IJN Mutsu

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Navio Grandão Mussum
IJN Mutsu.jpg
Mutsu facilmente reconhecido por sua torre de canhões que não podia atirar para não virar o navio
Carreira
Operador Marinha dos Kamikazes
Fabricante Kuzuda
Origem do nome Mussum
Lançamento 1920
Destino sucata
Características
Tipo encouraçado
Classe Na Gato
Comprimento 215 m
Armamento 32 canhões empilhados, 1 torpedo e bastante munição volátil

IJN Mutsu foi um encouraçado japonês que foi tão útil para o Japão quanto um par de meias é útil para um peixe e sua única utilidade foi garantir que os Estados Unidos não afundariam um outro encouraçado porque o Mutsu se auto-afundou antes disso ser possível.

Construção e design[editar]

O Mutsu junto com o Nagato foi encomendado em 1918 e concluído em 1920 para ser um grande navio de passeio japonês que serviria para levar muitos japoneses a fazerem turismo na China que estava se tornando um popular destino turístico. Para evitar que os japoneses visitassem os Estados Unidos nesse mesmo cruzeiro marítimo, os xenofóbicos americanos em 1922 obrigaram a assinatura do Tratado Naval de Washington que determinava que grandes encouraçados deveriam ser afundados, no que o Japão argumentou que o seu navio Mutsu era tão pequeno e fraco que nem poderia ser considerado um encouraçado.

Devido ao seu tamanho forçadamente econômico os engenheiros japoneses decidiram empilhar os canhões criando no meio do navio uma coluna de canhões. O grande problema desse projeto é que caso um desses canhões disparasse o chicote seria tão grande que o navio tombaria, por isso foi determinado que tais canhões nunca fossem utilizados e que servissem apenas como intimidação.

Outro destaque da engenharia desse navio era a sua sala de munição que foi estrategicamente colocada imediatamente ao lado do ponto mais frágil do casco, assim qualquer acidente afundaria o navio rapidamente, o que é uma boa coisa, ao invés dos outros navios que em casos de acidente afundam lentamente ao longo de agoniantes intermináveis horas de sofrimento.

História[editar]

Apesar de ter sido lançado em 1920, por muitos anos apenas passeou e patrulhou, afinal era um barquinho com um monte de canhão empilhado que não podia disparar. Em 1941 até quase participou do famoso ataque a Pearl Harbor, mas fingiu um defeito e ficou no porto pois aquela operação necessitava de navios que realmente pudessem causar dano, algo que o Mutsu não podia.

A única batalha que o Mutsu participou foi em 1942 integrando a sangrenta Batalha de Midway. O principal objetivo da Marinha dos Estados Unidos, entretanto, era afundar os porta-aviões da Marinha Imperial Japonesa porque os americanos já sabiam o quão inúteis e inofensivos eram os encouraçados japoneses. Portanto, o Mutsu apesar de estar naquela batalha foi tratado como um mero transeunte, até porque nem teve chances de disparar muitos tiros antes dos japoneses fugirem dali.

Naufrágio[editar]

Um canhão do Mutsu sendo recuperado do oceano para ser reaproveitado como máquinas de lavar roupa.

A pouca aptidão para guerra do Mutsu se converteu em grande aptidão para a comédia quando o navio do nada se autodestruiu perto do porto de Hashirajima em 1943 com cerca de 1100 pessoas dentro dele. Inicialmente os rumores eram de que o navio cometeu Seppuku de tanta vergonha de sua inutilidade, mas investigações seguintes logo desvendaram que foi culpa de um marinheiro que acendeu um cigarro numa sala cheia de dinamite e mandou tudo pro caralho.

Os destroços do navio foram recuperados e reutilizados para fabricar máquinas de lavar roupa japoneses.