Jardim Zoológico de Brasília

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Leaotarado.jpg ANIMAAAAAAAL!!!

Este artigo trata de algum animal, ou alguém que pareça um animal, ou alguém com nome de animal, ou alguma bosta que te faz se sentir um animal, ou ainda um ANIMAL. Nenhum animal foi maltratado na produção deste artigo.


O Jardim Zoológico de Brasília é um zoológico localizado em Brasília, sendo mais precisamente, depois da Vila Telebrasília, na L2 Sul, bem próxima a Estrada Parque do Lobo Guará (EPGU), antes de uma invasão chamada Candangolândia. O Jardim Zoológico de Brasília é um lugar perfeito para você se reencontrar com seus familiares de longa data, pois lá se vê de tudo, desde imensos hipopótamos (conhecidos também como Tia) até pomposos Viados, o qual é conhecido também como seu pai.

História[editar]

Recepção calorosa aos visitantes.

O Jardim Zoológico da Capital nasceu depois que os primeiros moradores recém saídos do Rio de Janeiro sentiram a necessidade de ter um centro de cativeiro de animais igual ao ZooRio, zoológico que vive disputando animais com espécies em extinção. Por isso o Zoológico foi criado antes mesmo da inauguração do estorvo federal, para suprir as necessidades sádicas dos futuros moradores da cidade que viria a ser inaugurada ao público pouco mais de dois anos depois, mesmo que inacabada.

Depois de inaugurada foi dada a largada para a maior captura de animais que o centro-oeste já viu. Foi levado de tudo para o planalto central, Micos (esse eles pagaram), Elefantes em trabalho de parto, Tamanduás-bandeira, nordestinos, mineiros, cariocas, esses três últimos foram barrados na entrada e assim fundaram a Candangolândia[carece de fontes].

Depois disso, foram inúmeras as vezes que o Zoológico se beneficiou de apreensões de animais de circo na sede do circo federal, ficando quase sempre com os bichos.

Atrações[editar]

No Jardim Zoológico de Brasília podemos ver desde pequenos insetos que fazem barulho mais insuportável do que aquele que o corno do seu vizinho coloca para tocar, até mesmo toda espécime de Lobo Guará, Lobisomen e Chupa Cabra.

Curiosidades[editar]

O Zoológico de Brasilia foi o primeiro zoológico a utilizar células de fetos abortados células do tronco de uma arvore para regenerar um ferimento de um Lobo do Guará[1]. A operação foi bem sucedida, o que fez a Igreja Católica recorrer na justiça pedindo a anulação da operação e retorno da vida pré-concebida utilizada para a operação, sob a pena de pagamento de 10% da receita obtida pelo Zoológico bem como a direção ser forçada a assistir a missa televisionada, celebrada pelo Pe. Marcelo Rossi.

Controvérsias[editar]

Por se tratar de um local cheio de animais, a justiça uma vez ou outra envia alguma cartinha ao diretor-presidente dessa joça.

Caso Le Cirque[editar]

O Zoo de Brasília foi agraciado com alguns animais de presente, roubados pelo Ibama de um centro de maus tratos de animais chamado Le Cirque. Obviamente que os donos daquele brasil não engoliram seco e recorreram a justiça querendo seus escravos... digo, animais, de volta.

Aumento do preço do ingresso[editar]

Assim que assumiu o comando do desgoverno do detrito federal, Rodrigo Rollemberg determinou o aumento da tarifa, taxa ou tíquete de entrada (chame do que quiser!) do Jardim Zoológico de Brasília, que passou para extorsivos R$ 10,00 (0,005 centavos convertidos em R$), o que é um abuso segundo parte da população. O local é só o barro, então por que teriam que pagar dez açoites para fazer rally a pé no local? A sorte do Zoológico é que toda indignação no Brasil é passageira, ou seja, logo voltaram a lotar o local e o então governador do distrito federal ficou feliz da vida.

Ligações Externas[editar]


  1. Foi noticiado na imprensa local, ou seja, tem fontes fiáveis.