Gomez (International Superstar Soccer)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Super-smash-bros-brawl-20080221061821019.jpg Este artigo é sobre uma celebridade virtual feita de pixels e polígonos que vive de um lado pro outro aventurando-se dentro do nosso HD.

Portanto, não vandalize, seu n00b!

Gomez Foguetinho 64

Vitor "Foguetinho" Gomez de Silveira Neto nascido em 1959 mais conhecido como Aquele carinha que fica do lado do Allejo é mais um daqueles personagens secundários de qualquer história. Um dos jogadores mais rápidos da face da terra, que apela muito pro Correr pra Caralho na maioria de suas partidas. Muito elogiado pelos fãs do Allejo que adquiriu em anos jogando pela seleção.

História[editar]

Filho de pai Jamaicano e mãe Brasilêra, e nascido na África do norte, foi naturalizado brasileiro, por falar o português como ninguém. Aos 4 anos, já apostava com os meninos do bairro para ver quem chegava primeiro na reserva de água deixada pela Afrika Korp. Boatos dizem que um de seus amigos era Samuel Eto'o. Sempre chegava primeiro, deixando seus amiguinhos com inveja. Um dia normal, em que ele apostava essas corridas ele deu um tropeço, quebrou a perna e teve que ser levado ao Brasil às pressas, e nunca mais voltou pra aquela terra dos Infernos África do norte. A Cirurgia foi um sucesso, e começou a jogar futebol, pra variar. Depois de um bom tempo sendo o primeiro a ser escolhido, foi jogar no futebol de várzea como zagueiro. Era o maior fominha do time. Um dia em uma de suas melhores performances, foi chamado para fazer um "teste" para a Seleção. Quando viu estava numa balada do Ronaldo, chapado de Ecstasy e sendo levado por trás pelo Galvão Bueno.

Recebendo o passe inicial de Allejo, como sempre

Seleção Brasileira[editar]

Simplesmente, depois de toda a bagaça, treinando o seu Correr pra Caralho e ganhando destaque entre os demais n00bs jogadores, finalmente Gomez foi convocado pela seleção para a Copa de 1994. Foi lá onde conheceu Allejo. Os papelões loucos A Torcida, louca pra ver o Gomez jogar começou a colocar as placas "Nº 11 PERFEITO". Depois da fase de grupos, ficou em 2º lugar como artilheiro com 4 gols, apenas atrás de Allejo, com 18 gols.

Gomez depois de Allejo ter superado seu recorde

Claro, a torcida ficou desanimada, mas não desanimou. Com esse resultado, Vitor foi cada vez mais esquecido, e quando chegou um ponto de notoriedade muito baixa, começou a puxar o saco de Allejo, pra ver se ganha algum crédito depois. Assim estava formado a dupla de ouro, Gomez e Allejo, na formação 4-4-2 da seleção. A Seleção Brasileira venceu a copa, depois disso os dois não se viam como antes (Olha a viadagem!), só em mais algumas baladinhas de domingo do Ronaldo.

Carreira Profissa Pós-Copa[editar]

Depois da copa, seguiu sua carreira. Ainda no futebol de várzea, foi chamado pelo Fluminense pois eles estavam em uma "difícil situação". Entrou lá, jogou por uns 13 anos porque nunca foi mais chamado pra copa nem time nenhum.

Dias Atuais[editar]

Hoje em dia, Vitor está esquecido, morando debaixo de condomínios de luxo na praia de Copacabana. Os pais de Vitor foram morar na Puta que Pariu, onde não se tem mais contato. Vitor tem 37 anos, hoje. Trabalha em um academia do Rio de Janeiro, ensinando mauricinhos filhos do Luciano Huck, e outras subcelebridades a correr pra caralho.

Porra, você pensa, "Já acabou? O eterno puxa-saco de Allejo não tem mais assunto?", eu digo NÃO! Tudo o que ele faz é correr.

Ver também[editar]