João Penca e Seus Miquinhos Amestrados

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Placa80.svg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 80's!
Provavelmente ele se refere a coisas daquela época, tais como Atari 2600, Balão Mágico e Plano Cruzado.

Kiss.jpg

Bono Vox deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.

Passarinho.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Motel 5 cavalos.jpg Foi golpe sim, companheiro...

Aí, mermão, este artigo aqui, ó, é brasileiro, tá ligado? Só fala de futebol, come feijoada, exporta diplomatas, puxa o saco dos EUA, paga imposto pra caralho e põe a culpa no governo pela ausência do Prêmio Nobel.

Não sei ai na foto quem é o João Penca, tampouco quem são os miquinhos, mas que tá maior punheta grupal essa foto tá, viu...

Cquote1.png Sua intenção era pesquisar: Mamonas Assassinas dos anos 80 Cquote2.png
Google dando uma de adivinho com a pesquisa de João Penca e Seus Miquinhos Amestrados

João Penca e Seus Miquinhos Amestrados é uma banda de rockabilly, surf music, um monte de outros estilos e sem dúvidas a mais bizarra banda (desde o nome) que tocou no Brasil naqueles bizarros anos 80. Apesar disso, nunca foram apresentados às técnicas para voltar à fama depois de ter perdido a mesma, pois a séculos que só falam deles mesmo naquelas festinhas de Nostálgicos Anônimos e nada mais. Graças a Deus!

Carreira[editar]

Começaram em 1977, mas não faziam sucesso algum nessa época (com um nome desses, pudera). Um dia, um cantor se apiedou deles. Eduardo Dusek o nome dele. Sim, hoje em dia ele, tal como Absyntho, Sylvinho Blau-Blau, Kaoma, Hojerizah, Obina Shock, Fausto Fawcett, Dalto, Tetê Spindola e tantos outros "sucessos" da época, sumiram e viraram lendas vivas de uma geração que nem seu pai se orgulha mais de ter vivido. Nessa época, tocavam na banda Selvagem Big Abreu (Sérgio Ricardo Abreu), Bob Gallo (Marcelo Ferreira Knudsen), Avellar Love (Luís Carlos de Avellar Júnior) e até o cantor Leo Jaime (esse ressuscitado graças a Globo).

Durante os anos 80, tudo que é programa de mau gosto, infantis e similares, convidaram esses malucos para tocarem, enchendo o saco de todo mundo com canções como Calúnias (Telma, Eu Não Sou Gay), Lágrimas de Crocodilo, Romance em Alto Mar, Matinê no Rian (tema de abertura da novela O Sexo dos Anjos, 1989-1990), Papa Umama, S.O.S. Miquinhos e Popstar. Sim, eu sei, você dificilmente ouviu alguma na sua vida.

Entre meados dos 90 e 2007 eles ficaram desaparecidos por completo, alguns até formaram bandas como Os Pororocas, Gorillas Selvagens, e apareciam por vezes na Festa Ploc (aquela lá dos nostálgicos dementes). Só em 2007 voltaram a ativa, até em novela tocaram, mas como não empolgou nem seu velho nostálgico que tem ainda fitas k7, compactos e LPs de Banda Bombom, Gang 90 & Absurdettes e Kiko Zambianchi, a banda se desfez de novo, provavelmente para todo o sempre.

Integrantes[editar]

Segura ae a lista, e tente não rir:

Bob Gallo, Avellar Love, Leo Jaime, Selvagem Big Abreu, Leandro Verdeal (ou Leandor), Cláudio Killer (Cláudio Knudsen, irmão de Bob Gallo, morreu em 1983 envenenado por gás no banheiro), Del Rosa, Guilherme Hully Gully e Mimi Erótico. Leo Jaime deu uma banana pra turma e saiu logo porque a turma ae não queria levar as coisas a sério, e ele queria era dinheiro, porra.

Discografia[editar]

1982 - Cantando no Banheiro (Alugado por Eduardo Dusek)
1983 - Os Maiores Sucessos de João Penca & Seus Miquinhos Amestrados (pseudo coletânea só pra banda fingir que era famosa já)
1984 - Brega Chique (Alugado por Eduardo Dusek)
1985 - OK My Gay (Viadagem)
1988 - Além da Alienação (pagando de interlectulóides)
1990 - Cem Anos de Rock 'n Roll (Quando não tinha nem 40 anos ainda, lol)
1993 - A Festa dos Micos (todas que eles estavam)
2000 - Hot 20 (essa sim uma coletânea, mas que não vendeu porra nenhuma)

Ver também[editar]