Inácio Manuel Azevedo do Amaral

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Motel 5 cavalos.jpg HUEHUEHUEHUEHUE BR BR

Aí, mermão, este artigo aqui, ó, é brasileiro, tá ligado? Só fala de futebol, come feijoada, exporta travestis, puxa o saco dos EUA, paga imposto pra caralho e põe a culpa no governo pela alta criminalidade.


Inácio Manuel Azevedo do Amaral foi o único matemático Brasileiro da lista de matemáticos mais conhecidos. Inácio possui o mesmo nome do nosso ex-presidente corintiano e foi o único matemático, no momento a fazer alguma contribuição para a Matemática (mesmo sendo MUITO pequena) que seria investigar os números "infinitecimais" (?).

Infância[editar]

Azevedo, que merda. Se ele tivesse morrido de algo aposto que teria sido de desgosto pois nem o Google imagens sabe direito quem ele era.

Assim como toda criança no Brasil e ainda na época em que Inácio foi para a escola. Ele era um pestinha. Mais isso só foi uma suposição já que para ser matemático no Brasil e estudar algo você tem que, pelo menos, ter estudado em uma escola particular rígida a vida inteira e nunca, mas eu disse NUNCA ter entrado em uma panelinha ou ter beijado alguém até os 20 anos.

Foi exatamente isso com Inácio Manuel, que conseguiu ser o queridinho do professor.

Seu único amigo era o professor de Física, que tinha pena dele.

Inácio, mesmo sendo péssimo em comunicação e tímido, resolveu virar matemático pois achava "a matéria mais legal" e ele era o responsável pela professora de matemática passar mais do que o normal de exercícios para a turma. Até mesmo em escolas particulares isso não é um ato muito admirado pelos outros.

Inácio então cresceu e QUASE conseguiu beijar alguém no ensino médio, acontece que algo o repelia e então a moça que estava "prometida" para ele resolveu que ele era Gay e "fechou o caso" indo arrumar outro. Agora Inácio era um matemático: tinha um amor não correspondido e desilusões amorosas.

Mas foi esperto como Paul W. e evitou se matar, provavelmente por ele achar que os números o amava, pelo menos.

Universidade[editar]

Esqueci de falar que ele era como Paul W.: era do exército e cuidava da balística e essas coisas. E também foi essa situação que o fez sair.

Acabou se formando em uma universidade estadual de São Paulo (mas que merda eu acabei de dizer? Ele se formou na UFSP) mesmo eu não tendo a mínima ideia de onde ele tenha se formado. Como ele era péssimo em comunicações ele decidiu revisar e estudar os números infinitecimais, ele foi então um dos indicados dos indicados dos indicados ao prêmio nobel de matemática... Provavelmente também não exista essa modalidade no Nobel. Talvez ele tenha sido indicado ao "Euler" se há algum prêmio assim.

Por ser brasileiro e ter sido o nosso matemático que chegou mais longe... Foi indicado para a Academia de Ciências Brasileiras.

Vida de presidente[editar]

assim como todo presidente, ele ficou 4 anos no cargo e parou de fazer fórmulas e essas coisas. Por ninguém no Brasil dar muita importância à matemática (provavelmente a Desciclopédia quis dar alguma importância aos pobres coitados) ninguém ouviu falar dele e tampouco da Academia de Ciências Brasileiras.

Mas se tivessem ouço falar, posso ter certeza que quem sabe o nome dele e que ele presidiu a academia brasileira de ciências deve ser Virgem. FATO.

Morte[editar]

Acabou morrendo em 1950 quando estava trancado em seu escritório tentando fazer a Divisão por zero.

Mhascara.jpg
Matemágicos Matemáticos, geômetras e outros nerds
v d e h

al-Khwarizmi, o impronunciável - Alan Turing - Albert Einstein - André Weil - Bombelli - Bhaskara - Cantor - Manuel Bento de Jesus Caraça - Euclides - Euler, our king! - Fermat, o príncipe - Ferrari - Fibonacci - Galileu - Galois, o rebelde - Goldbach - Gauss, o príncipe - Newton - Inácio do Amaral - Lambe Humberto - Tio Laplace - Tio Omar do Quibe - Veneno Poisson - Pitágoras, o largo - He Man Riemann - Tartaglia, o gago - Jacques Tetas - Recorde - Pascal - Abel, o azarado - Arquimedes - Paul Anônimo - Cardano, o mais azarado - Tales, o pioneiro - Filho duma tenda - Neumann, o atômico - Erdös, o sociável - Cauchy