Giorgi Loria

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Futebolista chaves22.JPG Este artigo é sobre um futebolista

Ele é caneleiro, vive levando cacetadas e é melhor que o Busquets!
Se você torce pra esse perna de pau analfabeto, o problema é seu.

Veja outros futebolistas aqui.

Pele33.jpg

Cquote1.svg Loria a Deus. Cquote2.svg
Tiozão fazendo piada infame
Cquote1.svg Eu quero ele pra ficar no banco de reservas Cquote2.svg
Presidente do Chelsea sobre Giorgi Loria
Cquote1.svg Segura aí enquanto eu tento fazer um gol Cquote2.svg
Zhano Ananidze sobre Giorgi Loria

Giorgi Nugzarovich Loria (em georgiano: გიორგი ნუგზარკოვიჩი ლორია ,parece um monte de testículos, 27 de Janeiro, 1986), é um açougueiro futebolista da link={{{3}}} Geórgia que é o goleiro da seleção georgiana desde 2008. Permanecer tanto tempo no gol da seleção não é porque ele é um grande goleiro, e sim pela falta de goleiros decentes num país tão escasso em jogadores de qualidade. Se fosse contratado por um clube europeu conhecido, muito provavelmente seria reserva.

Não deu pro goleirão.

Carreira[editar]

Quando era moleque, Giorgi sempre jogava futebol com os colegas de escola num campo de terra batida em Tbilisi (cidade onde nasceu), sempre era escolhido no gol porque era o maior entre os garotos e fechava o gol com suas defesas, já que os outros moleques eram um bando de perebas desengonçados que nem sabiam chutar uma bola direito (por isso a Geórgia não consegue produzir jogadores decentes). As suas defesas serviram de inspiração pra ele, que começou a sonhar em ser o maior agarrador de bola (olha a malícia!) que o país já viu.

Categoria de base[editar]

Passou 8 anos (1994-2002) jogando na base do Avaza Tbilisi (time que nem os moradores da cidade conhecem) e 3 anos (2002-2005) no maior clube da cidade, o Dínamo Tbilisi, até que finalmente em 2005 conseguiu iniciar sua carreira profissional.

Dínamo Tbilisi[editar]

Passou as primeiras 4 temporadas no clube basicamente esquentando o banco, depois se tornou titular absoluto. Jogou no clube de 2005 até 2014 disputando 224 jogos e ganhando vários títulos nacionais com o clube (jogando contra equipes que até o time do seu bairro venceria). Depois da longa estadia, ele decidiu "respirar novos ares" e começou a fazer um rodízio de clubes achando que seria destaque. Sua próxima parada era a link={{{3}}} Grécia.

OFI Crete[editar]

Assinou com o clube da Ilha de Creta para a temporada 2014/15. Jogou 30 partidas, apesar de ter jogado a maioria dos jogos, foi chutado pra fora do clube por ter falado que os cretenses eram mentirosos.

Olympiakos[editar]

Continuou em solo grego e assinou com o maior clube do país para a temporada 2015/16, chance de ganhar destaque, mas não entrou em campo uma única vez e de imediato já deixou o clube na mesma temporada.

Krylia Sovetov[editar]

Assinou com um clube mais ou menos conhecido da link={{{3}}} Rússia. Chegou a despertar interesse do Chelsea FC mas a negociação não deu certo. Ficou até 2017 no clube (disputando 40 jogos), que foi rebaixado pra a segunda divisão russa, por isso em 21 de Agosto de 2017 assinou com o Anzhi Makhachkala pois não queria jogar segunda divisão com um monte de jogador ruim e cair pra terceira.

Anzhi Makhachkala[editar]

Continuou em solo russo, mas não por muito tempo, jogando apenas 13 jogos na temporada 2017/18, saindo no clube ao fim da temporada e o fazendo se arrepender de ter deixado o Dínamo Tbilisi.

Anorthosis Famagusta FC[editar]

Atualmente está no link={{{3}}} Chipre jogando num time de uma cidade fantasma (que agora joga em Lanarca).

Seleção Georgiana[editar]

Loria e Bale em luta corporal.

Tem 60 jogos pela seleção desde 2008, e até agora não teve a oportunidade de disputar alguma euro ou copa do mundo já que joga com um time cheio de pernas de pau que o país teima em produzir. Um grande feito em sua carreira foi não ter tomado gols num 0-0 com a França em 06 de Setembro de 2013 nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014 (jogo em que levou um cartão amarelo), um fator determinante para Loria não sofrer gols foi o fato de Benzema estar em campo pela França, que já fazia uns 1200 minutos que não marcava um gol, deixando o treinador Didier Deschamps ainda mais puto da cara.