Fisichella é um dos museus na Fórmula 1, e pilotam ali há 10.000 anos e já viu todo mundo ser campeão e ele sempre ficar no "quase" e muitas vezes nem isso... Fisichella sempre foi um figurante, e daqueles caras que o Galvão Bueno cansa de errar o nome, ele também é um dos pilotos que os comentaristas da Globo amam descer a lenha, só recentemente que falar mal do Fisichella saiu de moda, e o novo pobre coitado alvo das críticas, agora, é o Heikki Kovalainen.

Nas corridas Fisichella é aquele que serve para fazer número, você sempre se pergunta:

"20 pilotos? Eu só conheço Michael Schumacher, Felipe Massa, Rubinho Barrichello e Mika Hakkinen, quem são esses outros 16?"

Pois saiba que um desses outros 16 é o Fisichella...

Frequentemente Fisichella é também aquele retardatário desconhecido que você vê sendo ultrapassado pela Ferrari ou McLaren.

Fisichella se orgulha de ter 3 vitórias, mas como até Rubinho Barrichello tem mais que isso, Fisichella não é orgulho para o povo italiano.

1996: Minardi[editar]

Fisichella, sempre o destaque entre os coadjuvantes.

Depois de ser campeão em algumas corridinhas de kart amadoras, e aparecer no ambiente da Fórmula 1, Fisichella foi contratado a preço de banana pela Minardi, uma equipe nova e promissora para substituir Taki Inoue, um kamikaze que estava pedindo um salário alto demais.

Sua estreia na Fórmula 1 foi terrível. Fisichella se esqueceu de ver no contrato que seu carro da Minardi não teria câmbio, motor, freio, acelerador, pneus e essas coisas. Nas raras vezes que largava improvisando seu carro com peças de fusca em poucas voltas incendiava o carro, batia (de preferência no companheiro de equipe, sempre o mais próximo já que todos os outros disparavam na frente) e abandonava alegando dores fortes no braço.

1997: Jordan[editar]

Na imagem, pela Renault, vemos que Fisichella pegou 6 inocentes de uma vez.

A Jordan, uma equipe de fórmula 1 famosa pelos baixos salários pagos aos pilotos, fechou contrato com Fisichella que estava pedindo pouco dinheiro. Eddie Jordan ficou fã de Fisichella naquele ano.

Nessa temporada Fisichella quase ganhou algumas corridas e inventou o seu famoso jargão: "Quase ganhei essa corrida!!"

1998-2001: Benetton[editar]

Receber batidas na traseira. Rotina para Fisichella.

A Benetton, uma equipe mal administrada (vide situação da equipe atualmente) fechou contrato com Fisichella, se por um lado foi um péssimo negócio que a equipe fez, por outro lado Fisichella era especialista em ficar chegando nos pontos nas quarta a sexta posição, mas nunca no pódio.

Em 1998 fez dupla dinâmica com Jean Alesi, ficou tendo problemas constantes com o carro. Para Fisichella a temporada ficou marcada por ele ter quase ganho algumas corridas.

A temporada de 1999 para Fisichella foi bastante inconsistente, toda hora ele tinha problemas e quase ganhou algumas corridas.

Em 2000, ao lado de Alexander Wurz, quase ganhou algumas corridas, sempre tendo problemas com carros, sendo ele o piloto que menos entendia de mecânica entre todos. Com o tempo ninguém queria ser mecânico de Fisichella.

Em 2001, depois de não conseguir ajudar seus antigos companheiros, foi a vez de Jenson Button ficar espantado com a incompetência do companheiro. Já Fisichella, quase ganhou algumas corridas...

2002-2003: volta triunfal à Jordan[editar]

A melhor corrida de Fisichella em sua carreira, acredite!!
Primeira vitória de Fisichella, ele estava tão desacreditado que subiu no pódio como segundo colocado...

Já em decadência na carreira, Fisichella foi chamado para encerrar sua carreira na Jordan que também estava para encerrar carreira, nesses anos Fisichella relembrou seus tempos de Minardi, voltando às últimas posições.

Em 2002 Fisichella contratou mecânicos pessoais italianos, os melhores do mundo, e seu carro nunca mais quebrou sozinho, porém nessa temporada ficou todas as corridas em penúltimo sempre a frente de seu companheiro de equipe (as vezes em último, quando seu companheiro quebrava...), mas Fisichella diz que quase ganhou algumas corridas...

Em 2003 só ficou em último e já estava começando a entrar em depressão, porque na Itália ele já era motivo de piada no Casseta e Planeta, então Fisichella ganhou o GP do Brasil (isso mesmo!) de forma contestável e suspeita é verdade. Depois de dezenas de anos tentando, Fisichella pode finalmente sorrir naturalmente, antes dessa vitória todos seus sorrisos eram falsos.

Por sonegação de impostos, a Jordan faliu.

2004: Sauber[editar]

Fisichella já queria se aposentar a essa altura, mas foi contratado pela Sauber, que não tinha quem contratar a baixos preços.

Nessa temporada Fisichella quase ganhou algumas corridas. Foi demitido por falta de resultados.

2005-2007: Renault[editar]

A rara vitória na Renault. Em segundo Rubinho contentado e até feliz. Em terceiro Alonso todo raivoso por dentro.

Novamente Fisichella já estava pronto para ir para a fila do INSS, mas surgiu uma nova equipe disposta a pagar milhões para ele fazer cagadas nas pistas. Enquanto esteve na Renault, colecionou dezenas de segundo lugares, sempre protegendo Fernando Alonso no lugar mais alto do pódio. Fisichella gostava também de bater no Michael Schumacher seguindo as táticas de Briatore para dar o título ao espanhol.

Em 2005 serviu fielmente de escudeiro de Fernando Alonso e ganhou uma mísera corrida por acaso.

Em 2006 serviu fielmente de escudeiro de Fernando Alonso e ganhou uma mísera corrida por acaso.

Com a saída de Fernando Alonso, em 2007 Fisichella se tornou o piloto principal da Renault defendendo o título da equipe nesse ano. Como em 50 anos de carreira Fisichella nunca foi acostumado com tanta responsabilidade, quando ele finalmente teve a chance de mostrar que não era simplesmente um figurante, Fisichella abusava de servir de críticas de Galvão Bueno se saindo pior que na época da Minardi.

Depois de tantos anos mostrando péssimos desempenhos, foi demitido por Roberto Justus dono (um dos sócios na verdade) da Renault.

2008: Force India[editar]

Novamente, Fisichella estava prestes a se aposentar, quando uma equipe falida, feita de ferro-velho indiano o chamou para pilotar. Nesse ano ao saber do Record de seu parceiro em derrotas Rubens Barrichello de maior número de grandes prêmios corridos, Fisichella se re-animou e pretende bater esse Record de vovô da Fórmula 1.

2009.1: Force India[editar]

Novamente, Fisichella estava prestes a se aposentar, a mesma equipe falida, feita de ferro-velho agora francês, Seguiu tranquilamente conquistando os últimos lugares do campeonato, até que Felipe massa até então agredido por um mola jogada pelo compatriota rubens barrichello, deixou uma vaga na disponivel na ferrari. de olho na vaga Fisichella acelerou sua force porcaria até o segundo lugar. requisitando a vaga de luca badoer 'looks how bad you are.

2009.2: Ferrari[editar]

Somente após Felipe Massa, Michael Schumacher, Darth Vader, Luca Badoer, Harry Potter e o Papai Noel, Fisichella era a primeira escolha da Ferrari, como nenhum destes estava disponivel ou era muito ruim, Fisichella consegue um lugar na Ferrero

Grandes Resultados e Corridas Memoráveis[editar]

Fisichella mostrando arrojo passando por cima de seu adversário.
  • Temporada da Fórmula 3 Italiana de 1994 - Campeão invicto após vencer as 13 corridas. Seus adversários eram fantasmas, crianças, cegos e outros modelos.

  • Grande Prêmio da Inglaterra de 1996 - Com a Minardi, depois de quebrar em 7 corridas consecutivamente, na Inglaterra Fisichella termina sua primeira corrida em último lugar, sendo demitido da equipe pelo rádio ainda na corrida, depois que Fisichella deixou escapar a frase "PORCA MISÉRIA!!! PORCA MINARDI!!!" reclamando do fato de não haver embreagem no seu carro.

  • Grande Prêmio do Canadá de 1997 - Pela Jordan, conquistou o primeiro pódio da carreira dentre muitos que não foram o primeiro lugar. Fisichella se beneficiou de um gravíssimo acidente com Olivier Panis que se destruiu enquanto trocava o toca fita de seu carro. Fisichella normalmente ficaria em sexto lugar, mas na bandeirada amarela trapaceou e executou algumas ultrapassagens. Excedeu diversas vezes o limite de velocidade nos boxes, mas em nenhuma dessas ocasiões foi multado pois o DETRAN estava de greve no dia.

  • Grande Prêmio da França de 2002 - Pela Benetton, bateu nos treinos de sábado quando viu que estava ficando em último. Fisichella pensou: "Não tenho nada a perder mesmo" - E assim ele decidiu pisar no acelerador, como ele sempre foi mais acostumado a pisar no freio, Fisichella bateu forte na curva, quebrou os dois braços e pernas e conseguiu adiantar suas férias.

  • Grande Prêmio do Brasil de 2003 - Correndo na Jordan numa das corridas mais tumultuadas que já houveram, Fisichella veio a se tornar o único piloto na história que quebrou e incendiou seu carro e ganhou mesmo assim. No dia da corrida caiu uma tempestade tropical e um ciclone atingiu o circuito tirando 17 carros da pista, deixando inteiro apenas Fisichella, Kimi Räikkönen e Rubinho Barrichello. O combustível do Rubinho acabou misteriosamente, e Fisichella pegou fogo quando estava há 10 voltas na frente de Räikkönen e há 1 do final. Como surgiu uma bandeira vermelha antes que o Räikkönen pudesse tirar aquelas 10 voltas, Fisichella foi considerado o vencedor da prova depois de semanas de processos no STJD (O oficial responsável da prova era Edílson Pereira de Carvalho).

  • Grande Prêmio da Austrália de 2005 - Na Equipe Renault, deu sorte nos treinos, deu sorte na corrida, deu sorte nas paradas de boxes e ganhou a corrida. O lado ruim é que Fisichella ficou cheio de si, perdeu a humildade e nas corridas seguintes perdeu todas para o Fernando Alonso.

Fisichella flagrado pela "fiscalização eletrônica" passando o sinal vermelho e quase atropelando um pedestre.
  • Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2005 - Ainda na Renault, na considerada uma das melhores corridas de todos os tempos da Fórmula 1, Fisichella optou por não correr e no dia da corrida estava relaxando em alguma estação de esqui na Suíça.

  • Grande Prêmio da Malásia de 2006 - Pelo segundo ano na Renault, assim como no ano anterior, Fisichella ganhou essa corrida no início da temporada e por acaso também. Por causa do seu desempenho na temporada 2006 ficou conhecido como cavalo paraguaio e as vezes era só chamado de aquele péssimo piloto.

  • Grande Prêmio do Brasil de 2006 - Na despedida de Michael Schumacher, o alemão deu tudo de si para sair por cima e feliz, mas Fisichella usou um dispositivo comum nos carros da Renault, que são aqueles espetos que saem das rodas, e usou aquilo para furar o pneu do alemão e entregar o título do ano para o seu amante Fernando Alonso.

  • Grande Prêmio do Canadá de 2007 - Ainda na Renault, mas já em decadência, com o carro de cor mudada para branco para confundir qualquer comentarista. Fisichella passou no sinal vermelho e levou uma multa de 1.200 reais e 9 pontos na carteira de habilitação.

  • Grande Prêmio da Hungria de 2008 - Conquistou seu décimo primeiro último lugar consecutivo batendo o Record de algum japonês aí. Fisichella pretende expandir esse Record mais ainda.
Schumacher dick vigarista.jpg
Buildphotoims4vd.jpg
v d e h
Pilotos da Fórmula 1